Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Clique aqui
Entre para seguir isso  
Junioreduardo93

Full Body - Receba R$400/semana treinando

Avalie este tópico:

Posts Recomendados

Olá.

Proposta: R$400/semana durante 3 meses.

Pretendo demonstrar aqui como ganhar dinheiro realizando "treinos" full budy todos os dias da semana. Dependendo de sua performance, poderá tirar em torno de 400 reais por semana e com pagamento no ato. Não é promessa, dependerá de vários fatores. Inicialmente, tudo dependerá de sua posição geográfica para obter muito mais resultados, mas não quer dizer que não terá algum lucro mínimo. Também dependerá de épocas conforme for mais solicitado, mas sempre haverá alguém que irá precisar de você.

 

Vamos ao que interessa.

 

Há três anos trabalho na função de estoquista em uma revenda de produtos agrícolas. Desde o começo, carrego e descarrego produtos com as mais diversas formas de embalagens e volumes: sacarias de semente de milho/soja/sorgo (10 à 40kg), defensivos em caixas de 4x5, 2x10 litros (~25kg), fertilizantes foliares de 20 litros (35kg, sim muito denso). Volumes de 100kg até 50 toneladas no dia. Claro que em cargas mais volumosas, há mais pessoas envolvidas e o total é dividido em partes iguais. Já cheguei à tirar em uma semana, apenas auxiliando nas descargas e cargas de produtos, 400 reais. Cerca de 2~3h por dia. É pago R$20/tonelada, mas pode ser pago menos caso tenha esteira, ou por unidade que dá de 0,10 à 0,50 centavos. Foram os meses mais animadores que tive em relação financeira. Porém, o que mais me chamou a atenção, foi o fato de conseguir ficar mais disposto, menos cansado, mais potente em levantar caixas e galões do chão.. e as mudanças do meu corpo foram nítidas conforme mais me alimentava. Minhas refeiçoes foram todas dobradas e ainda me sentia faminto. Fui de 56kg para 61kg em menos de dois meses (início é sempre fácil). Mas de qualquer forma, é incrível como este serviço me proporciona tantos resultados benéficos.

 

O que fazer:

 

Maneira mais fácil é conhecer alguém que trabalha em algum lugar que precisa, e se oferecer para estes serviços. Caso não conheça, se informe de "pontos de chapa" em sua cidade, e fique em torno de empresas que tem fluxo de mercadorias: supermercados, empresas agrícolas como a que trabalho, empresas que distribuem água em galões de 20 litros (pagam muito bem) ou qualquer outra que haja necessidade de serviço braçal. Parece loucura, mas a sua única preocupação é se alimentar bem (principalmente pela manha antes de trabalhar pois geralmente pode ficar sem almoço caso tenha que acompanhar descargas em fazendas) e dormir bastante (bem cedo de preferência). Água e luz. Esqueça internet e realização de ligações. Você apenas receberá telefonemas para ser chamado para algum trabalho. 

Principal, é não se queimar deixando avarias nos produtos (uma unica unidade pode custar 10x o custo do serviço total). Parece arriscado, mas basta carregar o que pode e sem pressa.

  • Prepare-se para realizar o famoso farm-walking praticamente o tempo todo (no caso de galões);
  • Realizará inúmeros desenvolvimentos militares levando a mercadoria acima de sua cabeça para carregar caminhões;
  • Ao puxar um galão com cerca de 25kg de cima de um caminhão, ele terá sua trajetória ao chão impedida pelos seus bíceps e costas;
  • Krok Row (remada unilateral) será realizada ao puxar objetos do chão e colocar sobre outros que podem estar até mesmo acima da altura de seus olhos;
  • Praticamente apenas uma série com repetições sem intervalo de descanso (1x~500);
  • Desgaste inicial até se acostumar gerando grande inchaço e possíveis dores;
  • Evite o uso de remédios para dor. Seu corpo produzirá seu próprio remédio. (Alimente-se bem, beba bastante água, durma muito);
  • Tenha dinheiro sempre sobrando e não se envolva com quem não te trouxer benefícios;
  • Faça amizade com todos, principalmente com o que te contratou. Ter educação e cumprimentar pode fazer a diferença;
  • Não pegue serviços em que te abusam no pagamento - negocie sempre antes de começar qualquer coisa;
  •  

 

 

Bons "treinos"

Editado por Junioreduardo93 (veja o histórico de edições)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Conteúdo continua após a publicidade.

