Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Entendendo HIPOGONADISMO + Relato


Posts Recomendados

E aí, pessoal, tudo certo?
Me propus a escrever "O GUIA DO HIPOGONADISMO", aberto e de forma colaborativa, pra que todos aqui possam comentar e editarei o que possa vir a estar errado ou possa ser escrito de uma maneira melhor.
Farei um resumão de hipogonadismo e eixo HPT, bem mastigadinho e básico, pro cara que não é de Medicina, como eu.


Sabe aquele cara que se cura de câncer e abre uma ONG pra gerar CANCER AWARENESS? (Conscientização sobre o câncer)

Então: não é pra tanto, mas é basicamente isso que to fazendo aqui. Quero trazer mais entendimento e conscientização sobre o HIPOGONADISMO no homem (vulgo testo baixa).

É meu primeiro post aqui. Acompanho o fórum faz muito tempo e minhas leituras aqui, como pra todos vocês, acrescentaram DEMAIS no meu entendimento de nutrição, dieta, academia, suplementação e repouso, e principalmente no entendimento da MINHA CONDIÇÃO DE HIPOGONADISMO. Basicamente me ajudaram no meu maior objetivo pessoal, que é ME OTIMIZAR COMO INDIVÍDUO em tudo que eu puder e for factível. Não sou da área de saúde, então meu conhecimento vem de conversas com profissionais e muita leitura e estudo. Sintam-se à vontade pra complementar o meu texto, criticar, pedir alguma alteração, que estarei feliz em editá-lo e deixar cada vez mais coerente e correto!

Assim, o intuito aqui, depois de absorver tanto conteúdo bom no fórum, é tentar dar de volta alguma singela contribuição, realmente esperando que essas infos aqui ajudem alguém que tenha passado pela mesma merda de qualidade de vida fudida que é o hipogonadismo.

Um dos problemas que encontrei foi muita informação dispersa. Justamente por hipogonadismo englobar milhares de possíveis causas e tomar muitas formas diferentes (primário, com milhares de causas pra ser primário - ou secundário, com milhares de causas pra ser secundário), além da maioria dos médicos em Floripa e Balneario Camboriu (então imagina no interior??) não conseguirem ajudar e entender o problema, resolvi concentrar toda a informação pesquisada aqui, de forma útil e até mastigada, e também contar com a sabedoria coletiva de vocês para melhorar esse texto e corrigir erros.

Vou fazer uma revisão resumida sobre Eixo HPT e sobre o hipogonadismo em si como condição de saúde, causas possíveis, alterações hormonais esperadas e interferências entre substâncias e hormônios. 


Passei por maus bocados aí por quase 3 anos sofrendo de hipogonadismo, e um período dentro desse sofrendo de depressão maior também associada.
Vi que meu caso poderia ter sido resolvido em talvez SEIS MESES, mas demorou 3 anos pela incompetência de diversos médicos: urologistas, (em especial urologistas não me pareceram adequados pra tratar hipogonadismo, não tinham expertise na área), neurologistas (porque meu hipogonadismo era secundário, mais pra frente explico a diferença) e endócrinos (são os médicos mais recomendados pra tratar isso, mas no começo eu não sabia nem o que eu tinha, então não sabia nem pra onde correr, além de passar por alguns médicos bem intencionados mas que não tinham o conhecimento pra resolver).


Hoje em dia ficou tudo muito mais claro pra mim como diagnosticar um hipogonadismo, como definir se é Primário ou Secundário, e como buscar a causa raíz pra tratar. Não que seja fácil, mas vou tentar passar esse know-how pra vocês, na esperança de que ajude alguém na mesma condição pra poder pelo menos conversar melhor com seu médico, entender melhor o que está tomando, o que está sentindo, se está melhorando ou não. 

NÃO É UM GUIA DE TRATAMENTO. 

Somente um médico pode fornecer o tratamento adequado e avaliar a sua condição.

 


COMEÇANDO PELO COMEÇO:
O Hipogonadismo
não é UMA DOENÇA em si. É "uma síndrome", é um conjunto de sintomas relativos à BAIXA TESTOSTERONA (medida pela manhã EM MAIS DE UMA OCASIÃO, pra descartar a possibilidade de um exame sair atipico por questões pontuais, então precisa ser medido mais de uma vez.) necessariamente associada A SINTOMAS CLÍNICOS.
Significa que o nome "hipogonadismo" ingloba TODAS as possíveis causas e patologias associadas com A TESTO BAIXA. E isso pode ser temporário (por estresse, fatores externos, ciclos de anabolizantes), ou seja, todo mundo está sujeito a ele, e com certeza todo homem vai passar por períodos na vida de baixa testosterona, associados à alta gordura corporal (com mais células de gordura, mais tua preciosa testosterona vai ser aromatiza e converter pra estrogênio e hormônios feminilizantes), e todo mundo em situações de estresse, alto cortisol, alta prolactina, altas conversões de testo em E2/DHT, pode ter momentaneamente a testosterona baixa TEMPORARIAMENTE; ou não, que é o problema maior quando estamos falando de hipogonadismo em si (problema de testículo, hipófise ou hipotálamo, que não se resolve sozinho) e não é temporário. Não some de uma semana pra outra ou de um mês pro outro, é crônico.


Só o teste de laboratório de testo baixa não define hipogonadismo se sua qualidade de vida é boa e não tem sintomas.

Testosterona mais baixa não significa necessariamente qualidade de vida menor ou performance pior. Um cara pode ter os níveis basais de testosterona, em estado natural de equilíbrio, mais baixos que de outro cara, e mesmo assim ter mais libido, força, performance, ereções, saúde, bem-estar. Você não deve se avaliar em relação a outras pessoas diretamente dessa forma, mas em relação AO SEU equilíbrio, ao que é natural PRO SEU CORPO. No meu caso com HCG atingi concentrações de 1200 ng/dl de testosterona, enquanto minha testosterona basal normal, quando "doente", era de 150 ng/dl em média, medido mês após mês, ficava sempre entre 100 e ~260. Com Clomid conseguir passar pra 450 em torno de 3 meses e com mais 3 meses pra 768.

Agora, tem vários caras naturais por aí que vivem muito bem com testo de 500 ng/dl. Pra mim, ter chegado a 768 foi muito acima do meu natural (que era deficiente) então senti uma qualidade de vida muito melhor. Então enquanto sofria de hipogonadismo tive testo de 100~260 mas imagino (só especulação minha) que minha TESTO BASAL NATURAL, com 23 anos hoje, deveria ser em torno de uns 500-700, sem nenhum problema, doença, sem deficiencias de vitaminas e minerais, e treinando e comendo bem. Não precisa de 1000 ng/dl, 3000 ng/dl de testo! -- claro que uma testo altíssima dessa tem muito seu mérito, em ciclos controlados, mas quem já sofre de hipogonadismo tem que cuidar ainda mais com alterações hormonais forçadas, pra não inibir ainda mais a produção natural. Os níveis de referência normais, geralmente entre 300-800 já são mais do que suficientes pra UMA VIDA NORMAL, natural, sem sintomas, sem teu corpo te puxar pra trás, sem depressão associada a hipogonadismo, sem diabetes associada a hipogonadismo, também pra ter resultados decentes na musculação (que vai depender da tua CONSISTÊNCIA em treino, dieta, descanso e suplementação, e aqui eu sou só um iniciante-intermediário).

 

Se você acha que sua testo é baixa e quer aumentar ela por razões de performance, ótimo, bola pra frente! Busca fazer direito. Mas não é disso que estamos falando aqui, estamos falando DE PATOLOGIA, DE CONDIÇÃO ATÍPICA com sintomas claros no dia a dia, que são: baixa libido; disfunção erétil; fadiga; cansaço excessivo; sono não te recupera, mesmo assim precisa dormir muito e ainda acorda cansado; 

Logo, por definição, Hipogonadismo = vários exames de testo baixa recorrentes + reclamações de sintomas no dia a dia.

EIXO HPT:
Eixo hipotálamo-pituitária-testículos:
Super-simplificando como a testosterona é criada normalmente no organismo masculino, lembrando que faço Engenharia Química e não Medicina, então podem complementar ou corrigir:

Basicamente a hipófise (também chamada de Pituitária) é uma glândula do tamanho de uma ervilha que, por mecanismos de feedback (vai avaliar se as quantidades dos teus hormônios estão altas ou baixas, e tentar controlar isso pelo chamado feedback), secreta LH (hormônio luteinizante) e FSH (hormônio folículo estimulante).

Em linhas gerais, o trabalho do LH é avisar pros testículos que eles precisam produzir mais testosterona (através das células de Leydig, o que não importa muito aqui)
E o trabalho do FSH é avisar pros testículos aumentarem a espermatogênese, ou seja, fertilidade, concentração, qualidade e mobilidade do esperma.

