Home / Dicas de treino / Técnica ponto zero funciona mesmo na musculação ?

Técnica ponto zero funciona mesmo na musculação ?

Você provavelmente já ouviu falar do sistema ou técnica ponto zero na musculação, mas talvez não saiba como ela funciona (e se realmente funciona). Veja tudo sobre a técnica e como colocar o ponto zero na prática.

Técnica ponto zero funciona para musculação?

Sim, funciona.

Não porque se trata de uma técnica inovadora, mas sim porque justamente é uma técnica baseada em conceitos que já são amplamente usados no mundo da musculação.

Entenda.

Ponto zero é uma técnica de alta intensidade criada pelo mestre Fernando Sardinha em seu programa de treino “Sardinha Evolution”.

A técnica explora a contração isométrica durante uma porção específica da repetição.

Como a técnica funciona na prática

Veja.

Sabemos que uma repetição é composta por duas fases:

  1. Concêntrica – quando levantamos ou puxamos a carga;
  2. Excêntrica – quando baixamos ou resistimos a carga;

A contração isométrica ocorre quando forçamos um músculo sem gerar movimento em um posição específica do exercício, seja na fase excêntrica ou concêntrica.

Por exemplo: imagine que você está fazendo rosca direta e na descida da barra (na fase excêntrica), você resolve forçar a parada do movimento na metade do caminho, antes de estender completamente os cotovelos.

Esta inibição do movimento da articulação sob a pressão da carga do exercício gera uma contração isométrica.

Algo extremamente útil para hipertrofia por duas razões:

  1. Contração isométrica gera a maior contração muscular possível, pois obriga a ativação da maior parte das unidades motoras do músculo para sustentar a carga parada no mesmo lugar;
  2. Ao mesmo tempo que aumenta a sinalização neural entre o córtex motor do cérebro e o músculo trabalhado.

Traduzindo isto para português simples, contração isométrica faz com que mais fibras musculares sejam danificadas.

Ao realizar o exercício normalmente, com amplitude completa, já é possível recrutar o maior número de fibras possíveis, mas recrutar fibras sem danificá-las, é o mesmo que não treinar corretamente.

Mitchell et al. (2012) descobriu que quando treinamos até a falha, independente da carga, se as fibras foram danificadas, haverá crescimento muscular.

Em outras palavras, se você não consegue contrair um músculo de uma maneira que todas as fibras serão usadas e danificadas, mesmo treinando pesado e com muita carga, você não otimizará os estímulos que causam a hipertrofia muscular.

Por isso treinos de isometria são brutais.

Ao parar a carga na metade do caminho, você está OBRIGANDO o músculo a dar tudo o que pode para sustentar a carga nesta posição.

E é aqui a mágica do ponto zero acontece.

A técnica ponto zero não é apenas uma questão de criar contração isométrica e aumentar o estresse no maior número possível de fibras.

Mas fazer isso durante um momento específico da fase excêntrica da repetição, onde o músculo está “vulnerável” a sofrer mais lesões e não está recrutando todas as fibras possíveis.

E isto geralmente ocorre no fim da porção excêntrica do exercício, dai o nome da técnica: ponto zero.

Lembre-se que é na fase excêntrica do exercício que geramos a maior quantidade de micro lesões musculares.

Aplicar contração isométrica nesta fase gerará um efeito sinérgico entre contração e quebra de tecido muscular.

E o final da fase excêntrica geralmente é desperdiçada pela maioria das pessoas ao deixar que o fim da excêntrica seja dominado pela gravidade (mesmo que o restante da excêntrica tenha sido controlada).

como implementar a técnica ponto zero

Além disso é comum o uso de impulso para começar a próxima repetição.

Agora, quando você obriga uma contração isométrica justamente nesta porção, você impede que qualquer problema ocorra ao mesmo tempo que ativará mais fibras musculares, vai aumentar a conexão mente-músculo e fará você treinar direito.

