Ir para conteúdo

Clique aqui

krebz

A maioria dos esteróides no Brasil são falsos (pesquisa 2017)

Posts Recomendados

Aviso de antemão que isso vai ser uma tradução feita nas coxas (preguica minha) de:

http://www.ergo-log.com/brazilian-chemical-bodybuilders-have-to-put-up-with-rubbish.html

 

- Como não possuo acesso à pesquisa de verdade, vai com o que temos de informação...

 

Citar

Brazilian chemical bodybuilders have to put up with rubbish

 

Existem tanto lixo no mercado negro da America do Sul como em qualquer outro lugar, observando pela analise de mais de 300 preparações feitas em pela PF Brasileira. A qualidade dos produtos com óleo é particularmente ruim: 65.6% eram duvidosas. 

 

Estudo
Em uma análise de 2013 no instituto nacional de criminalista em brasília foi publicado um estudo que mostrou que por volta de 40% dos esteroides anabólicos no mercado negro do brasil possuíam qualidade duvidosa. Os mesmo pesquisadores publicado uma análise similar na edição de Junho 2017 da Forensic Science International. Os brasileiros analisaram um total de 345 amostras de produtos confiscados pela policia durante 2011-2016.

 

 

 

 

 

Brazilian chemical bodybuilders have to put up with rubbish 

Azul: Capsulas confiscadas

Laranja: Base de óleo

Cinza: Base de água

Brazilian chemical bodybuilders have to put up with rubbish 

Capsulas : 28,7% falsos

Base de óleo: 65,6% falsos

Base de água: 12% falsos

 

Nas capsulas falsas, o que tinha dentro?
Brazilian chemical bodybuilders have to put up with rubbish 
Azul: Nenhum composto ativo

Laranja: Esteroide diferente do prometido

Cinza: Esteroide correto mas sub-dosado

Amarelo: Possuía o que estava na embalagem, mas junto de outro esteroide que não estava na embalagem

 

Nos produtos à base de óleo, o que tinha dentro?
Brazilian chemical bodybuilders have to put up with rubbish 

Azul: Nenhum composto ativo

Laranja: Esteroide diferente do prometido

Cinza: Esteroide correto mas sub-dosado

Amarelo: Possuía o que estava na embalagem, mas junto de outro esteroide que não estava na embalagem

Azul escuro: Nem todos os esteroides mencionados na embalagem

 

Nos produtos à base de água, o que tinha dentro?
Brazilian chemical bodybuilders have to put up with rubbish

Azul: Nenhum composto ativo

Laranja: Esteroide diferente do prometido

Cinza: Esteroide correto mas sub-dosado

 

 

Na América do Sul assim como em todos os lugares apenas experts são capazes de distinguir preparações falsas de verdadeiras apenas pela embalagem. Exemplo de Decaland genuína e falsa são mostradas aqui:Brazilian chemical bodybuilders have to put up with rubbish

 

Conclusão
"Este é um dos maiores estudos disponíveis sobre a análise quantitativa de medicamentos e suplementos contendo ou suspeitos de conter esteroides", escreveu a equipe brasileira. "A grande taxa de falsificações encontradas neste estudo, a maioria produtos de origens não-brasileiras, demandam ações mais incisivas das agências do governo mirando diminuir a disponibilidade do mercado negro mundialmente".

 

"Além do mais, autoridades de saúde devem aumentar a consciência entre os consumidores do mercado negro sobre os riscos potenciais destes produtos."

 

Os pesquisadores estão preocupados. E provavelmente eles deveriam estar mais preocupados se tivessem procurado por metais pesados e outras poluições industriais nestas preparações.  Quando os Laboratórios Northeast  trouxe esteroides para a internet a anos atrás e foi sujeita a uma análise detalhada, foram descobertos que estavam cheio chumbo, estanho, arsênico e solventes tóxicos.

 

Fonte: 
Forensic Sci Int. 2017 Jun;275:272-281.

 

É galera,

ou consigam farmaco

ou confiem MUITO nas suas fontes --> que provavelmente importam da china ou índia os componentes (e até ai podem ser enganados, antes mesmo de cozinhar tudo e revender...)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Nenhuma novidade....se até mesmo produtos fiscalizados pelo governo os caras adulteram e não tão nem aí, imagina produtos underground?!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
14 horas atrás, lsezm disse:

Nenhuma novidade....se até mesmo produtos fiscalizados pelo governo os caras adulteram e não tão nem aí, imagina produtos underground?!

 

Pior que é, eu ja ficaria cabreiro que o pessoal que cozinha já pode estar comprando porcaria já na materia prima (sendo enganado pelas empresas da china/india/russia/etc) e revendendo sem saber, imagina os que adulteram de proposito e só colocam óleo mesmo na cara de pau.

Editado por krebz

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Quem usa droga de farma já corre riscos das doses supra fisiológicas.

 

Agora quem aplica lab under tem que ser seriamente estudado. Insanidade é uma palavra fraca para definir.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Some limitations of the present study must be pointed out. Most of the products were  seized  on  Brazilian  borders  (such  as  Foz  do  Iguaçu,  border  with  Paraguay  and Argentina),  which  means  that  they  may  be  representative  of  black  market  products entering the country, but not products manufactured in Brazil for local distribution. Some samples were intercepted by post offices and they might account for the “internal market”products, but they may also be foreign products that successfully entered the country and are  just  being  distributed. Some  relevant  AAS  were  not  included  in  this  study,  such  as methyltestosterone, trembolone and methenolone, due to difficulties during the standard importing  process  in  Brazil.

 

É bom lerem o artigo completo , as amostras foram dos anos de 2011 -2016 .

 

neves2017.pdf

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 11/26/2017 em 17:44, Luiz.F disse:

Some limitations of the present study must be pointed out. Most of the products were  seized  on  Brazilian  borders  (such  as  Foz  do  Iguaçu,  border  with  Paraguay  and Argentina),  which  means  that  they  may  be  representative  of  black  market  products entering the country, but not products manufactured in Brazil for local distribution. Some samples were intercepted by post offices and they might account for the “internal market”products, but they may also be foreign products that successfully entered the country and are  just  being  distributed. Some  relevant  AAS  were  not  included  in  this  study,  such  as methyltestosterone, trembolone and methenolone, due to difficulties during the standard importing  process  in  Brazil.

 

É bom lerem o artigo completo , as amostras foram dos anos de 2011 -2016 .

 

neves2017.pdf

Valeu pela adição no topico, facilita um monte ter o artigo completo como voce postou. Obrigadao

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

  • Quem Está Navegando   0 membros estão online

    Nenhum usuário registrado visualizando esta página.

×