Vindo de background de Engenharia, gosto de pensar no testículo como "os operários da fábrica". A hipófise seria o gerente, que manda os operários produzirem os produtos: testosterona e esperma. O LH e o FSH seriam AS MENSAGENS que mandam o operário produzir e O QUE produzir.
 

Assim, Hipófise (gerente) viu que precisamos aumentar a testosterona (produto), assim, ela manda uma mensagem pra aumentar a produção de testosterona (essa mensagem é o LH) e o operário (testículo) produz mais. Mesma coisa pro FSH (mensagem) pra produzir mais esperma.

Da mesma forma, se a testosterona estiver muito acima do normal, a hipófise, como um gerente de fábrica, quer evitar superprodução e estoque, e manda, reduzindo o LH, que o testículo produza menos testosterona.

Assim, em um organismo normal o que deveria acontecer é:
Aumentar LH ---> Aumenta testosterona  
Aumentar FSH ---> Aumenta espermatogênese


Aqui alguém pode pensar que é tudo muito fácil e simples.
Se aumentar LH aumenta a testosterona, então:

Pergunta: "Ahhh, que legal, Lorenzo! Então, eu, um homem normal, sem hipogonadismo, vou simplesmente aumentar meu LH absurdamente, socar LH pra dentro, me entupir de Clomid (clomid age como se fosse o LH no corpo), e minha testo vai explodir e aumentar indefinidamente sem necessidade de ciclo anabólico???"
Resposta: Obviamente não e a vida não é tão fácil. Se você for um homem normal, com o eixo HPT em dia, você vai, SIM! conseguir um aumento em testosterona tomando Clomid/aumentando seu LH, mas isso é temporário e NÃO VAI SER ACIMA DOS TEUS LIMITES NORMAIS. Como já foi dito, a hipófise trabalha em sistema de feedback, nesse caso feedback negativo, que significa que quanto mais ela notar que alguma coisa existe, mais ela vai responder DE FORMA NEGATIVA, assim, se tu forçar teu LH a subir, pra forçar a testosterona a aumentar, tua hipófise naturalmente vai baixar a produção de LH. A hipófise vai pensar "Ah, já tem bastante testosterona, então não preciso sinalizar pro testículo pra produzir mais testo. Então vou baixar a concentração de LH."

 

E se mesmo assim tu continuar jogando LH de fora do corpo pra dentro e aumentar tua testosterona, teu corpo vai forçar a testosterona a baixa pros limites mais normais, seja aromatizando pra estrogênio (feminilização, possível ginecomastia), seja reduzindo pra DHT (queda de cabelo, etc.), seja aumentando a prolactina (ginecomastia, baixíssima libido, etc), que são os mesmos efeitos de um ciclo de esteróides anabolizantes. Você está botando coisa exógena, e teu corpo naturalmente tende a querer buscar o equilíbrio, quer ficar nos níveis normais, então tende a bloquear essa quantidade extra da forma que conseguir. (Não tirando o mérito de ciclos anabolizantes. Só explicando que elevar a testosterona NECESSARIAMENTE faz o corpo querer buscar baixar ela, levando pra DHT, E2; aumentando prolactina, etc. Isso é um fato! Se você pode ou não bloquear isso é outra coisa. Os ciclos TEM SIM muito seu mérito em performance, sendo feitos de maneira controlada e planejada, com devida TPC).
Agora, PODE SER, SIM, que um homem normal, saudável, se beneficie de uma dose baixa-média de clomid pra aumentar sua testosterona, dando "uma ajudinha" básica na produção e elevando pouco mas significativamente a concentração de Testo. Mas não estou afirmando isso. Acho que é provável e possível, sim, mas precisaríamos dar uma lida em estudos de Clomid em homens saudáveis (procurem no Scielo, ScienceDirect, etc. ) e não posso fazer isso agora, mas também fiquei curioso nesse ponto pra ler mais no futuro.


Ou seja, melhorando nossa ilustração:

Aumentar LH ---> Aumenta testosterona  
Aumentar FSH ---> Aumenta espermatogênese

MAAAAAASSSSSSSS
Aumentar Testosterona  ---> Diminui LH

Aumentar Testosterona ---> Aumenta conversão em estrogênio, DHT, pode aumentar Prolactina
Aumentar Espermatogênese ---> Diminui FSH

 

Lembre que o corpo sempre busca o equilíbrio! Agora, se você quer otimizar o corpo, e trabalhar um pouco acima do seu equilíbrio natural, ou seja, aumentar a produtividade e as funções, sempre é possível. Mas busque se pautar em ciência, empirismo, e entenda que isso deve carregar consequências indesejadas junto, aí cabe a você analisar se está disposto a arcar com elas ou se consegue bloquear elas.

Seu corpo é seu bem mais precioso. Usar ele pra "chutes", sem conhecimento, no acerto-ou-erro, não é a melhor ideia quando estamos falando de sistemas que podem trazer danos irreversíveis (sistema hormonal, neurológico, etc.).

Ok, então voltando ao HPT, queremos naturalmente níveis normais-altos (pense "classe média alta, ou um pouco rico; mas nada exagerado ou baixo") de testosterona, obviamente, com níveis normais-altos de LH, pra ter níveis saudáveis de testosterona sendo produzida e também queremos níveis normais-altos de FSH, pra ter uma boa fertilidade como macho reprodutor. Queremos também níveis de referência adequados de estrogênios (no fórum tem bastante info sobre isso, e em geral recomendam ter uma relação testosterona/E2 de 25 ou 30, ou seja, 25 ou 30 vezes mais testosterona que estriol) e níveis adequados de hormônio da hipófise, T3, T4 e também de DHT e DHEA.

Parece bastante coisa, mas vamos por partes, focando em geral só na Testo e LH.

 

 

EXCLUINDO CAUSAS PARALELAS

Antes de começar a se aprofundar no hipogonadismo, ANTES DE PENSAR EM TRATAMENTO, em saber se é primário ou secundário, primeiro precisamos passar a NAVALHA DE OCCAM.

Se você vê um cavalo listrado preto e branco, você assume que é uma zebra, e não um cavalo pintado. Começa buscando o mais óbvio e mais fácil.

Vamos EXCLUIR todas as outras alternativas paralelas que poderiam estar causando esses sintomas. Vamos fazer um check-up geral.

Verifique se tem anemia, se tem deficiência de qualquer vitamina que seja (em especial Vitamina D, que é comum a deficiência e está relacionada com produção de testosterona, e também vitaminas do complexo B ), níveis dede ferro, se teu hemograma tá em dia, glicemia em dia, colesterol em dia.

Cheque os níveis de PROLACTINA, em especial também os HORMÔNIOS DA TIREÓIDE, TSH, t3, t4. Seu médico vai entender dessa parte e te ajudar.

Esses sintomas poderiam facilmente estar relacionados com diabetes, com problemas da tireóide, e muitas outras causas. Então primeiro averigue O BÁSICO!

Exame de sangue, vitaminas (especial complexo B e vit. D), hemograma, colesterol, glicemia, hormônios sexuais (LH, FSH, estriol, progesterona, testo, testo livre, SHBG, DHEA, DHT...), hormônios da tireóide (TSH,T3, T4...). 

Consulte seu médico. Eu não sou médico.

 

Avalie todos os fatores mais comuns que poderiam estar causando problema. Inclusive pode achar outros desbalanços do teu sistema corporal que você nem tava ciente e podem estar te jogando pra baixo. Esse check-up geral é IMPORTANTÍSSIMO, a ser realizado pelo menos uma vez em cada fase da vida, como sugestão. A cada 5 anos, por que não?

Se você não fez nenhum desses exames, poderia ser interessante, caso tenha sintomas ou sinta que poderia estar trabalhando numa capacidade maior, ao menos fazer os exames pra pelo menos descartar essas hipóteses, caso esteja tudo certo.

 

Hipogonadismo está altamente associado à depressão e à Diabetes. Então cuidado com essas duas.

SEPARANDO HIPOGONADISMO PRIMÁRIO DE SECUNDÁRIO

Bom, então você foi diagnosticado com hipogonadismo, certo?

O que eu levei mais de 2 anos pra descobrir, coisa que meus médicos nunca mencionaram por possivelmente falta de especialização nessa área, foi que o próximo passo lógico seria determinar se o hipogonadismo é PRIMÁRIO ou SECUNDÁRIO.

Primário ou secundário se refere à ORIGEM ANATÔMICA do problema. Basicamente se teu problema é no testículo ou no cérebro.

 

HIPOGONADISMO PRIMÁRIO

Se chama hipogonadismo PRIMÁRIO aquele hipogonadismo comprovado (exames de testo baixa + reclamações de sintomas) causado por problemas NO TESTÍCULO.
 