Sim!

comprar albumina naturovos

Se você já fez qualquer tipo de isometria usando cargas, provavelmente notou que o exercício se torna extremamente difícil mesmo com pouca carga.

Ao usar a técnica ponto zero não será possível encher a barra de carga e usar impulsos para fazer as repetições.

Isto por si só fará você treinar melhor focando-se na qualidade do exercício (e não na quantidade).

Apenas não pense que isto significa treinar leve ou que progresso de carga é dispensável.

Mesmo que esta técnica obrigue você a usar os pesinhos coloridos da academia (o que em alguns casos vai acontecer), lembre-se que hipertrofia muscular não é uma questão única de quantidade de carga.

Mas sim se você está conseguindo contrair o músculo com a carga que você está usando agora e se está carga está aumentando com o tempo.

O que queremos dizer é que não importa o ponto de inicio, o que importa é se você está progredindo semana após semana e essa carga esteja ficando cada vez mais leve com o tempo.

E os relatos das pessoas que estão usando o ponto zero são exatamente assim. Passam algumas semanas e os pesos começam a subir, junto com o tamanho muscular.

Como implementar a técnica ponto zero no treino de hipertrofia

Em um treino de isometria comum, geralmente usamos uma única repetição do exercício para travar a carga na metade do caminho e obter os benefícios da contração isométrica.

No ponto zero a isometria é realizada no fim de todas as repetições justamente com o objetivo de inibir os problemas que já mencionamos, ao mesmo tempo obter as vantagens da fase excêntrica na hipertrofia e recrutamento de unidades motoras.

Isto será feito dando uma pausa de 3 a 5 segundos no fim da fase excêntrica de todas as repetições.

Veja o vídeo do próprio Fernando Sardinha aplicando o ponto zero na prática:

É válido ressaltar que é inútil apressar a contagem ou usar pausas menores para não precisar reduzir tanto as cargas.

Somente após um período suficiente de isometria, é possível obter os benefícios que falamos e três segundos é o mínimo.

Faça três segundos longos de pausa (assim como mostra o vídeo).

Todos os exercícios poderão ser usados com a técnica ponto zero, mas é indicado que você esteja seguindo um plano de treino com volume adequado, saiba executar cada exercício com precisão “cirúrgica” e esteja se alimentando de acordo.

Caso você tenha gostado do ponto zero ou esteja cheio de dúvidas, é extremamente recomendado verificar o programa de treino que o próprio Fernando Sardinha fez usando como base o sistema ponto zero.

A vantagem do programa é a riqueza de detalhes que não seria possível colocar aqui – seria necessário um site exclusivo somente para isso (e é justamente por isso que o programa foi criado).

O Fernando Sardinha possui décadas de experiência como treinador fazendo com que o programa fosse moldado para passar esse conhecimento e fazer você ter bons resultados como se estivesse sendo acompanhado por ele.

Óbvio, o programa não é de graça.

Mas você paga justamente para ter acesso a algo que não seria possível encontrar com uma pesquisa no Google.

Na verdade, o programa não engloba apenas o ponto zero, mas tudo o que você precisa fazer, passo a passo, dentro da academia para gerar resultados o mais rápido possível. Até mesmo a parte da alimentação.

E a maior parte do conteúdo é feita através de vídeos com o próprio Fernando Sardinha, com as explicações feitas com a didática dele e poderão ser vistas até mesmo pelo celular e durante o treino.

Clique no banner abaixo para acessar o programa:

De acordo com as informações que o próprio Sardinha concedeu, o programa é feito para todos os níveis de experiência, mas é especialmente indicado para aqueles que não estão tendo mais ganhos com o treino comum ou estão se sentindo estagnados.

Considerando que o curso oferece a devolução do seu dinheiro caso você não goste, isso é uma garantia a mais de que o programa não é uma tentativa de coletar dinheiro em troca de nada.

Sem contar que a própria técnica ponto zero é valiosa por si só.