Quando eu trabalhava como (auxiliar de manutenção) "peão", eu achava muito bom carregar os entulhos, pesos, meio que me sentia como se tivesse treinando, agachava sempre. Tinha bastante energia. Sempre carregava os pesos baseando nos movimentos de musculação. Parece escroto, mas da certo. rsrs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Em tempos de crise, ao invés de fazer trabalho bracal que, em teoria, qualquer um pode fazer, creio que a melhor alternativa é qualificar-se ou tentar a carreira pública.

 

No desespero, precisando de dinheiro urgente, talvez a sugestäo do amigo possa ser uma boa alternativa.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Concordo com o Torf, qualificar-se, com certeza é uma melhor alternativa.

Em várias cidades há cursos técnicos e profissionalizantes gratuitos, basta procura-los.

 

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A ideia é legal, mas não vejo isso muito na prática. Você tem que ficar "de plantão" com esses caras que fazem chapa (maioria bêbado) e ter muito cuidado pra não ter uma hérnia ou complicações nas costas depois.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu recebo aproximadamente 412 por semana. (se trabalhasse direito, 8h por dia)

E meu serviço é mais "leve".

Envolve mão de obra, tijolos e pá, mas é bem mais leve. E desenvolve os músculos também :)

Editado por erickpaini (veja o histórico de edições)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Quando comecei a ler eu que era tipo um estudo com testes ou uma pirâmide kkkkkkkkkkkkkkkkkk

 

Deixa pra lá isso ae, melhor pegar pesado na academia :lol:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 19/11/2015 08:27:16, Torf disse:

Em tempos de crise, ao invés de fazer trabalho bracal que, em teoria, qualquer um pode fazer, creio que a melhor alternativa é qualificar-se ou tentar a carreira pública.

No desespero, precisando de dinheiro urgente, talvez a sugestäo do amigo possa ser uma boa alternativa.

 

Em 19/11/2015 08:40:48, Xan santos disse:

Concordo com o Torf, qualificar-se, com certeza é uma melhor alternativa.

Em várias cidades há cursos técnicos e profissionalizantes gratuitos, basta procura-los.

 

Com grande certeza. Além do meu sufocante serviço, estou cursando administração. Não irei parar com os estudos. A ideia do texto é dar luz à conhecidos que tem na vida apenas reclamações por falta de "oportunidade". O estudo com certeza nos leva além de R$400 por semana, mas para quem vive de "bicos", esta pode ser uma forma de não ficar parado esperando. Claro que ninguém que está lendo este texto no fórum em frente à um pc, ou smartphone irá se atrever com um serviço como este que faço. Porém, é bem provável que conheçamos alguém que está procurando uma saída fácil para a miséria. 

Exemplo que dou, é de um amigo meu (24 anos) que sempre chamo para trabalhar comigo caso precise de dinheiro rápido. Ele não trabalha (por preguiça), não estuda (por mais preguiça), e vive com a mãe (por comodidade). Só trabalhando comigo, já comprou uma bicicleta (por incrível que possa parecer, para ele foi uma vitória), notebook usado (que para ele também foi uma conquista), e outras bobagens que lhe foi de agrado. Enfim, antes isso que ficar sem encontrar emprego, mesmo tentando.

 

Sei lá.. Muita loucura ao primeiro momento, mas para 1 em 10.000, pode servir em algo.

 

Em 19/11/2015 09:00:42, Emelianenko disse:

A ideia é legal, mas não vejo isso muito na prática. Você tem que ficar "de plantão" com esses caras que fazem chapa (maioria bêbado) e ter muito cuidado pra não ter uma hérnia ou complicações nas costas depois.