Em torno de 95% da testosterona do homem é produzida no testículo, então se você não tiver um testículo, for um eunuco castrado, basicamente você vai sofrer de hipogonadismo, e esse hipogonadismo vai ser primário porque está associado a um problema de testículo - nesse caso específico a falta deles.

Mesmo sem testículo você ainda produz alguma testosterona, mas como em torno de 95% dela vem do testículo, não dá pra depender dos 5%.

 

Outras razões pro seu hipogonadismo ser primário podem ser, além da castração: trauma físico (sendo bem chulo: transou muitas vezes bêbado, anfetaminado, pegando a mina, por ex. de 4, posição em que a bolsa escrotal vai receber diversas pancadas no movimento de vai-e-vem, colidindo com a moça. Pode machucar!! Mas não precisam ficar com medo disso, teria que ser muito recorrente, forte, doloroso e absurdo, só com álcool ou anf pra não parar mesmo com as dores), pode ser causado também por alguma espécia de tumor (e a origem do tumor pode ser diversa: Radiação, propensão genética, xenoestrógenos, etc. - inclusive um dos urologistas que visitei, vou contar no relato, me disse que eu tinha um tumor na bola, praticamente DO NADA, e fazendo ultrassom descobri que era só um cisto).


A ideia aqui é a seguinte: AVERIGUE seus testículos caso tenha hipogonadismo. O caminho mais prático é um ultrassom do testículo, pra verificar se as gônadas, epidídimo, etc., estão todos OK e saudáveis.

 

O que se espera no exame de sangue: vamos voltar ao Eixo HPT. Sua produção de testosterona depende da hipófise e do testículo. Aqui, sua hipófise é saudável e atua OK, mas seu testículo tem problemas. Então o que vai acontecer? O testículo não consegue produzir testosterona, a testosterona no organismo fica baixa, a hipófise percebe isso e secreta LH pra sinalizar pro testículo produzir mais testo, mas ele não consegue produzir mais (ou não existe), e aí a hipófise secreta mais LH, mas o testículo não consegue produzir mais, e a hipófise secreta mais LH......................................... Mesma coisa para o FSH, onde a hipófise tenta aumentar a espermatogênese, já que sem testículo ou com testículo prejudicado você está infértil ou com muito baixa fertilidade, mas sem sucesso.

 

Espera-se no exame de sangue do Hipogonadismo Primário: testo baixa + LH ALTO + FSH ALTO

Como seu problema é no testículo, pra retornar a produção de testosterona ou você coloca testículos de volta, caso não tenha, aí dependeria de um transplante de testículo, que acho que nem fazem, por falta de tecnologia suficientemente avançada ou porque é imprático, não sei. Ou precisaria expurgar algum tumor/lesão e ver se o testículo volta ao normal, o que é difícil.

Por isso, em geral, pra Hipogonadismo primário o tratamento mais comum é a TRT - Terapia de Reposição Hormonal. Você vai repor testosterona, colocando testosterona exógena, de fora do corpo, pra ficar com uma concentração normal de testosterona e conseguir viver uma vida normal. Resolve praticamente todos os seus problemas!

Mas pensando pela hipófise, que está saudável, se você repor testosterona, vai acontecer o seguinte:
Você põe testo de fora, então seus níveis ficam normais-altos, aí a hipófise entende que não precisa sinalizar mais pros testículos produzirem testosterona, então ela reduz o LH. Até aí tudo bem, já que, enquanto você tiver dinheiro e colocar testosterona de fora, não precisa mais do LH mesmo. O problema está na redução simultânea do FSH. Como a hipófise também vai reduzir o FSH, você vai ter uma espermatogênese diminuída e tende a infertilidade. Se você já não tem testículos, já sabia disso faz tempo e não é problema, mas se tem testículos que funcionam parcialmente, pode querer tentar retornar a fertilidade por algum método médico. 

É ISSO que acontece nos ciclos esteróides: a hipófise vai buscar baixar o LH e FSH (além de aumentar conversão de testosterona em estrogenios, DHT, aumentar prolactina), e quando você PARA o ciclo, para de colocar testo externa, teu corpo ainda não tá produzindo testosterona normalmente. Mas como o cara é saudavel, novamente, o corpo tende ao equilíbrio, e só vai demorar um tempinho pra se ajustar, mas por isso é tão importante a TERAPIA PÓS CICLO! Pra retornar o Eixo HPT literalmente "aos eixos".
E por isso que os remédios para hipogonadismo se assemelham e na maioria dos casos são os mesmos remédios utilizados tanto pra hipogonadismo como pra TPC!
Só lembrando que acontece uma certa dessensibilização dos hormônios no uso prolongado, recorrente e contínuo de esteróides, então, teoricamente, pelo que a informação por aí diz, fazendo uso recorrente e prolongado de AEs, seu corpo tende, sim, a voltar ao equilíbrio, mas vai acontecendo também uma "degradação", uma dessensibilização, e cada vez que você "volta ao equilíbrio", seu nível natural (de testo, de produtividade do testículo e hipófise) é um pouco menor e mais fraco do que era antes. Por isso o cuidado com abuso, mesmo de forma controlada, pra quem quer viver naturalmente sem TRT - que não é nenhum problema viver com TRT. Um milhão de vezes melhor TRT do que hipogonadismo, não tem nem comparação, TRT não é algo ruim per se.

 

 

HIPOGONADISMO SECUNDÁRIO

Agora o problema do paciente não é nos testículos em si.
Descobriu que não é primário pelo exame de sangue/pelo ultrassom/por estimulação do testículo com HCG/Clomid, etc.

Como saber se os testículos respondem bem?

Se você estimular a produção natural de testosterona (por meio de teste com HCG, GnRH, clomifeno. FONTE MUITO BOA SOBRE ISSO: http://www.sergiofranco.com.br/bioinforme/index.asp?cs=Endocrinologia&ps=testesFuncionaisGonadas), e a produção de testosterona RESPONDER ADEQUADAMENTE, em conjunto com os níveis de LH e FSH respondendo adequadamente, você já pode entender que SEU TESTÍCULO É SAUDÁVEL, e se ainda assim você tem hipogonadismo, então ele deve ser secundário, e você deve concentrar sua busca por soluções na hipófise e no hipotálamo.

Aqui, o ecodoppler/ultrassom da bolsa escrotal mostrou que o volume dos testículos é normal, que não tem nenhum tumor ou nada errado, mas foi constatado problema no cérebro. No hipotálamo ou na hipófise POR RESSONANCIA MAGNETICA.

 

A ideia aqui é a seguinte: AVERIGUE seu cérebro. O caminho mais prático é uma Ressonância Magnética de crânio, da sela túrcica, pra averiguar a hipófise.

 

O que se espera identificar no exame de sangue?

Novamente, vamos voltar ao Eixo HPT e olhar pela óptica dele: se a testosterona, por motivo qualquer, está muito baixa, o que deve acontecer é que a hipófise deve secretar mais LH pra sinalizar pro testículo que ele deve produzir mais testosterona.

PORÉM, AQUI, no hipogonadismo secundário, o testículo é saudável, então se mandar ele produzir mais testo, ELE VAI PRODUZIR. O problema aqui é a hipófise ou hipotálamo mal-funcionando. A hipófise OU NÃO PERCEBE que precisa estimular a produção de testosterona (no meu caso um prolactinoma secretava prolactina que atrapalhava o funcionamento da hipófise), ou simplesmente não estimula, está defeituosa. Para cada caso um tratamento diferente. Assim, a testo do cara está baixa, e a hipófise não manda produzir mais. Ela não aumenta o LH e o FSH.

 

Espera-se no exame de sangue do Hipogonadismo SECUNDÁRIO: testo baixa + LH BAIXO/normal + FSH BAIXO/normal

Aqui tá o pulo do gato! Notou a diferença em relação ao hipogonadismo primário??
Pelo exame de hormônios sexuais já dá pra começar a estudar melhor o caso avaliando NÃO SÓ A TESTO BAIXA, mas se o LH/FSH estão muito altos (primário) ou baixos/normais (hipog. secundário). 



E o hipotálamo?


Até agora não falamos do Hipotálamo nenhuma vez, fomos falando do Eixo HPT de trás pra frente: primeiro do testículo, depois da hipófise, agora falaremos um pouquinho do hipotálamo. A sinalização de testosterona, antes ainda da hipófise, funciona pela sinalização DO HIPOTÁLAMO , através de GnRH (O teste de GnRH que botei o link antes está relacionado com hipo-pituitarismo, baixo funcionamento da hipófise). Naquela minha analogia, é como se o Hipotálamo fosse "O DIRETOR" da indústria, e o GnRH (como o LH e o FSH também) é UMA MENSAGEM.

