Métodos Insanos Para Aumentar a Força Muscular

Construir força é uma guerra que a maioria das pessoas acabam perdendo. Quanto mais forte você é, mais difícil fica progredir, e quando chegamos no ponto onde o básico não é mais o suficiente, precisamos tentar algo fora do comum. Veja algumas técnicas usadas que passaram na prova do tempo e ajudaram a criar os seres humanos mais fortes do mundo.

Técnica Doubles

Este é um método trazido a vida pelo treinador canadense Pierre Roy. O método também é usado em vários protocolos de treino de força da antiga União Soviética. Ele consiste em fazer um exercício no qual você quer aumentar a força duas vezes no treino – uma vez no começo e outra no final do treino.

Esta abordagem favorece a coordenação motora e a eficiência neural, maximizando o controle muscular para gerar mais força.

“Não seria mais simples apenas fazer mais séries no primeiro exercício do treino ?”

Poderia ajudar, mas não favoreceria a coordenação motora e eficiência neural. Se você fizer todas as séries do exercício no mesmo período, o sistema nervoso entra no piloto automático, tendo poucas oportunidades para “aprender”.

supino com correntes Métodos Insanos Para Aumentar a Força Muscular

Fazendo o exercício duas vezes no mesmo treino, forçará o sistema nervoso trabalhar dobrado para manter a coordenação intra e intermuscular.

Séries Agrupadas (clusters)

Este método foi popularizado por Charles Poliquin e é o método que a maioria dos levantadores olímpicos usam (você já vai entender o porquê).

Um cluster é uma série “única”, mas com várias subséries. Por exemplo, você faz uma repetição, espera dez segundos, faz outra, espera dez segundos, faz mais uma repetição, espera dez segundos, e assim vai.

Os atletas olímpicos treinam assim porque durante os levantamentos de competição eles levantam o peso, derrubam a barra e repetem o processo a cada repetição.

A premissa dos clusters é que elas permitem você fazer mais repetições dado uma porcentagem. Um descanso de dez segundos é suficiente para uma regeneração parcial da ATP, limpeza dos metabólitos e recuperação neural.

Você pode querer fazer duas ou três repetições com uma determinada carga.  Se você consegue fazer supino com 140kg por três repetições, tente cinco ou seis repetições usando o cluster.

É importante lembrar que você pode colocar a barra de volta no suporte entre cada repetição.

Clusters exigem muito do sistema nervoso, por isto existem algumas regras que precisam ser seguidas: não faça mais de um cluster por grupo muscular e não mais do que três ou cinco séries (séries de cluster e não repetições)

Técnica de Suporte

Esta técnica era usada por muitos atletas de força nos anos 80. O Dr. Fred Hatfield recomendm fazer a técnica de suporte com 110% da sua carga máxima em um exercício e somente no fim do treino.

A técnica consiste em simplesmente segurar o peso na posição inicial do movimento. Por exemplo, você coloca 110% da sua carga máxima na barra do supino, tira a barra do suporte e simplesmente fica segurando a barra por 5-10 segundos.

Este método permite que você se acostume com cargas maiores do que geralmente aguenta, sem o perigo de uma lesão. Fazer uma repetição máxima muitas vezes é mais psicológico do que físico. Se acostumar com cargas mais pesadas fará com que o levantamento pareça mais fácil e as chances de sucesso irão aumentar.

Técnica de Carga Pequena

A ideia da técnica de carga pequena foi criada pelo Dr. Mel Siff e é outro joguinho mental contra os pesos. Ela consiste em carregar a barra com anilhas pequenas e quanto mais confuso for o carregamento da barra, melhor.

Normalmente, se você quer carregar a barra com 100kg você usaria 4 anilhas de 20kg(considerando que a barra é olímpica e pesa 20kg também). Com o método de carga pequena você carregaria a barra com várias anilhas mais leves, porém com o mesmo tempo(100kg no caso), não necessariamente em ordem.(Obviamente com o mesmo peso em cada lado).

É ainda melhor se o seu parceiro de treino carregar a barra, o que tornará o cálculo mental do peso ainda mais difícil.

Este método remove a intimidação psicológica que algumas pessoas tem. Algumas pessoas simplesmente ficam bloqueadas mentalmente pelo número de anilhas grandes colocadas na barra. Por alguma razão, carregar a barra com pesos menores é menos intimidador e algumas pessoas podem fazer a repetição com muito mais confiança.