Triste realidade ver pessoas fazendo o serviço pesado só para tomar um carotinho no fim do dia.. Como eu que contrato o pessoal, não permito que trabalhem nessas condições. Acaba que para não perderem serviço comigo, deixam de beber tanto para não perder o serviço. Claro que não funciona com todos, mas abro oportunidade.. há épocas em que há mais serviço e falta gente, e outras que pode não haver nada. Perfeito para quando for tirar férias. hehe

Sobre a hernia, sim, é uma bosta sentir dor nas costas. Tem um chapa aqui com 63 anos que já está nesse serviço há 26. O volume das costas desse velho é absurdo. A força que ele tem é de se abestar. Claro que não é esse meu objetivo na vida, mas ele comparado à outros com até menos idade está bem melhor de saúde por não fazerem nada. 

 

Sei lá.. quanto mais falo, mais parece loucura, mas é como os treinos na academia: nada é regra, quanto mais conhecimento, melhor.

 

abçs, amém

Editado por Junioreduardo93 (veja o histórico de edições)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Cara, trabalhei durante seis meses como auxiliar de almoxarifado em um supermercado.

 

Carregava e descarregava caminhão o dia inteiro e quando não tinha entrega o gerente ficava inventando moda ("pega essa pilha de fardo de açúcar e bota do outro lado do depósito") só pra não ver ninguém parado.

 

O depósito de bebidas ficava no primeiro andar e quando chegava caminhão de cerveja, tínhamos que descer as caixas vazias e depois subir com as cheias - e empilhar tudo.

 

Não tinha moleza, mas eles serviam café da manhã, almoço e lanche da tarde, tudo de boa qualidade e à vontade. Eu adorava o trabalho e cresci absurdamente, mas tive que sair porque o salário era uma merda. Logo apareceu uma oportunidade mais legal e eu fui atrás da grana, mas às vezes sinto falta da lida pesada, dava uma sensação boa demais. É bem melhor suar carregando caixa do que suar porque você tá gordo e fica cansado andando do elevador até a sua cadeira, né? 

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, Lex Looter disse:

 

Cara, trabalhei durante seis meses como auxiliar de almoxarifado em um supermercado.

 

Carregava e descarregava caminhão o dia inteiro e quando não tinha entrega o gerente ficava inventando moda ("pega essa pilha de fardo de açúcar e bota do outro lado do depósito") só pra não ver ninguém parado.

 

O depósito de bebidas ficava no primeiro andar e quando chegava caminhão de cerveja, tínhamos que descer as caixas vazias e depois subir com as cheias - e empilhar tudo.

 

Não tinha moleza, mas eles serviam café da manhã, almoço e lanche da tarde, tudo de boa qualidade e à vontade. Eu adorava o trabalho e cresci absurdamente, mas tive que sair porque o salário era uma merda. Logo apareceu uma oportunidade mais legal e eu fui atrás da grana, mas às vezes sinto falta da lida pesada, dava uma sensação boa demais. É bem melhor suar carregando caixa do que suar porque você tá gordo e fica cansado andando do elevador até a sua cadeira, né? 

 

 

 

 

Também sinto falta cara, já trabalhei em obra e em manutenções residenciais industriais. Era bom essa época, alem de estar aprendendo a trabalhar me exercitava bastante. Tinha uma resistência e bastante força, e ainda dava um grau no shape. Trabalhei em obra também, lembro que sentia prazer em subir e descer as escadas de um prédio de 27 andares. Hoje em dia trabalho em escritório, não sinto aquele condicionamento, apesar de estar treinando. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
19 horas atrás, Lex Looter disse:

- Cara, trabalhei durante seis meses como auxiliar de almoxarifado em um supermercado. [...]

 

Que bom que mais alguém já sentiu essa sensação.. Realmente, o salário não será um dos melhores.. triste

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 19/11/2015 08:27:16, Torf disse:

Em tempos de crise, ao invés de fazer trabalho bracal que, em teoria, qualquer um pode fazer, creio que a melhor alternativa é qualificar-se ou tentar a carreira pública.

 

No desespero, precisando de dinheiro urgente, talvez a sugestäo do amigo possa ser uma boa alternativa.