Assim, deveria acontecer: Hipotálamo -> Hipófise -> Testículo.
Hipotálamo, através da mensagem chamada GnRH, manda a Hipófise, que através da mensagem LH, manda o testículo, produzir mais testosterona.
Então aqui agente nota que, já que o problema não tá no testículo, ou ele tá na hipófise ou tá no hipotálamo.

 

Caso a) Se o problema estiver na hipófise, significa que ou ela NÃO PRODUZ LH e FSH, porque é
a1) Hipófise incapaz (como no caso do hipogonadismo primário o testículo é incapaz, aqui a hipófise é incapaz), o que pode ser verificado através do teste de GnRH. Que basicamente estimula a hipófise.
A hipófise saudável, quando estimulada com GnRH, vai aumentar a produção de LH e FSH,e se ela não for saudável ela não vai responder ao GnRH.
a2) Agora, se A HIPÓFISE É SAUDÁVEL, o problema pode ser externo, de alguma coisa bloqueando o funcionamento dela, como um prolactinoma, onde a Prolactina muito alta faz com que a hipófise saudável não entenda que tem que produzir mais testosterona. No meu caso eu tive um adenoma de hipófise, um prolactinoma, que é tratado com Cabergolina. Mas você tem que ver com seu neurologista qual o seu caso e qual o tratamento adequado.

b ) Hipotálamo incapaz: tumor ou alguma alteração no hipotálamo em si e na secreção do GnRH. Não sei muito dessa parte, então se alguém quiser expandir aqui eu edito.

Teste do estímulo com Clomifeno pode atestar se o problema é de fato de patologia hipotalâmica. Ver TESTE DE CLOMIFENO: http://www.sergiofranco.com.br/bioinforme/index.asp?cs=Endocrinologia&ps=testesFuncionaisGonadas

 

Essa parte cerebral deve ser avaliada pelo seu médico, em especial neurologistas para averiguar as ressonâncias magnéticas, em conjunto com seu endócrinologista que tratará o hipogonadismo como um todo e avaliará seu eixo hormonal.

 

Lembrando que se houver qualquer erro no texto, ou se alguém quiser que eu adapte algo pra facilitara leitura e entendimento é só falar!

Realmente espero que isso ajude a trazer do fundo do poço aqueles caras que sofrem com hipogonadismo, e muitas vezes nem sabem direito o que tá acontecendo.

 

Um abraço a todos!

Editado por Lorenzo Matteo
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Publicidade

Em 26/10/2016 at 13:57, Lorenzo Matteo disse:

E aí, pessoal, tudo certo?
Me propus a escrever "O GUIA DO HIPOGONADISMO", aberto e de forma colaborativa, pra que todos aqui possam comentar e editarei o que possa vir a estar errado ou possa ser escrito de uma maneira melhor.
Farei um resumão de hipogonadismo e eixo HPT, bem mastigadinho e básico, pro cara que não é de Medicina, como eu.


Sabe aquele cara que se cura de câncer e abre uma ONG pra gerar CANCER AWARENESS? (Conscientização sobre o câncer)

Então: não é pra tanto, mas é basicamente isso que to fazendo aqui. Quero trazer mais entendimento e conscientização sobre o HIPOGONADISMO no homem (vulgo testo baixa).

É meu primeiro post aqui. Acompanho o fórum faz muito tempo e minhas leituras aqui, como pra todos vocês, acrescentaram DEMAIS no meu entendimento de nutrição, dieta, academia, suplementação e repouso, e principalmente no entendimento da MINHA CONDIÇÃO DE HIPOGONADISMO. Basicamente me ajudaram no meu maior objetivo pessoal, que é ME OTIMIZAR COMO INDIVÍDUO em tudo que eu puder e for factível. Não sou da área de saúde, então meu conhecimento vem de conversas com profissionais e muita leitura e estudo. Sintam-se à vontade pra complementar o meu texto, criticar, pedir alguma alteração, que estarei feliz em editá-lo e deixar cada vez mais coerente e correto!

Assim, o intuito aqui, depois de absorver tanto conteúdo bom no fórum, é tentar dar de volta alguma singela contribuição, realmente esperando que essas infos aqui ajudem alguém que tenha passado pela mesma merda de qualidade de vida fudida que é o hipogonadismo.

Um dos problemas que encontrei foi muita informação dispersa. Justamente por hipogonadismo englobar milhares de possíveis causas e tomar muitas formas diferentes (primário, com milhares de causas pra ser primário - ou secundário, com milhares de causas pra ser secundário), além da maioria dos médicos em Floripa e Balneario Camboriu (então imagina no interior??) não conseguirem ajudar e entender o problema, resolvi concentrar toda a informação pesquisada aqui, de forma útil e até mastigada, e também contar com a sabedoria coletiva de vocês para melhorar esse texto e corrigir erros.

Vou fazer uma revisão resumida sobre Eixo HPT e sobre o hipogonadismo em si como condição de saúde, causas possíveis, alterações hormonais esperadas e interferências entre substâncias e hormônios. 


Passei por maus bocados aí por quase 3 anos sofrendo de hipogonadismo, e um período dentro desse sofrendo de depressão maior também associada.
Vi que meu caso poderia ter sido resolvido em talvez SEIS MESES, mas demorou 3 anos pela incompetência de diversos médicos: urologistas, (em especial urologistas não me pareceram adequados pra tratar hipogonadismo, não tinham expertise na área), neurologistas (porque meu hipogonadismo era secundário, mais pra frente explico a diferença) e endócrinos (são os médicos mais recomendados pra tratar isso, mas no começo eu não sabia nem o que eu tinha, então não sabia nem pra onde correr, além de passar por alguns médicos bem intencionados mas que não tinham o conhecimento pra resolver).


Hoje em dia ficou tudo muito mais claro pra mim como diagnosticar um hipogonadismo, como definir se é Primário ou Secundário, e como buscar a causa raíz pra tratar. Não que seja fácil, mas vou tentar passar esse know-how pra vocês, na esperança de que ajude alguém na mesma condição pra poder pelo menos conversar melhor com seu médico, entender melhor o que está tomando, o que está sentindo, se está melhorando ou não. 

NÃO É UM GUIA DE TRATAMENTO. 

Somente um médico pode fornecer o tratamento adequado e avaliar a sua condição.

 


COMEÇANDO PELO COMEÇO:
O Hipogonadismo
não é UMA DOENÇA em si. É "uma síndrome", é um conjunto de sintomas relativos à BAIXA TESTOSTERONA (medida pela manhã EM MAIS DE UMA OCASIÃO, pra descartar a possibilidade de um exame sair atipico por questões pontuais, então precisa ser medido mais de uma vez.) necessariamente associada A SINTOMAS CLÍNICOS.
Significa que o nome "hipogonadismo" ingloba TODAS as possíveis causas e patologias associadas com A TESTO BAIXA. E isso pode ser temporário (por estresse, fatores externos, ciclos de anabolizantes), ou seja, todo mundo está sujeito a ele, e com certeza todo homem vai passar por períodos na vida de baixa testosterona, associados à alta gordura corporal (com mais células de gordura, mais tua preciosa testosterona vai ser aromatiza e converter pra estrogênio e hormônios feminilizantes), e todo mundo em situações de estresse, alto cortisol, alta prolactina, altas conversões de testo em E2/DHT, pode ter momentaneamente a testosterona baixa TEMPORARIAMENTE; ou não, que é o problema maior quando estamos falando de hipogonadismo em si (problema de testículo, hipófise ou hipotálamo, que não se resolve sozinho) e não é temporário. Não some de uma semana pra outra ou de um mês pro outro, é crônico.


Só o teste de laboratório de testo baixa não define hipogonadismo se sua qualidade de vida é boa e não tem sintomas.

Testosterona mais baixa não significa necessariamente qualidade de vida menor ou performance pior. Um cara pode ter os níveis basais de testosterona, em estado natural de equilíbrio, mais baixos que de outro cara, e mesmo assim ter mais libido, força, performance, ereções, saúde, bem-estar. Você não deve se avaliar em relação a outras pessoas diretamente dessa forma, mas em relação AO SEU equilíbrio, ao que é natural PRO SEU CORPO. No meu caso com HCG atingi concentrações de 1200 ng/dl de testosterona, enquanto minha testosterona basal normal, quando "doente", era de 150 ng/dl em média, medido mês após mês, ficava sempre entre 100 e ~260. Com Clomid conseguir passar pra 450 em torno de 3 meses e com mais 3 meses pra 768.