Contração isométrica é uma ferramenta valiosa para a hipertrofia muscular e com comprovação científica de efetividade – não se trata de uma criação mirabolante para variar o treino.

Sem dúvidas a união do conhecimento do Fernando Sardinha com a aplicação da técnica ponto zero, definitivamente gerarão mais resultados.

E se nada disso lhe interessada, você pode simplesmente aplicar o método no seu treino como explicamos e extrair mais ganhos – sem gastar um tostão.

Referências

A respeito da contração muscular durante a fase concêntrica, excêntrica e isométrica:

  • https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5495834/;
  • https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15075307;
  • https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4620252/.

Um guia completo sobre os benefícios da contração isométrica no treino de hipertrofia que foi falado no texto, indo até além da técnica ponto zero:

  • https://thibarmy.com/isometrics-underrated-training-tool/

Este texto ajudou você de alguma forma ? Avalie!
[Total de votos: 116 Média: 4.1]

Sobre Redação Hipertrofia.org

Avatar
O maior site sobre musculação em língua portuguesa da internet. Desde 2007 trazendo o melhor conteúdo sobre musculação, sempre baseado nos últimos estudos científicos, autores renomados e experiência prática.

15
Deixe um comentário

avatar
8 Comment threads
7 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
13 Comment authors
sdasdaRafael Moura RobertiCésar Alexandre VitorinoDiegosujas Recent comment authors
  Subscribe  
mais novos mais velhos mais votados
Me notificar
Cristian Marques
Visitante
Cristian Marques

Treino a quase 10 anos, de forma natural, errando e aprendendo sozinho, tive minha maior evolução nos últimos dois anos quando implementei uma boa dieta à minha rotina (na verdade foi quando evolui de verdade, fui de 60kga para atuais 89kgs!), porém já estava estagnado a um tempo, quando decidi implementar a técnica ponto zero do mestre sardinha, e os resultados estão sendo surpreendentes! Faz um mês que comecei e todos me perguntam se estou usando recursos ergogenicos! Galera vale a pena! Foco que o shape vem!
Baita artigo, parabéns aos administradores da página!

Luis Gustavo Ferreira
Visitante
Luis Gustavo Ferreira

Oras, mas no exercício que o modelo dele está fazendo, eles está usando o “ponto zero” no final da fase concêntrica, e não excêntrica, ao contrário do que consta do texto, ou eu, de fato, não entendi porra nenhuma mesmo…

JUNIOR EDUARDO TORRES
Visitante

Ouvi sobre essa técnica no vídeo do Caio Bottura e só tava esperando o blog postar esse parecer aqui.

Valdemar roberto matano Matano
Visitante
Valdemar roberto matano Matano

Muito boa essas notificações !!!

joaquim aparecido moises
Visitante
joaquim aparecido moises

Tudo que a no mundo da musculação ja existia! porem incrementar e criar novas técnicas se faz necessária.

Diego
Visitante
Diego

Devo usar essa técnica em todo o treino? Ou apenas em 1 ou 2 exercícios por grupo muscular?

sdasda
Visitante
sdasda

Eu sou o elias está com a pegada desalinha na barra W ¬¬

sujas
Visitante
sujas

esse método ja existe chamado super slow onde o mesmo nao tem evidencia rencente e comprovado para hipertrofia.

César Alexandre Vitorino
Visitante
César Alexandre Vitorino

Super slow é outra técnica, não tem nada a ver com ponto zero.

Valdomiro
Visitante
Valdomiro

Na real musculação com contração isométricas existe há muito tempo, o Sardinha inventou um tempinho de “x” segundos encima do que já existia, não há nada de novo sob o Sol.

Rafael Moura Roberti
Visitante
Rafael Moura Roberti

Nada de novo: apenas contração total no ponto zero (e não na excêntrica) e movimentação mecânica sem alavanca elástica. Fora isso, tudo igual