 

Em 19/11/2015 08:40:48, Xan santos disse:

Concordo com o Torf, qualificar-se, com certeza é uma melhor alternativa.

Em várias cidades há cursos técnicos e profissionalizantes gratuitos, basta procura-los.

 

 

 

 

 

As duas coisas não são mutuamente exclusivas.

 

Trabalhar pesado não impede ninguém de estudar. Eu carregava caixa durante o dia; de noite, eu carregava a mochila até a escola. Olha aí o Junior fazendo faculdade.

 

Recusar trabalho para "se dedicar somente aos estudos" certamente é uma opção viável - para quem encara essa situação de uma posição mais confortável.

 

Por exemplo, as pessoas que já têm uma profissão e uma carreira e podem sobreviver por algum tempo com a grana da indenização ou poupança. 

Ou quem já possui outra fonte de renda, como um comércio ou imóveis alugados.

Ou as pessoas que dependem dos pais e não têm preocupações com a própria sobrevivência, porque tem alguém pagando as contas.

 

Para quem não tem esse tipo de suporte, ainda não tem uma profissão e não consegue encontrar um emprego mais docinho, ficar sem ganhar nada geralmente não é uma opção. Nesses casos, o trabalho braçal pode resolver um monte de problemas (desde que você não tenha frescura ou preconceito contra isso). 

  • Primeiro, porque tira você do ciclo improdutivo. Fazer alguma coisa, qualquer coisa, é melhor do que ficar sentado reclamando. 
    Em vez de ficar remoendo sua falta de sorte, você estará aprendendo coisas que não sabia, conhecendo outras pessoas e AGINDO. Infelizmente, para muita gente não basta fazer "cursos gratuitos" e "buscar capacitação" - elas não fazem fotossíntese e, portanto, não conseguem viver de luz enquanto estudam. Pra quem tá com os pés no esterco mas não é planta, um trabalho certamente ajuda a manter a disciplina e algum senso de realização e independência. Isso é importante porque, para um adulto, a sensação de não ter qualquer controle sobre a sua situação é uma das coisas mais desanimadoras que existem, especialmente em época de crise. Portanto, é sempre melhor tirar a bunda do sofá e fazer o que pode ser feito do que ficar lamentando pelo que você não pode fazer.
     
  • Segundo, porque mesmo pagando pouco, paga alguma coisa, e algum dinheiro é muito, mas muito melhor do que nenhum dinheiro.
    Progresso lento ainda é progresso. Se não posso correr, ando. Se não consigo andar, me arrasto. Ficar parado? Sem chance.  
     
  • Terceiro, porque se você tiver a cabeça no lugar, sabe que todo degrau pode ser usado para subir ou para descer - quem escolhe a direção é você.
    Se você usar a grana para melhorar sua situação e estudar, vai colher os frutos. Se você gastar tudo o que ganha com cachaça, vai sofrer as consequências. Ser pinguço, analfabeto ou estúpido não são pré-requisitos para fazer trabalho pesado, são opções pessoais de cada um.
     
  • Quarto, isso abre seus olhos para um monte de coisas e ajuda a entender melhor as coisas em termos de valor e não só de preço. É o tipo de experiência que realmente pode ajudar alguém a se tornar mais independente e determinado (desde que essas já sejam metas da pessoa, é claro). E menos preconceituoso também, pois a ignorância é a mãe do preconceito.

Uma das lições mais valiosas que eu aprendi naquela época foi que instrução não é inteligência e cultura não é sabedoria. Gente "humilde" é igualzinha à gente "normal". Alguns são determinados e aplicados, outros são vagabundos e malandros. Alguns são generosos, outros são mesquinhos. Alguns não têm pretensão, outros pensam que têm o rei na barriga. Alguns têm uma percepção extremamente objetiva da própria realidade e circunstâncias, enquanto outros fazem questão de permanecer ignorantes sobre tudo o que não lhes agrada.  

