Se você é uma daquelas pessoas que não abrem mão da bebida alcoólica da balada do final de semana. Este artigo vai ser bem esclarecedor para quem tem curiosidade sobre o que acontece com o nosso corpo quando ingerimos álcool e como isso pode atrapalhar os seus objetivos com a musculação

1 – Diminuição do Testosterona e o aumento do Cortisol

Um estudo feito em 8 voluntários, homens saudáveis, provou que depois de consumir álcool, houve uma queda significante no testosterona e um aumento no cortisol(basicamente o hormônio que destroi tecido muscular), e o organismo desses voluntários ficaram neste estado por mais de 24 horas.

ghpro Os reais efeitos do álcool em nosso corpo

Então se você deseja realmente manter um ganho expressivo de massa muscular, vai ter que pegar leve na ingestão de álcool, quanto mais os níveis de testosterona estiverem altos e o de cortil baixos, além dos ganhos serem mais fáceis a perder o que já ganhou também será, o que você não vai conseguir, se embriagando todo final de semana.

2 – Diminuição na absorção de vitaminas e minerais

Quando você consome uma quantidade elevada de álcool, isso faz com que o seu fígado fique ocupado a todo tempo convertendo o álcool em acetato e qualquer vitamina ou mineral que passar pelo fígado vai ser eliminado pelo processo de desintoxicação.

O álcool interefere no metabolismo da maioria das vitaminas, e com a absorção de vários nutrientes. Estimula a excreção de cálcio e magnésio pela urina.(Você vai urinar estes importantes nutrientes). E como se não fosse suficiente a comida no estômago ainda irá competir com o álcool pela absorção na corrente sanguínea.

ghmax Os reais efeitos do álcool em nosso corpo

Para quem treina com pesos, sabe que a necessidade de uma alimentação balanceada é importante e bebendo não é o caminho para se conseguir isso.

3 – Diminui a síntese proteica

Ou seja, o crescimento muscular vai diminuir mais de 20%, pois a capacidade do corpo de sintetizar a proteína vai estar prejudicada com a ingestão do álcool.

4 – Desidratação

Um efeito colateral comum da bebida alcoólica é o efeito diurético, principalmente a cerveja. Você vai sentir vontade de ir no banheiro toda hora, saiba que você está urinando os líquidos do seu corpo e não uma urina normal. E você deve saber que o nosso corpo(principalmente os músculos) são constituidos por de 70% somente água.

zmatforce Os reais efeitos do álcool em nosso corpo

5 – Sono

O alcoolismo pode gerar desordem no sono e todo marombeiro sabe que o descanso é fundamental, sem as horas necessárias de sono com qualidade o corpo não se recupera adequadamente e não libera hormônio do crescimento.

6 – Conclusão

Desconsiderando a capacidade genética de cada um de ganhar massa muscular(uns tem mais ganhos do que outros), todos sabem que não é uma tarefa fácil. Pelo menos para aqueles que tem um treino árduo, intenso e uma dieta rigorosíssima.

Se não é uma tarefa fácil, não seria fundamental fazer com que todos os fatores estejam ao seu lado para o ganho de massa muscular ? Se você não consegue ter um treino intenso, manter uma dieta rigorosa, não se dê ao luxo de consumir bebida alcoólica, mas se consumir fique ciente do atraso que você estará dando ao seu crescimento.

Referências:

1. Heikkonen, E., Ylikahri, R., Roine, R., Valimaki, M., Harkonen, M., & Salaspuro, M. (1996). The combined effect of alcohol and physical exercise on serum testosterone, luteinizing hormone, and cortisol in males. Alcoholism, Clinical and Experimental Research, 20, 711-716

2. Kvist, H., Hallgren, P., Jonsson, L., Pettersson, P., Sjoberg, C., Sjostrom, L., & Bjorntorp, P. (1993). Distribution of adipose tissue and muscle mass in alcoholic men. Metabolism, 42, 569-573

3. Raben A, Agerholm-Larsen L, Flint A, Holst JJ, Astrup A. (2003). Meals with similar energy densities but rich in protein, fat, carbohydrate, or alcohol have different effects on energy expenditure and substrate metabolism but not on appetite and energy intake. American Journal of Clinical Nutrition, 77, 91-100

4. Siler, S.Q., Neese, R.A., & Hellerstein, M.K. (1999). De novo lipogenesis, lipid kinetics, and whole-body lipid balances in humans after acute alcohol consumption. American Journal of Clinical Nutrition, 70, 928-936

5. Tremblay, A., & St-Pierre, S. (1996). The hyperphagic effect of a high-fat diet and alcohol intake persists after control for energy density. American Journal of Clinical Nutrition, 63, 479-482

6. Valimaki, M.J., Harkonen, M., Eriksson, C.J., & Ylikahri, R.H. (1984). Sex hormones and adrenocortical steroids in men acutely intoxicated with ethanol. Alcohol, 1, 89-93

7. Flechtner-Mors, M., Biesalski, H.K., Jenkinson, C.P., Adler, G., & Ditschuneit, H.H. (2004). Effects of moderate consumption of white wine on weight loss in overweight and obese subjects. International Journal of Obesity and Related Metabolic Disorders, 28, 1420-1426

8. Buemann, B., Toubro, S., & Astrup, A. (2002). The effect of wine or beer versus a carbonated soft drink, served at a meal, on ad libitum energy intake. International Journal of Obesity and Related Metabolic Disorders, 26, 1367-1372

9. Lang CH, Frost RA, Kumar V, Wu D, Vary TC. (2000). Inhibition of muscle protein synthesis by alcohol is associated with modulation of eIF2B and eIF4E, 3, 322-31

10. Alcohol Alert, National Institute on Alcohol Abuse and Alcoholism, No. 41 July. 1988

11. Shirreffs, Susan M., and Ronald J Maughan. 91997). Restoration of fluid balance after exercise-induced dehydration: effects of alcohol consumption, Journal of Applied Physiology, Vol. 83, No. 4, pp. 1152-1158

12. “Alcohol, chemistry and you,” Kennesaw State University, chemcases.com, Aug. 2002

13. Dept. of Health and Human Services, Report to Congress, 1990

14. “Why alcohol calories are more important than you think,” Christian Finn, TheFactsAboutFitness.com



Clique aqui!

Atenção: o site Hipertrofia.org não autoriza a cópia dos artigos em outros sites.

Protected by Copyscape Originality Check

Tags: