Como a creatina é feita?

Você já parou pra pensar em como a creatina é feita? Saiba de onde o melhor suplemento do mundo vem e como é fabricado.

Muitos fisiculturistas nem imaginam como a creatina é feita ou de onde ela é derivada – fontes naturais ou sintéticas.

A creatina é produzida naturalmente pelo nosso corpo pela combinação de 3 aminoácidos – glicina, arginina e metionina. A creatina também pode ser encontrada na carne vermelha e peixes, porém a extração de grandes quantidades seria inviável e provavelmente muito cara. Já imaginou usar peixes ou carne vermelha, só pela creatina?

Como a creatina que tomamos é produzida

A creatina pode ser produzida sinteticamente em laboratório a partir de vários métodos, incluindo síntese química e fermentação microbiana.

Na síntese química, o método mais comum e usado para produzir creatina na forma de suplemento, ela é produzida a partir da combinação de cianamida, que é um composto químico rico em nitrogênio, com sarcosina, um aminoácido natural encontrado em alimentos como carne e ovos.

A reação química é realizada em várias etapas, envolvendo a adição de outros compostos e a purificação do produto final.

Na fermentação microbiana, a creatina é produzida a partir da fermentação de um substrato de açúcar por bactérias selecionadas geneticamente. O processo envolve a utilização de microrganismos para converter o açúcar em creatina, que é então purificada e isolada do meio de fermentação. Este não é o método usual e usado industrialmente.

Após a produção, a creatina pode ser transformada em diferentes formas, como a creatina monohidratada, que é a forma mais comum de creatina encontrada em suplementos alimentares.

Especificamente falando da creatina monohidratada, ela é produzida a partir da cristalização da creatina (feita no processo já explicado) em um ambiente aquoso, resultando em um pó branco e cristalino que é facilmente solúvel em água.

É importante notar que diferentes métodos de produção de creatina podem resultar em produtos com diferentes graus de pureza e qualidade, e que a escolha do método de produção pode afetar as propriedades e benefícios do suplemento alimentar.

Publicidade

Conclusão

A creatina que consumimos é sinteticamente (artificialmente) produzida pela manufaturação de 2 químicos – sarcosina e cianamida.

Apesar destas substâncias serem químicas, no final do processo elas se tornam em um único produto e seguro para consumo humano. A reação entre os químicos sarcosina e cianamida com uma quantidade específica de água, é a única maneira de criar a creatina sinteticamente.

O processo para criar a creatina sempre foi o mesmo. A única coisa que mudou é o avanço na tecnologia, que melhorou o processo de mistura, consequentemente melhorando a qualidade e eficácia da creatina disponível hoje no mercado.

Ainda está com dúvidas sobre alguma questão? Visite nosso fórum de discussões e compartilhe suas dúvidas com mais de 270 mil pessoas cadastradas.

×