 

Não é questão de desespero. Desespero é quando não existe oportunidade. Se você não pode depender de ninguém e suas oportunidades são severamente limitadas (mas ainda existem), as suas perspectivas se realinham bem rápido. Por experiência própria, sei que é muito mais fácil falar "prefiro morrer de fome do que fazer isso" quando se está de barriga cheia.  :) 

 

Todo mundo tem que começar de algum lugar, mas quem não tem muitos privilégios geralmente precisa começar bem mais cedo e bem mais embaixo na cadeia produtiva. Se isso vai ser o seu ponto de partida ou a sua linha de chegada, também só depende de você.

 

tl/dr:

 

1) Se as suas circunstâncias lhe permitem ficar sem trabalhar para estudar, você é um sujeito de sorte, aproveite!

2) Por mais que essa estratégia simples funcione muito bem para você, ela não serve para todo mundo, porque diferenças.

3) Trabalhar não é vergonha pra ninguém, nunca, jamais.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Verdade.

 

E quando abrir uma vaga no escritório, quem será que vai ter mais chance?

  1. O cara que tá desempregado há um ano fazendo curso de digitação na prefeitura
  2. O cara que trabalha na linha de produção e estuda à noite, já tá com um pé dentro da empresa e conhece um monte de gente por lá? 

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
20 horas atrás, Lex Looter disse:

Verdade.

 

E quando abrir uma vaga no escritório, quem será que vai ter mais chance?

  1. O cara que tá desempregado há um ano fazendo curso de digitação na prefeitura
  2. O cara que trabalha na linha de produção e estuda à noite, já tá com um pé dentro da empresa e conhece um monte de gente por lá? 

 

 

Depende... Isso não quer dizer nada, empresa não pensa assim, Rh não pensa assim.

 

Mas concordo com você, trabalhei pesado no inicio da minha carreira, carregava ferro em uma industria para ganhar 500 reais mal dava para o aluguel, juntei uma grana e investi em um técnico, fui mandado embora quando comecei a estudar kkk, pensei em desistir, porque que tudo dava errado, mas mesmo assim continuei estudando, e arrumei um outro emprego, era pião mesmo ganhava um pouco mais, mas o horário me atendia, fiz o enem e ganhei uma bolsa em nutrição, terminei meu técnico e consegui uma vaga, agora falta minha casa própria que pretendo ter antes dos meus 26 anos.

Eu acho que tudo depende da nossa idade, temos mais é que arriscar mesmo. Eu arrisquei saindo de casa aos 18 para tentar trabalhar e estudar fora, disse para minha mãe que se não desse certo eu voltaria e que ela não precisava se preocupar em me ajudar, resumindo, eu não tinha casa para onde eu ia, eu não tinha estudo/ qualificação, tinha 5 amigos loucos igual eu haha, e isso já bastou! cada um com 400 reais no bolso, primeiro dia achamos uma casa, segundo dia arrumamos um emprego que pagava 350 reais que por sinal foi o melhor emprego da minha vida. Chapeiro de hot-dog kk.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A uns 4 anos eu não tinha formação ainda e ja era casado então tive que trabalhar de chapa em um depósito de rações para cachorros e gatos.

Era apenas o dono do depósito e eu, então tinha vezes que chegava caminhão com 100-150 sacos de ração de 25 kg fora as outras mais leves, e era apenas eu e ele para descarregar. As vezes ele tinha saido para ir ao banco ou outro lugar e eu descarregava o caminhão sozinho. É legal pensar pelo lado do esforço corporal mas que o ideal realmente é procurar qualificação para ter um trampo mais leve.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
8 horas atrás, planeta disse:

em paises de escolaridade mais alta a oferta de mao de obra nao qualificada é menor e portanto os salarios pra esse tipo de trabalho é maior

Sim.. Brasileiros saem daqui para lavar pratos, telhados nos Estados Unidos e fazem muito dinheiro por lá.. Somos os latino americanos que facilitam o trabalho pesado da maioria dos americanos.. 

