Pegada correta no supino: falsa ou polegar envolvendo a barra?

Muitas pessoas ficam em dúvida a respeito de qual é a pegada correta no supino. Você provavelmente já deve ter ouvido falar sobre pegada falsa ou envolvendo o polegar na barra (pegada tradicional), mas, afinal, qual delas é correta no supino?

Antes de qualquer coisa, não estamos nos referindo a distância entre as mãos durante o supino, mas sim a pegada em si – como você pega na barra ao fazer o exercício. Se você não está familiarizado com o assunto, existem dois tipos comuns de pegada durante o supino:

  1. Pegada falsa. Um estilo de pegada onde a barra fica livre nas mãos, sem o envolvimento do polegar. É usada principalmente no supino, mas pode ser usada virtualmente em qualquer exercício que “empurre” a carga (como desenvolvimento com barra, por exemplo).
  2. Pegada envolvendo o polegar (pegada completa). Este estilo de pegada é autoexplicativo e refere-se a envolver o polegar na barra, impedindo que a barra saia da sua mão.

Qual é a pegada correta no supino?

Logo de cara, ambas as pegadas vão funcionar e vão produzir bons resultados no supino reto e todas as suas variações. No entanto, ela pode variar principalmente de acordo com as preferências pessoais e questões de segurança.

Repetindo: as duas pegadas principais são a pegada completa (com envolvimento do polegar) e a pegada falsa (sem envolvimento do polegar).

A pegada completa, onde o polegar envolve a barra, é recomendada por razões de segurança, pois proporciona um maior controle sobre a barra, reduzindo o risco de que ela escorregue das mãos e caia sobre o seu peito ou seu rosto.

Por outro lado, a pegada falsa, que não envolve o polegar em torno da barra, pode ser preferida por alguns praticantes de musculação avançados porque permite um alinhamento potencialmente mais natural do punho e do cotovelo, o que pode reduzir o estresse nessas articulações.

No entanto, essa técnica aumenta bastante o risco de acidentes devido ao menor controle sobre a barra. Por essa razão, ela deve ser usada com cautela, por atletas experientes e sob supervisão adequada, ou simplesmente deixada de lado em prol da pegada completa.

Porque evitar a pegada falsa no supino

Considerando que ambos os tipos de pegada vão funcionar no que diz respeito ao recrutamento do peitoral, não há muitas razões convincentes para usar a pegada falsa (sem envolver o polegar na barra).

A pegada falsa pode até ser mais confortável, mas além disso não se converter em mais resultados (que é o que importa para nós), ela literalmente permite que a barra role a caia sobre você. Na verdade, muitos acidentes envolvendo o supino ocorrem porque, de alguma forma, a barra perdeu o contato com as mãos do praticante e caiu sobre ele.

Não é preciso dominar biomecânica para entender que a pegada falsa favorece isso. Também não é preciso ser um gênio para entender porque a pegada falsa também é conhecida como pegada suicida.

Por mais que você seja a pessoa mais cuidadosa do mundo, você só precisa errar uma vez na vida para ter um acidente e às vezes isso não está sob o seu total controle.

Por exemplo: barras de má qualidade podem facilmente entortar quando usadas com cargas absurdas. Ao colocar a carga em uma barra que está curva, ela pode ficar presa em um ângulo específico no suporte. Mas logo que o praticante tira a barra, ela pode girar de uma maneira que o peso irá para o lado oposto da curvatura, e isto fará com que a barra gire na sua mão e caia.

Isto vai acontecer independente dos seus cuidados e há muito mais chances de um acidente ocorrer se você estiver usando a pegada falsa.

Lembre-se também que você pode passar anos usando a pegada falsa, sem qualquer problema, porém basta um único dia de azar para que algo aconteça.

Talvez você esteja com algum problema pessoal e esteja especialmente distraído, ou o que seja, basta um deslize para que algo aconteça.

Nada atrasa mais os seus resultados do que uma lesão que o afaste da academia.

E tudo isso para usar uma pegada que não vai trazer uma vantagem em termos de hipertrofia do mesmo tamanho que os seus riscos.

Seja usando uma pegada falsa ou com o polegar envolvendo a barra, o importante no supino é trabalhar o peitoral.

Ambas farão isso com eficiência, mas somente uma delas pode causar acidentes graves.

Por conta disso, experiente adotar o costume de usar a pegada envolvendo o polegar na barra.

Esta é, de fato, a pegada correta para fazer supino, e sempre será a mais segura.

Se você não se sente confortável usando ela, acredite, é apenas uma questão de hábito.

Serão algumas semanas (às vezes apenas uma) para que você se acostume com essa pegada.

Também não deixe seu psicológico afetar suas decisões.

Você não estará perdendo nada em termos de resultados por abandonar um tipo de pegada.

Evite comparações absurdas com lendas do fisiculturismo também.

O Arnold, por exemplo, gostava muito da pegada falsa, mas não há como saber se houve ou não problemas por conta disso.

Na internet, só vemos o lado bom.

Poucas pessoas sequer sabem que o Arnold passou por cirurgias para reconstruir ligamentos do joelho e os ombros, após anos e anos treinando com lesões.

O que estamos querendo dizer é que atletas de elite não são os melhores pontes de referências para pessoas comuns.

Em outras palavras, não precisamos nos arriscar desnecessariamente para ter bons resultados, e não usar a pegada falsa é o exemplo perfeito disso.

No final do dia, a escolha sempre será sua. O nosso papel é apenas mostrar a porta para que você possa entrar e trilhar o seu caminho com as próprias pernas, da melhor forma possível.

Este texto foi útil para você?

Sim (6)
Não
Muito obrigado pela opinião!

Ainda está com dúvidas sobre alguma questão? Visite nosso fórum de discussões e compartilhe suas dúvidas com mais de 270 mil pessoas cadastradas.

Além disso, siga-nos nas redes sociais para receber notícias direto na sua timeline:

×