Agora, tem vários caras naturais por aí que vivem muito bem com testo de 500 ng/dl. Pra mim, ter chegado a 768 foi muito acima do meu natural (que era deficiente) então senti uma qualidade de vida muito melhor. Então enquanto sofria de hipogonadismo tive testo de 100~260 mas imagino (só especulação minha) que minha TESTO BASAL NATURAL, com 23 anos hoje, deveria ser em torno de uns 500-700, sem nenhum problema, doença, sem deficiencias de vitaminas e minerais, e treinando e comendo bem. Não precisa de 1000 ng/dl, 3000 ng/dl de testo! -- claro que uma testo altíssima dessa tem muito seu mérito, em ciclos controlados, mas quem já sofre de hipogonadismo tem que cuidar ainda mais com alterações hormonais forçadas, pra não inibir ainda mais a produção natural. Os níveis de referência normais, geralmente entre 300-800 já são mais do que suficientes pra UMA VIDA NORMAL, natural, sem sintomas, sem teu corpo te puxar pra trás, sem depressão associada a hipogonadismo, sem diabetes associada a hipogonadismo, também pra ter resultados decentes na musculação (que vai depender da tua CONSISTÊNCIA em treino, dieta, descanso e suplementação, e aqui eu sou só um iniciante-intermediário).

 

Se você acha que sua testo é baixa e quer aumentar ela por razões de performance, ótimo, bola pra frente! Busca fazer direito. Mas não é disso que estamos falando aqui, estamos falando DE PATOLOGIA, DE CONDIÇÃO ATÍPICA com sintomas claros no dia a dia, que são: baixa libido; disfunção erétil; fadiga; cansaço excessivo; sono não te recupera, mesmo assim precisa dormir muito e ainda acorda cansado; 

Logo, por definição, Hipogonadismo = vários exames de testo baixa recorrentes + reclamações de sintomas no dia a dia.

EIXO HPT:
Eixo hipotálamo-pituitária-testículos:
Super-simplificando como a testosterona é criada normalmente no organismo masculino, lembrando que faço Engenharia Química e não Medicina, então podem complementar ou corrigir:

Basicamente a hipófise (também chamada de Pituitária) é uma glândula do tamanho de uma ervilha que, por mecanismos de feedback (vai avaliar se as quantidades dos teus hormônios estão altas ou baixas, e tentar controlar isso pelo chamado feedback), secreta LH (hormônio luteinizante) e FSH (hormônio folículo estimulante).

Em linhas gerais, o trabalho do LH é avisar pros testículos que eles precisam produzir mais testosterona (através das células de Leydig, o que não importa muito aqui)
E o trabalho do FSH é avisar pros testículos aumentarem a espermatogênese, ou seja, fertilidade, concentração, qualidade e mobilidade do esperma.

Vindo de background de Engenharia, gosto de pensar no testículo como "os operários da fábrica". A hipófise seria o gerente, que manda os operários produzirem os produtos: testosterona e esperma. O LH e o FSH seriam AS MENSAGENS que mandam o operário produzir e O QUE produzir.
 

Assim, Hipófise (gerente) viu que precisamos aumentar a testosterona (produto), assim, ela manda uma mensagem pra aumentar a produção de testosterona (essa mensagem é o LH) e o operário (testículo) produz mais. Mesma coisa pro FSH (mensagem) pra produzir mais esperma.

Da mesma forma, se a testosterona estiver muito acima do normal, a hipófise, como um gerente de fábrica, quer evitar superprodução e estoque, e manda, reduzindo o LH, que o testículo produza menos testosterona.

Assim, em um organismo normal o que deveria acontecer é:
Aumentar LH ---> Aumenta testosterona  
Aumentar FSH ---> Aumenta espermatogênese


Aqui alguém pode pensar que é tudo muito fácil e simples.
Se aumentar LH aumenta a testosterona, então:

Pergunta: "Ahhh, que legal, Lorenzo! Então, eu, um homem normal, sem hipogonadismo, vou simplesmente aumentar meu LH absurdamente, socar LH pra dentro, me entupir de Clomid (clomid age como se fosse o LH no corpo), e minha testo vai explodir e aumentar indefinidamente sem necessidade de ciclo anabólico???"
Resposta: Obviamente não e a vida não é tão fácil. Se você for um homem normal, com o eixo HPT em dia, você vai, SIM! conseguir um aumento em testosterona tomando Clomid/aumentando seu LH, mas isso é temporário e NÃO VAI SER ACIMA DOS TEUS LIMITES NORMAIS. Como já foi dito, a hipófise trabalha em sistema de feedback, nesse caso feedback negativo, que significa que quanto mais ela notar que alguma coisa existe, mais ela vai responder DE FORMA NEGATIVA, assim, se tu forçar teu LH a subir, pra forçar a testosterona a aumentar, tua hipófise naturalmente vai baixar a produção de LH. A hipófise vai pensar "Ah, já tem bastante testosterona, então não preciso sinalizar pro testículo pra produzir mais testo. Então vou baixar a concentração de LH."

 

E se mesmo assim tu continuar jogando LH de fora do corpo pra dentro e aumentar tua testosterona, teu corpo vai forçar a testosterona a baixa pros limites mais normais, seja aromatizando pra estrogênio (feminilização, possível ginecomastia), seja reduzindo pra DHT (queda de cabelo, etc.), seja aumentando a prolactina (ginecomastia, baixíssima libido, etc), que são os mesmos efeitos de um ciclo de esteróides anabolizantes. Você está botando coisa exógena, e teu corpo naturalmente tende a querer buscar o equilíbrio, quer ficar nos níveis normais, então tende a bloquear essa quantidade extra da forma que conseguir. (Não tirando o mérito de ciclos anabolizantes. Só explicando que elevar a testosterona NECESSARIAMENTE faz o corpo querer buscar baixar ela, levando pra DHT, E2; aumentando prolactina, etc. Isso é um fato! Se você pode ou não bloquear isso é outra coisa. Os ciclos TEM SIM muito seu mérito em performance, sendo feitos de maneira controlada e planejada, com devida TPC).
Agora, PODE SER, SIM, que um homem normal, saudável, se beneficie de uma dose baixa-média de clomid pra aumentar sua testosterona, dando "uma ajudinha" básica na produção e elevando pouco mas significativamente a concentração de Testo. Mas não estou afirmando isso. Acho que é provável e possível, sim, mas precisaríamos dar uma lida em estudos de Clomid em homens saudáveis (procurem no Scielo, ScienceDirect, etc. ) e não posso fazer isso agora, mas também fiquei curioso nesse ponto pra ler mais no futuro.


Ou seja, melhorando nossa ilustração:

Aumentar LH ---> Aumenta testosterona  
Aumentar FSH ---> Aumenta espermatogênese

MAAAAAASSSSSSSS
Aumentar Testosterona  ---> Diminui LH

Aumentar Testosterona ---> Aumenta conversão em estrogênio, DHT, pode aumentar Prolactina
Aumentar Espermatogênese ---> Diminui FSH

 

Lembre que o corpo sempre busca o equilíbrio! Agora, se você quer otimizar o corpo, e trabalhar um pouco acima do seu equilíbrio natural, ou seja, aumentar a produtividade e as funções, sempre é possível. Mas busque se pautar em ciência, empirismo, e entenda que isso deve carregar consequências indesejadas junto, aí cabe a você analisar se está disposto a arcar com elas ou se consegue bloquear elas.

Seu corpo é seu bem mais precioso. Usar ele pra "chutes", sem conhecimento, no acerto-ou-erro, não é a melhor ideia quando estamos falando de sistemas que podem trazer danos irreversíveis (sistema hormonal, neurológico, etc.).

Ok, então voltando ao HPT, queremos naturalmente níveis normais-altos (pense "classe média alta, ou um pouco rico; mas nada exagerado ou baixo") de testosterona, obviamente, com níveis normais-altos de LH, pra ter níveis saudáveis de testosterona sendo produzida e também queremos níveis normais-altos de FSH, pra ter uma boa fertilidade como macho reprodutor. Queremos também níveis de referência adequados de estrogênios (no fórum tem bastante info sobre isso, e em geral recomendam ter uma relação testosterona/E2 de 25 ou 30, ou seja, 25 ou 30 vezes mais testosterona que estriol) e níveis adequados de hormônio da hipófise, T3, T4 e também de DHT e DHEA.

Parece bastante coisa, mas vamos por partes, focando em geral só na Testo e LH.

 

 

EXCLUINDO CAUSAS PARALELAS

Antes de começar a se aprofundar no hipogonadismo, ANTES DE PENSAR EM TRATAMENTO, em saber se é primário ou secundário, primeiro precisamos passar a NAVALHA DE OCCAM.

Se você vê um cavalo listrado preto e branco, você assume que é uma zebra, e não um cavalo pintado. Começa buscando o mais óbvio e mais fácil.

Vamos EXCLUIR todas as outras alternativas paralelas que poderiam estar causando esses sintomas. Vamos fazer um check-up geral.

Verifique se tem anemia, se tem deficiência de qualquer vitamina que seja (em especial Vitamina D, que é comum a deficiência e está relacionada com produção de testosterona, e também vitaminas do complexo B ), níveis dede ferro, se teu hemograma tá em dia, glicemia em dia, colesterol em dia.