 

Me lembro de um caminhoneiro que veio da Bahia. Eu tive dificuldade em encontrar quem descarregasse a carreta dele aqui em Goias, e ele disse que se fosse na cidade dele, teria fila de gente para esse serviço.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Hoje chegou um caminhão com 10.000 litros de dessecante, para descarregar. Tudo dava 11.610kg (embalagem e a densidade do produto). Apenas eu e o motorista iamos realizar a descarga. Daria 232 reais (R$116 para cada). Começamos a descarga e logo nos primeiros baldes de 20 litros, chegou outro caminhão e já encostou. O motorista então anunciou o que transportava: mais 10.000 litros do mesmo produto... Já deu aquele desânimo.. eram 500 baldes e já pulou para 1000!! 23.220 kg!! Muita coisa!!!

 

O outro motorista, para ajudar na descarga e também tirar o dele, começou a nos ajudar.

 

Total: R$464, sendo R$154 para cada. 

 

Começamos 8h da manhã e acabamos 11:45. Encheu todo meu estoque e logo logo ainda chegará mais produtos, sem ter espaço. Enfim, isso verei com meu patão. 

 

154 reais na mão, agora sim vai sair um presentinho para a namorada kkkk

 

abç

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Juro por Deus que também achei que era um esquema de pesquisa, tava até animado hehehe

Mas é isso mesmo, não se pode ter vergonha de ganhar a própria grana honestamente. Estágio e programas de formação de empresas também são uma saída razoável, e que de quebra te qualificam. Se tá sem grana, pode tentar uma vaga em faculdades ou escolas técnica públicas, que são de boa qualidade.

Outra boa saída para arrumar grana rápida e sem muita qualificação é fazer um curso de garçom. Boa aparência e inglês são um diferencial interessante.

 

Em 19/11/2015 at 11:06, EderCuer disse:

Quando comecei a ler eu que era tipo um estudo com testes ou uma pirâmide kkkkkkkkkkkkkkkkkk

 

Deixa pra lá isso ae, melhor pegar pesado na academia :lol:

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ontem, um dia depois das 23 toneladas, já tive mais 14 mil kg para descarregar. Foi somente eu e o motorista. Deu R$280 no total, sendo R$140 para cada. Começamos 13:40 e depois de muitas caixas e chuva, às 18:25 terminei. Vejam como ficou meu depósito: 

WxOMPU2.jpg74OpChl.jpg

 

Agora cachorro entra e abana o rabo de baixo para cima.. muito cheio. Todas essas caixas no meio e esses baldes amarelados foram descarregados ontem e segunda.

 

abç

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Curti o post. O trabalho vence tudo.

Acho incrível como nosso corpo é feito justamente para o esforço.

 

Sou médico e atendo em periferia, é curioso que quando aparece um paciente na faixa de 45-65 anos, com shape monstro, pesando 90kgs e tipo 50cm de bíceps, que você acha que passou os últimos 30 anos na academia, o cara nem faz esporte e trabalhou a vida inteira como chapa/carregador/montador de móveis. Os que não bebem, sempre com boa saúde física e mental. Geralmente tem algum problema ortopédico, mas nada muito grave.

Em compensação, aqueles com trabalho sentado, em escritório ou loja e estão na mesma idade sempre têm "combo" Dislipidemia/Hipertensão/Diabetes/Depressão.

 

Eu sinceramente acho que a "ciência" da musculação ainda precisa de muita investigação para achar o tipo de treino mais "eficiente" para hipertrofia... Hoje em dia sou muito fã dos treinos full body/básicos, que apesar de alguns estudos muito positivos, ainda não dá pra dizer que são totalmente superiores a outros tipo.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá! Ontem (06/01/2016) foi mais um dia de cargas e descargas de produtos. Somente no dia de ontem, recebi 255 reais!! Pela manhã, carreguei sozinho, 300 galões de 20 litros, sendo 24kg cada. Foi exaustivo de mais! Mas consegui (140 reais). Fui para casa, tomei banho, outra roupa, e depois do almoço voltei. Mais um serviço, dessa vez de descarga: 250 galões de 20 litros (23kg cada). Sozinho também (115 reais). Usei outro EPI e fiquei ensopado de suor. Fui para casa, deixei ele de molho e coloquei o uniforme para voltar ao trabalho. Agora pela manha (07/01/2016) já tenho mais cargas para fazer. Mais dinheiro no bolso para ficar tranquilo daqui uns dias. Estou me preparando para sair deste emprego, não pelo serviço, mas pelos colegas que não acham bom eu receber extras por fazer meu trabalho, e ficam me criticando e falando muitas mentiras ao meu patrão, que, por eu ser mais novo da empresa, acha que estou de pirraça e acata tudo o que dizem. Bando de fofoqueiros. kkkkk indo carregar aqui, abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Gostei da ideia. É só ver pessoas que moram na roça, trabalham desde cedo e todos tem muita força, além de saúde. Eu trabalharia/ajudaria todo final de semana se pudesse, pode ser ganhando mixaria, mas só pra me manter em movimento. Descarregar caminhão, cortar lenha, qualquer coisa. haha