Conclusão

Estas técnicas podem destruir qualquer estagnação muscular, mas vale ressaltar que elas não devem ser usadas ao mesmo tempo, ou seja, no mesmo treino e/ou com o mesmo grupo muscular.

Redação Hipertrofia.org

Os artigos enviados pela redação foram escritos pelos mais diversos profissionais da área e entusiastas, sempre baseados em estudos científicos recentes em conjunto de evidências empíricas.

Outros artigos interessantes...

Clique aqui!

17 Respostas

  1. Luiz Zattera disse:

    Poha , melhor site de Hipertrofia e Constr~ução muscular que eu já vi. To crescendo pouco a pouco mas estou feliz . Sei que posso ser magro mas quero que vcs me falem se isso é ruim ou bom , tenho 12 anos de idade ( 1,54 – 40 Kg e tenho 26 de braço Frio ) bom? ou ruim?

  2. Elton Alves disse:

    Dicas sensacionais . valeuuuuuu.

  3. Danilo Vasconcellos disse:

    vlw ..mano

  4. Tonny Dias disse:

    cara acompanho este site… gosto muito ele me encentivou a entrar na academia estou ja a dois meses…..e agora quero uma dica para ganhar peso volume muscular pois sou magro e tenho dificuldades em ganhar peso…

  5. Jl Eumermo disse:

    Mas um item pra caixola! mto bom!

  6. Prof. Damata disse:

    Existem várias técnicas para você aumentar a sua força para treinos de hipertrofia. Um que deu muito certo pra mim, foi assim: antes de mais nada, sou professor de educação física formado, ok galera? Vamos lá: foi em 2011, já tinha 14 anos de treino. Vinha de um treino de pirâmide. Tinha 90Kg (16,5% de gordura acho…) com 1,83m. Para vocês terem uma ideia de força, eu conseguia fazer supino com 60 de cada lado, na barra normal de 10Kg, 2 a 3 repetições máximas (descendo até o peito, e sem bater a barra com força, no mesmo). Dividi o treino assim. SEMANA 1 = Treino de força sub-máxima utilizando exercícios compostos. E, em cada treino, eu utilizava 2 exercícios apenas, e ia pra casa! Segunda era Supino e desenvolvimento (empurrar); terça era TERRA e puxador com pegada fechada (puxar); e quarta (só Leg Press, eu ainda não tenho a moral de fazer agachamento livre só pra 2 repetições! mas chegarei lá! hehehe). A quantidade de repetições fica na casa entre 2 a 4, APENAS! Muita carga! E intervalos bastante longos, de 3 a 6 minutos! repetia os mesmos grupamentos na quinta, sexta e sábado. SEMANA 2 = treino de hipertrofia com Bisets e drop sets. Seg = biceps e triceps; Ter = Pernas e ombro; quarta = não treinava; quinta = peitoral; sexta = costas. Sábado = Ombro (ombro se recupera rápido, perna eu não fazia pq o treino era FODA! Tinha que descansar pra KRL! Treino cavalar! O treino de perna e ombro eu fazia com MINI LANCHE… tipo.. treinava perna ANIMAL! Acabava, tomava um suplemento pós treino… descansava 45´ e partia só pra fazer ombro depois… Semana 3 = Semana 2! Semana 4 = regenerativo… o treino regenerativo o próprio nome diz.. é pra regenerar! hehehehe.. então.. as cargas são bem leves.. treino de frango mesmo! ahhahaha mas isso é bom pro músculo descansar das duas PORRETADAS que ele levou durante 3 semanas insanas! E ficar no “Stand By” na semana 4. Totalizou 1 mês até agora, certo??? Então, repeti isso por mais 2 meses. E a minha força no supino, subiu de 60 de cada lado, para 72 de cada lado na série de 2 repetições máximas. E, com 60 de cada lado, eu cheguei a fazer 8 repetições! Galera, pra quem tá fazendo aquele BULKING monstruoso! Essa é uma ótima técnica! Mas repito, não existe receita de bolo. Essa técnica é pra vocês acrescentarem na BIBLIOTECA DE TREINOS de vocês! Pra aumentar a variedade de estímulos! Ok? Procure um professor pra auxiliar vocês PESSOALMENTE! Abraço aos marombas!

  7. Mateus disse:

    Cara muito bom mesmo. No fim tudo vai muito do psicológico da pessoa, alguma forma de enganar a rotina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>