Cheque os níveis de PROLACTINA, em especial também os HORMÔNIOS DA TIREÓIDE, TSH, t3, t4. Seu médico vai entender dessa parte e te ajudar.

Esses sintomas poderiam facilmente estar relacionados com diabetes, com problemas da tireóide, e muitas outras causas. Então primeiro averigue O BÁSICO!

Exame de sangue, vitaminas (especial complexo B e vit. D), hemograma, colesterol, glicemia, hormônios sexuais (LH, FSH, estriol, progesterona, testo, testo livre, SHBG, DHEA, DHT...), hormônios da tireóide (TSH,T3, T4...). 

Consulte seu médico. Eu não sou médico.

 

Avalie todos os fatores mais comuns que poderiam estar causando problema. Inclusive pode achar outros desbalanços do teu sistema corporal que você nem tava ciente e podem estar te jogando pra baixo. Esse check-up geral é IMPORTANTÍSSIMO, a ser realizado pelo menos uma vez em cada fase da vida, como sugestão. A cada 5 anos, por que não?

Se você não fez nenhum desses exames, poderia ser interessante, caso tenha sintomas ou sinta que poderia estar trabalhando numa capacidade maior, ao menos fazer os exames pra pelo menos descartar essas hipóteses, caso esteja tudo certo.

 

Hipogonadismo está altamente associado à depressão e à Diabetes. Então cuidado com essas duas.

SEPARANDO HIPOGONADISMO PRIMÁRIO DE SECUNDÁRIO

Bom, então você foi diagnosticado com hipogonadismo, certo?

O que eu levei mais de 2 anos pra descobrir, coisa que meus médicos nunca mencionaram por possivelmente falta de especialização nessa área, foi que o próximo passo lógico seria determinar se o hipogonadismo é PRIMÁRIO ou SECUNDÁRIO.

Primário ou secundário se refere à ORIGEM ANATÔMICA do problema. Basicamente se teu problema é no testículo ou no cérebro.

 

HIPOGONADISMO PRIMÁRIO

Se chama hipogonadismo PRIMÁRIO aquele hipogonadismo comprovado (exames de testo baixa + reclamações de sintomas) causado por problemas NO TESTÍCULO.
 

Em torno de 95% da testosterona do homem é produzida no testículo, então se você não tiver um testículo, for um eunuco castrado, basicamente você vai sofrer de hipogonadismo, e esse hipogonadismo vai ser primário porque está associado a um problema de testículo - nesse caso específico a falta deles.

Mesmo sem testículo você ainda produz alguma testosterona, mas como em torno de 95% dela vem do testículo, não dá pra depender dos 5%.

 

Outras razões pro seu hipogonadismo ser primário podem ser, além da castração: trauma físico (sendo bem chulo: transou muitas vezes bêbado, anfetaminado, pegando a mina, por ex. de 4, posição em que a bolsa escrotal vai receber diversas pancadas no movimento de vai-e-vem, colidindo com a moça. Pode machucar!! Mas não precisam ficar com medo disso, teria que ser muito recorrente, forte, doloroso e absurdo, só com álcool ou anf pra não parar mesmo com as dores), pode ser causado também por alguma espécia de tumor (e a origem do tumor pode ser diversa: Radiação, propensão genética, xenoestrógenos, etc. - inclusive um dos urologistas que visitei, vou contar no relato, me disse que eu tinha um tumor na bola, praticamente DO NADA, e fazendo ultrassom descobri que era só um cisto).


A ideia aqui é a seguinte: AVERIGUE seus testículos caso tenha hipogonadismo. O caminho mais prático é um ultrassom do testículo, pra verificar se as gônadas, epidídimo, etc., estão todos OK e saudáveis.

 

O que se espera no exame de sangue: vamos voltar ao Eixo HPT. Sua produção de testosterona depende da hipófise e do testículo. Aqui, sua hipófise é saudável e atua OK, mas seu testículo tem problemas. Então o que vai acontecer? O testículo não consegue produzir testosterona, a testosterona no organismo fica baixa, a hipófise percebe isso e secreta LH pra sinalizar pro testículo produzir mais testo, mas ele não consegue produzir mais (ou não existe), e aí a hipófise secreta mais LH, mas o testículo não consegue produzir mais, e a hipófise secreta mais LH......................................... Mesma coisa para o FSH, onde a hipófise tenta aumentar a espermatogênese, já que sem testículo ou com testículo prejudicado você está infértil ou com muito baixa fertilidade, mas sem sucesso.

 

Espera-se no exame de sangue do Hipogonadismo Primário: testo baixa + LH ALTO + FSH ALTO

Como seu problema é no testículo, pra retornar a produção de testosterona ou você coloca testículos de volta, caso não tenha, aí dependeria de um transplante de testículo, que acho que nem fazem, por falta de tecnologia suficientemente avançada ou porque é imprático, não sei. Ou precisaria expurgar algum tumor/lesão e ver se o testículo volta ao normal, o que é difícil.

Por isso, em geral, pra Hipogonadismo primário o tratamento mais comum é a TRT - Terapia de Reposição Hormonal. Você vai repor testosterona, colocando testosterona exógena, de fora do corpo, pra ficar com uma concentração normal de testosterona e conseguir viver uma vida normal. Resolve praticamente todos os seus problemas!

Mas pensando pela hipófise, que está saudável, se você repor testosterona, vai acontecer o seguinte:
Você põe testo de fora, então seus níveis ficam normais-altos, aí a hipófise entende que não precisa sinalizar mais pros testículos produzirem testosterona, então ela reduz o LH. Até aí tudo bem, já que, enquanto você tiver dinheiro e colocar testosterona de fora, não precisa mais do LH mesmo. O problema está na redução simultânea do FSH. Como a hipófise também vai reduzir o FSH, você vai ter uma espermatogênese diminuída e tende a infertilidade. Se você já não tem testículos, já sabia disso faz tempo e não é problema, mas se tem testículos que funcionam parcialmente, pode querer tentar retornar a fertilidade por algum método médico. 

É ISSO que acontece nos ciclos esteróides: a hipófise vai buscar baixar o LH e FSH (além de aumentar conversão de testosterona em estrogenios, DHT, aumentar prolactina), e quando você PARA o ciclo, para de colocar testo externa, teu corpo ainda não tá produzindo testosterona normalmente. Mas como o cara é saudavel, novamente, o corpo tende ao equilíbrio, e só vai demorar um tempinho pra se ajustar, mas por isso é tão importante a TERAPIA PÓS CICLO! Pra retornar o Eixo HPT literalmente "aos eixos".
E por isso que os remédios para hipogonadismo se assemelham e na maioria dos casos são os mesmos remédios utilizados tanto pra hipogonadismo como pra TPC!
Só lembrando que acontece uma certa dessensibilização dos hormônios no uso prolongado, recorrente e contínuo de esteróides, então, teoricamente, pelo que a informação por aí diz, fazendo uso recorrente e prolongado de AEs, seu corpo tende, sim, a voltar ao equilíbrio, mas vai acontecendo também uma "degradação", uma dessensibilização, e cada vez que você "volta ao equilíbrio", seu nível natural (de testo, de produtividade do testículo e hipófise) é um pouco menor e mais fraco do que era antes. Por isso o cuidado com abuso, mesmo de forma controlada, pra quem quer viver naturalmente sem TRT - que não é nenhum problema viver com TRT. Um milhão de vezes melhor TRT do que hipogonadismo, não tem nem comparação, TRT não é algo ruim per se.

 

 

HIPOGONADISMO SECUNDÁRIO

Agora o problema do paciente não é nos testículos em si.
Descobriu que não é primário pelo exame de sangue/pelo ultrassom/por estimulação do testículo com HCG/Clomid, etc.

Como saber se os testículos respondem bem?

Se você estimular a produção natural de testosterona (por meio de teste com HCG, GnRH, clomifeno. FONTE MUITO BOA SOBRE ISSO: http://www.sergiofranco.com.br/bioinforme/index.asp?cs=Endocrinologia&ps=testesFuncionaisGonadas), e a produção de testosterona RESPONDER ADEQUADAMENTE, em conjunto com os níveis de LH e FSH respondendo adequadamente, você já pode entender que SEU TESTÍCULO É SAUDÁVEL, e se ainda assim você tem hipogonadismo, então ele deve ser secundário, e você deve concentrar sua busca por soluções na hipófise e no hipotálamo.

Aqui, o ecodoppler/ultrassom da bolsa escrotal mostrou que o volume dos testículos é normal, que não tem nenhum tumor ou nada errado, mas foi constatado problema no cérebro. No hipotálamo ou na hipófise POR RESSONANCIA MAGNETICA.