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
52 minutos atrás, Redneck disse:

É só ver pessoas que moram na roça, trabalham desde cedo e todos tem muita força, além de saúde

Curioso... Você vê essas pessoas da roca, de um pouco mais de idade, acha que elas tem uns 60 anos, quando na verdade estäo na faixa dos 40. A populacäo do campo envelhece mais rápido (grosseiramene falando).

 

Dados da PNAD de 1998 mostraram que mais de 8,5% dos adultos (40 a 60 anos) do meio rural avaliaram seu estado de saúde como ruim e muito ruim, contra 6,3% na área urbana.

 

 

Com base na população de 40 a 60 anos, 8,9% dos habitantes do meio rural deixaram de realizar quaisquer de suas atividades habituais, nas duas últimas semanas que antecederam a entrevista, por motivo de saúde, enquanto 8,2% o fizeram na área urbana.

 

25834f1.gif

 

O interessante livro  Os 40 Anos da Fundação Ford no Brasil , uma parceria para a mudança social (Editora USP) de  Nigel Brooke e Mary Witoshynsky, na parte  DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA A O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL por Anthony B. Anderson, aponta que de 40% a 80% da populacäo rural do Nordeste e da Amazônia possuem dados de expectativa de vida e e mortalidade infantil semelhantes aos encontrados na África Subsaariana.

 

Enfim, eu acho que essa visäo do homem do campo como um cara vigoroso, forte e saudável é algo extremamente poético.

 

thumb-r-920x-0x0prefeitura-leva-cidadani

 

de-quem-e-esta-terra-national-geographic

 

chinese-farmer-son-graduation.jpg

 

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
11 minutos atrás, Torf disse:

Curioso... Você vê essas pessoas da roca, de um pouco mais de idade, acha que elas tem uns 60 anos, quando na verdade estäo na faixa dos 40. A populacäo do campo envelhece mais rápido (grosseiramene falando).

 

Dados da PNAD de 1998 mostraram que mais de 8,5% dos adultos (40 a 60 anos) do meio rural avaliaram seu estado de saúde como ruim e muito ruim, contra 6,3% na área urbana.

 

 

Com base na população de 40 a 60 anos, 8,9% dos habitantes do meio rural deixaram de realizar quaisquer de suas atividades habituais, nas duas últimas semanas que antecederam a entrevista, por motivo de saúde, enquanto 8,2% o fizeram na área urbana.

 

25834f1.gif

 

O interessante livro  Os 40 Anos da Fundação Ford no Brasil , uma parceria para a mudança social (Editora USP) de  Nigel Brooke e Mary Witoshynsky, na parte  DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA A O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL por Anthony B. Anderson, aponta que de 40% a 80% da populacäo rural do Nordeste e da Amazônia possuem dados de expectativa de vida e e mortalidade infantil semelhantes aos encontrados na África Subsaariana.

 

Enfim, eu acho que essa visäo do homem do campo como um cara vigoroso, forte e saudável é algo extremamente poético.

 

thumb-r-920x-0x0prefeitura-leva-cidadani

 

de-quem-e-esta-terra-national-geographic

 

chinese-farmer-son-graduation.jpg

 

 

 

Claro. Porque trabalham BEM mais

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Entre para seguir isso  

  • Quem Está Navegando   0 membros estão online

    Nenhum usuário registrado visualizando esta página.

×
×
  • Criar Novo...