 

A ideia aqui é a seguinte: AVERIGUE seu cérebro. O caminho mais prático é uma Ressonância Magnética de crânio, da sela túrcica, pra averiguar a hipófise.

 

O que se espera identificar no exame de sangue?

Novamente, vamos voltar ao Eixo HPT e olhar pela óptica dele: se a testosterona, por motivo qualquer, está muito baixa, o que deve acontecer é que a hipófise deve secretar mais LH pra sinalizar pro testículo que ele deve produzir mais testosterona.

PORÉM, AQUI, no hipogonadismo secundário, o testículo é saudável, então se mandar ele produzir mais testo, ELE VAI PRODUZIR. O problema aqui é a hipófise ou hipotálamo mal-funcionando. A hipófise OU NÃO PERCEBE que precisa estimular a produção de testosterona (no meu caso um prolactinoma secretava prolactina que atrapalhava o funcionamento da hipófise), ou simplesmente não estimula, está defeituosa. Para cada caso um tratamento diferente. Assim, a testo do cara está baixa, e a hipófise não manda produzir mais. Ela não aumenta o LH e o FSH.

 

Espera-se no exame de sangue do Hipogonadismo Primário: testo baixa + LH BAIXO/normal + FSH BAIXO/normal

Aqui tá o pulo do gato! Notou a diferença em relação ao hipogonadismo primário??
Pelo exame de hormônios sexuais já dá pra começar a estudar melhor o caso avaliando NÃO SÓ A TESTO BAIXA, mas se o LH/FSH estão muito altos (primário) ou baixos/normais (hipog. secundário). 



E o hipotálamo?


Até agora não falamos do Hipotálamo nenhuma vez, fomos falando do Eixo HPT de trás pra frente: primeiro do testículo, depois da hipófise, agora falaremos um pouquinho do hipotálamo. A sinalização de testosterona, antes ainda da hipófise, funciona pela sinalização DO HIPOTÁLAMO , através de GnRH (O teste de GnRH que botei o link antes está relacionado com hipo-pituitarismo, baixo funcionamento da hipófise). Naquela minha analogia, é como se o Hipotálamo fosse "O DIRETOR" da indústria, e o GnRH (como o LH e o FSH também) é UMA MENSAGEM.

Assim, deveria acontecer: Hipotálamo -> Hipófise -> Testículo.
Hipotálamo, através da mensagem chamada GnRH, manda a Hipófise, que através da mensagem LH, manda o testículo, produzir mais testosterona.
Então aqui agente nota que, já que o problema não tá no testículo, ou ele tá na hipófise ou tá no hipotálamo.

 

Caso a) Se o problema estiver na hipófise, significa que ou ela NÃO PRODUZ LH e FSH, porque é
a1) Hipófise incapaz (como no caso do hipogonadismo primário o testículo é incapaz, aqui a hipófise é incapaz), o que pode ser verificado através do teste de GnRH. Que basicamente estimula a hipófise.
A hipófise saudável, quando estimulada com GnRH, vai aumentar a produção de LH e FSH,e se ela não for saudável ela não vai responder ao GnRH.
a2) Agora, se A HIPÓFISE É SAUDÁVEL, o problema pode ser externo, de alguma coisa bloqueando o funcionamento dela, como um prolactinoma, onde a Prolactina muito alta faz com que a hipófise saudável não entenda que tem que produzir mais testosterona. No meu caso eu tive um adenoma de hipófise, um prolactinoma, que é tratado com Cabergolina. Mas você tem que ver com seu neurologista qual o seu caso e qual o tratamento adequado.

b ) Hipotálamo incapaz: tumor ou alguma alteração no hipotálamo em si e na secreção do GnRH. Não sei muito dessa parte, então se alguém quiser expandir aqui eu edito.

Teste do estímulo com Clomifeno pode atestar se o problema é de fato de patologia hipotalâmica. Ver TESTE DE CLOMIFENO: http://www.sergiofranco.com.br/bioinforme/index.asp?cs=Endocrinologia&ps=testesFuncionaisGonadas

 

Essa parte cerebral deve ser avaliada pelo seu médico, em especial neurologistas para averiguar as ressonâncias magnéticas, em conjunto com seu endócrinologista que tratará o hipogonadismo como um todo e avaliará seu eixo hormonal.

 

Lembrando que se houver qualquer erro no texto, ou se alguém quiser que eu adapte algo pra facilitara leitura e entendimento é só falar!

Realmente espero que isso ajude a trazer do fundo do poço aqueles caras que sofrem com hipogonadismo, e muitas vezes nem sabem direito o que tá acontecendo.

 

Um abraço a todos!

 

Parabéns pelo texto. Gostei bastante.

 

Há tempos ando sofrendo com baixos níveis de testosterona e ainda não descobriram a causa.

 

Tenho que fazer os seguintes exames: HEMOGRAMA COMPLETO - TESTOSTERONA TOTAL - TESTOSTERONA LIVRE - TSH - T3 - T4 - DHEA - DHT - LH - FSH - ESTRADIOL -ESTRIOL - PROGESTERONA -VITAMINA D - PROLACTINA - TGO- TGP ... ( Está faltando algum?)

 

E quais exames eu faço do cérebro e testículo ? 

Obrigado.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Parabéns pelo texto.extremamente útil . Também estou com problemas de testosterona baixa e com vários sintomas associados. Estou passando em um endócrino que está me acompanhando , isto após , passar com vários médicos que não davam a mínima para as minhas queixas. Por favor continue relatando o seu caso e de preferência como está a sua vida após o tratamento

Sent from my MotoG3 using Tapatalk

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Em 02/11/2016 at 23:11, demus_rj disse:

 

Parabéns pelo texto. Gostei bastante.

 

Há tempos ando sofrendo com baixos níveis de testosterona e ainda não descobriram a causa.

 

Tenho que fazer os seguintes exames: HEMOGRAMA COMPLETO - TESTOSTERONA TOTAL - TESTOSTERONA LIVRE - TSH - T3 - T4 - DHEA - DHT - LH - FSH - ESTRADIOL -ESTRIOL - PROGESTERONA -VITAMINA D - PROLACTINA - TGO- TGP ... ( Está faltando algum?)

 

E quais exames eu faço do cérebro e testículo ? 

Obrigado.

 

Então, amigo. Você diz que "vem sofrendo com baixos níveis de testosterona", como disse, começando do começo:    por definição, Hipogonadismo = vários exames de testo baixa recorrentes + reclamações de sintomas no dia a dia.

 

Você já fez mais de 1 exame em semanas/meses diferentes e constatou testo abaixo do normal? Abaixo de 300 ng/dl? Com sintomas no dia a dia?

Os exames essenciais pra olhar pro teu hipogonadismo são: testo total, testo-livre (com SHBG), LH e FSH. <--- Isso aqui é o essencial se você não tiver plano de saúde e tiver sem grana.

Complementar: T3, T4, TSH são necessários pra você eliminar a tireóide como causa. Se você fizer exames de T3,T4 e TSH e sua tireóide estiver OK, então seu problema não é na tireóide. Muita coisa de tratar hipogonadismo é ir EXCLUINDO as causas que provavelmente não causam o problema. Então, busque confirmar se tua tireóide está OK.

Complementar: Estradiol, Estriol, DHT. <-------- Importante para verificar a aromatização/redução. Caso você esteja com níveis muito altos de E2/DHT significa que você tá convertendo (e perdendo) muita testosterona. Uma das principais causas de alta aromatização é GORDURA CORPORAL. As células de gordura aromatizam. Então, se você perder gordura corporal, naturalmente tende a aromatizar menos e ter MAIS TESTO no corpo, e ficar mais em equilíbrio, em um nível basal mais coerente com sua idade.


Progesterona meu endócrino, presidente da Sociedade Brasileira de Endócrino e Metabologia, disse que não serve pra nada no homem, ainda mais no jovem. Então acho que se fizer esse exame teus médicos não vão nem falar nada dele.

 

Colesterol total: interessante ter em torno de 170 de colesterol total. Testosterona é produzida a partir do colesterol, da gordura. Então é importante ter na dieta: ovos, nozes/castanhas/amendoas/castanhas-do-pará, gorduras boas.

 

Exames para cérebro e testículo:

Primeiro veja pelo exame de sangue se PARECE que seu Hipogonadismo (caso realmente seja hipogonadismo) é Primário ou Secundário.

Leia de novo a parte de constatar através de exames:

Espera-se no exame de sangue do Hipogonadismo Primário: testo baixa + LH ALTO + FSH ALTO

Espera-se no exame de sangue do Hipogonadismo SECUNDÁRIO: testo baixa + LH BAIXO/normal + FSH BAIXO/normal

 

Aqui você já começa a tentar ver de onde tá vindo o problema, mas não tem nenhuma certeza.

Se pelo exame de sangue PARECER que o problema é primário, no testículo: Ultrassom de bolsa testicular com Ecodoppler (teu médico precisa requerer)

Se parecer que é secundário, na hipófise/hipotálamo: começar por Ressonância Magnética da Sela Turca (vai ver como tá tua hipófise e se tem algum adenoma)

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Lorenzo. Boa noite.

 

Sua história é muito semelhante com a minha. Estou tentando encontrar uma solução á pelo menos 4 anos.  Há mais ou menos 4 anos minha testosterona fica entre 250 a 300. Testosterona biodisponível baixa , livre e total baixas.Já fiz mais de 10 exames entre 2014 e 2016. Outro hormônio que é um pouco baixo , é o DHEA(Está na referência , porém perto do mínimo). Os demais hormônios estão na referência. Meu LH e FSH estão na referência(Perto do mínimo). Eu sinto os sintomas como: Estresse , falta de libido, fadiga mental , desanimo , gordura abdominal , dificuldade de ganhar massa muscular , dificuldade para dormir . Resumindo: Sinto quase todos os sintomas de uma baixa testosterona. Pratico musculação há pelo menos 3 anos e nunca tive uma evolução significativa. Me alimento bem através de um acompanhamento nutricional , tomo vitaminas e suplementos. NADA soluciona meu caso.
Já fui em VÁRIOS profissionais , mais de 7.Depois de toda batalha e sofrimento, eu aprendi algumas coisas, inclusive cheguei a seguinte conclusão.  MUITOS NÃO TEM A CAPACIDADE OU CONHECIMENTO DE ACHAR A CAUSA DO PROBLEMA, ESSES MODINHAS MODERNOS JÁ VÃO LOGO TE MEDICANDO E RECEITANDO A TAL TESTOSTERONA BIOIDENTICA + VITAMINAS + FITOTERÁPICOS E ATÉ UM ANASTRAZOL. RESUMO: você gasta rios de dinheiro e nada funciona.
Nesta semana , encontrei um endócrino pelo Plano de saúde. Um senhor experiente e a moda antiga. Uma das primeiras frases que ele citou foi "O primeiro passo é achar a causa do seu problema e depois tratar. Fique tranquilo , você é novo." Aquilo ganhou o meu dia.  Ele prescreveu um exame de ultrassonografia da bolsa escrotal com Doppler. Como eu sou rápido e li seu artigo , também vou fazer uma ressonância do crânio + Sela Turca + Hipófise.  E seja o que Deus quiser. Vou postar aqui o diagnóstico. Sua história mexeu comigo , só nós sabemos o quanto é triste ter testo baixa e sintomas afetando nossa vida social.  Meu muito obrigado. Que Deus te abençoe.  

Editado por demus_rj
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 4 semanas depois...

Lorenzo, muito bom o post. Estou passando pelo mesmo problema. Minha testo tem ficado baixa há bastante tempo. Sem contar a falta de libido, depressão, insonia e mal humor. Uma gastro (pasme, uma gastro) me orientou a procurar um especialista. Fui a andrologistas, encocrinologistas e urologistas. Os profissionais mais despreparados sao os urologistas e andrologistas. Fui a varios endocrinos e somentea ultima,medica q fui reconheceuo problema e confirmou. Comeceia repor testo, mas os níveis nao aumentaram ainda. Ela esta ajustando a dose ainda.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Interessante o texto, parabéns, muito bem explicado e esclarecedor... só deixando uma pequena contribuição:
Estava meio frustrado com desempenho físico, achava muito a quem do ideal, fiz alguns exames e apesar de não ter nenhum problema aparente, resolvi testar os Serms, os resultados: a médica inicialmente não pediu exames como lh/fsh/estradiol/prolactina etc... ótimos médicos nós temos né? 
entrei com Clomid 25mg, Tamoxifeno 5mg e Anastrozol 0,125mg todo dia, durante 4 semanas, fui me sentindo melhor, vendo mais resultados na academia e tirei exames, dessa vez mais completos:
exame: 27/06/2015 ---> 05/09/2015
Testosterona total: 353 ---> 779
Testosterona biodisponivel: 210 ---> 464
Testosterona livre: 311,2 ---> 686,8
SHBG   : 21 ---> 27,7
FSH: XXX ---> 13,5
LH : XXX ---> 7,9
Prolactina : XXX ---> 8,5
Estradiol : XXX ---> 38

Conclusão, mesmo em homens saudáveis com a testo 'baixa', a terapia 'serms' funciona para um aumento substancial sim.
Não tenho dados a longo prazo, pois entrei em Blast & Cruise, mas, ao que li, funcionaria a longo prazo sim e em doses baixas, traria pouco ou nenhum colateral.
Eu não tive colateral algum, ao contrário nesse meio tempo, tudo melhorou, mais disposto, libido, desempenho fisico, até mudança corporal eu percebi, testosterona é vida, literalmente, então espero que com esse seu ótimo depoimento, motive muitos homens a averiguar isso, pois infelizmente atualmente os maus hábitos vem tornando os homens cada vez menos homens, mas, tem tratamento :D.
PS: Não estou sugerindo de forma alguma que façam qualquer coisa, estou apenas contribuindo com um caso em relação a um trecho do texto, concordo plenamente com ele que deve-se procurar um médico.

 

Outra sugestão, poderia citar seu depoimento no tópico:
http://www.hipertrofia.org/forum/topic/205526-trt-reposição-com-creme-gel/
acho que tem uma relação direta e o autor deste vem fazendo um relato bem interessante.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 meses depois...
Em 19/12/2016 at 16:52, antigoargos disse:

Interessante o texto, parabéns, muito bem explicado e esclarecedor... só deixando uma pequena contribuição:
Estava meio frustrado com desempenho físico, achava muito a quem do ideal, fiz alguns exames e apesar de não ter nenhum problema aparente, resolvi testar os Serms, os resultados: a médica inicialmente não pediu exames como lh/fsh/estradiol/prolactina etc... ótimos médicos nós temos né? 
entrei com Clomid 25mg, Tamoxifeno 5mg e Anastrozol 0,125mg todo dia, durante 4 semanas, fui me sentindo melhor, vendo mais resultados na academia e tirei exames, dessa vez mais completos:
exame: 27/06/2015 ---> 05/09/2015
Testosterona total: 353 ---> 779
Testosterona biodisponivel: 210 ---> 464
Testosterona livre: 311,2 ---> 686,8
SHBG   : 21 ---> 27,7
FSH: XXX ---> 13,5
LH : XXX ---> 7,9
Prolactina : XXX ---> 8,5
Estradiol : XXX ---> 38

Conclusão, mesmo em homens saudáveis com a testo 'baixa', a terapia 'serms' funciona para um aumento substancial sim.
Não tenho dados a longo prazo, pois entrei em Blast & Cruise, mas, ao que li, funcionaria a longo prazo sim e em doses baixas, traria pouco ou nenhum colateral.
Eu não tive colateral algum, ao contrário nesse meio tempo, tudo melhorou, mais disposto, libido, desempenho fisico, até mudança corporal eu percebi, testosterona é vida, literalmente, então espero que com esse seu ótimo depoimento, motive muitos homens a averiguar isso, pois infelizmente atualmente os maus hábitos vem tornando os homens cada vez menos homens, mas, tem tratamento :D.
PS: Não estou sugerindo de forma alguma que façam qualquer coisa, estou apenas contribuindo com um caso em relação a um trecho do texto, concordo plenamente com ele que deve-se procurar um médico.

 

Outra sugestão, poderia citar seu depoimento no tópico:
http://www.hipertrofia.org/forum/topic/205526-trt-reposição-com-creme-gel/
acho que tem uma relação direta e o autor deste vem fazendo um relato bem interessante.

 

Legal seu relato, cara!
Gostaria de saber, 2 meses de terminar o uso dos SERMs se você continua com um bom quadro?

Meu endócrino me instruiu a tomar o Clomid por pelo menos alguns anos. Disse que um dos erros nos tratamentos anteriores foi suspender o uso do Clomid após somente 6-7 meses de uso, justamente quando estava tendo uma boa resposta.

 

Enquanto estou tomando clomid diariamente a mudança é muito clara. Minha vida sexual volta ao normal, volto a ter desejo, etc. e das vezes que interrompi o uso os sintomas negativos da baixa testosterona voltavam em pouco tempo.

 

Não sei ainda como vai progredir o caso, mas a ideia é que eu continue usando o Clomifeno por alguns anos e pelo que entendi o sistema irá estabilizar naturalmente, sem necessidade de continuar tomando remedios ou de repor testosterona. 

 

Terei nova consulta com o endócrino em março para tirar dúvidas, aí descobrirei melhor como vai ser pro futuro. Se alguém quiser aproveitar minha consulta posso levar perguntas de vocês pra ele.

 

Um abraço.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...