Ir para conteúdo
Clique aqui

Legalização Do Aborto No Brasil

Avalie este tópico:


Posts Recomendados

Conteúdo continua após a publicidade.

  • Respostas 1,3k
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

Mais Ativos no Tópico

Postagens Populares

acho que isso já fecha o tópico edit 08/12 http://portalconservador.com/nao-existem-argumentos-para-o-aborto/ Mais um link para reforçar

Hidrogel e aes não prejudicam terceiros.

Posted Images

Em 22/02/2017 at 17:53, Faabs disse:

O Danilorf que fica fazendo mapa astral das pessoas e eu que sou burro

 

Mais uma prova de sua burrice.

 

A astrologia é uma técnica. Na verdade não é nem uma técnica, mas milhares de técnicas. Você não diz que uma técnica é falsa ou verdadeira cientificamente, você apenas diz que ela funciona ou não. Dentre as inúmeras técnicas, algumas funcionam, outras não. E mesmo que as explicações por debaixo delas sejam falsas, não tornam a técnica menos eficiente. A medicina chinesa funciona, e pode ter as explicações mitológicas ou filosóficas ou sei lá o quê; mas ela funciona e isso é um fato. E assim com várias outras coisas. Um mecânico pode consertar um carro e dar uma explicação totalmente errada do porquê do sucesso dele, mas a técnica de conserto dele funciona. Isso é prova, mais uma vez, de que você não sabe o que é ciência e o que é técnica. Outro exemplo:

 

Citar

Um exemplo disso relacionado não à astrologia, mas à astronomia. Se usarmos o método matemático de Ptolomeu para calcular a posição dos planetas, somos capazes de dizer onde Júpiter estará no céu daqui a uma semana. Porém, se usarmos a técnica de Copérnico, chegaremos à mesma conclusão. Também se usarmos a teoria da gravitação universal de Newton, chegaremos à mesma conclusão. E podemos ainda usar a teoria da relatividade, e chegaremos à mesma conclusão. São quatro técnicas diferentes que nos dizem onde Júpiter estará. Qual das técnicas é verdadeira? Essa pergunta não tem sentido. O que faz sentido é perguntar quais são as teorias explicativas associadas a cada uma dessas técnicas. Somente as teses sobre as causas dos fenômenos podem ser verdadeiras ou falsas. E, às vezes, ainda não teremos uma resposta definitiva sobre isso. Então, falar que a astrologia não tem fundamento científico é balela. A aspirina foi lançada em 1899, e a primeira teoria explicativa razoavelmente crível para o seu foi elaborada em 1971. Durante setenta e dois anos, todo mundo curou dor de cabeça sem explicação científica, e isso é perfeitamente normal. Por que ninguém experimenta fazer uma cirurgia cardíaca sem anestesia, já que ainda não temos explicação científica para o funcionamento dela? Essa obsessão com alguma explicação científica faz parte da grande superstição dos nossos tempos.

 

Segundo ponto: a ciência simbólica é um fato, e se você não sabe disso, você é um burro ao quadrado. Vou dar só um exemplo: Um rei está para os seus súditos assim como um pai está para o seus filhos, assim como um leão está para os outros animais da floresta, assim como o Sol está para os outros planetas e assim como Deus está para a criação. Os entes do mundo da natureza (que Platão chamava de mundo da physis) participam de Formas (como você é burro, eu sei que não sabe o que é a teoria das formas do Platão, então coloquei com letra maiúscula), e em todas as civilizações essas analogias entre eles são possíveis de ser encontradas. Se as coisas compartilham de Formas, quer dizer que, de alguma maneira, é possível tirar algumas conclusões do que se passa na Terra a partir da observação do que acontece no Céu. Isso não é física, química e nem nada. Isso é filosofia, metafísica e lógica - saberes superiores a qualquer conhecimento científico limitado.

 

Mas, ainda assim, só pra terminar de demonstrar a sua burrice, nem mesmo a hipótese científica é descabida. Você se diz tão leitor de ciência, mas é só um semi-analfabeto que lê dois artiguinhos da super de fds e se acha a grande fonte de conhecimentos válidos da humanidade; se diz tão científico, mas já começa excluindo do debate científico aquilo que não gosta por mero automatismo mental:

 

Citar

Michel Gauquelin era um astrônomo cético em relação à astrologia e resolveu fazer o estudo definitivo para derrubá-la. Ele pegou algumas alegações típicas, tradicionais, bem universais da astrologia, afirmações que nenhum astrólogo sério consideraria uma falsificação da astrologia, e decidiu testá-las estatisticamente. Por exemplo, os astrólogos tradicionalmente dizem que, se o sujeito tem Marte perto do ascendente ou perto do meio do céu, é favorável para ele a profissão militar ou de esportista competitivo. O que o Gauquelin fez? Ele pegou os mapas de centenas de esportistas franceses que se destacavam mais ou menos nos seus esportes, e começou a verificar se Marte realmente se destacava nos mapas deles além do destaque da população em geral. Ele checou os dados recolhidos e disse: “Caramba, é verdade! Há muito mais gente com Marte ascendendo ou culminando entre os esportistas do que entre a população em geral.” Quando ele publicou os resultados da pesquisa, a comunidade científica ficou tremendamente envergonhada e com raiva dele. Então, fundaram três associações, cujo único propósito era provar que Gauquelin estava errado. E essas associações fizeram suas próprias compilações de dados independentes, dizendo que ele teve um viés na seleção dos mapas e coisas do tipo. Porém, as três compilações confirmavam o que Michel dizia. Isso está sendo discutido desde os anos cinqüenta até hoje. Salvo engano, o último exame de dados e de toda a bibliografia relacionada foi publicado em 2009.

 

Então, isso prova a astrologia? Não, isso não prova a astrologia, mas prova, sim, que nem todas as técnicas astrológicas são coelhos tirados de cartolas. De fato parece que há alguma correlação. É um indício de que o fenômeno existe e merece ser investigado. Desse ponto até a astrologia entrar no currículo das ciências naturais, se tudo continuar normalmente, irá demorar uns trezentos anos.

 

Você sabia desse experimento? Não, né? Então, fique calado quando o assunto for astrologia vs. ciência.

 

Citar

Uma outra mulher, chamada Bernadette Brady, fez um experimento interessantíssimo na Austrália. Ela quis estudar se havia alguma relação astrológica transmissível de geração em geração, isto é, se existiam posições astrológicas que eram passadas dos pais para os filhos. O estudo dela é especialmente interessante, porque ela fez um estudo duplo. A Bernadette fez esse estudo comparando os mapas dos pais e dos filhos usando as técnicas da astrologia moderna, e depois o mesmo estudo, com as mesmas pessoas, usando as técnicas da astrologia tradicional. A partir daí, ela chegou à conclusão de que esse negócio de astrologia moderna é tudo balela. Esse negócio de Urano, Netuno, Plutão é tudo piada. A análise estatística dos mapas de pais e filhos, considerando Urano, Netuno e Plutão é igual a da média da população em geral. Mas se considerarmos só as regências de signos tradicionais e planetas tradicionais, os resultados são muito relevantes do ponto de vista estatístico. Mas é importante notar que ela está fazendo trabalho científico. Então, caso alguém queira lê-la, terá que estudar um pouco de estatística primeiro. Não são artigos de divulgação, são artigos científicos.

 

Sabia dessa? Não? Então, cale-se.

 

Citar

Essa questão do heliocentrismo e geocentrismo é muito superestimada, e é realmente irrelevante. Há um indivíduo que fez um experimento – um pouco na brincadeira, um pouco a sério – para provar esse ponto. Também não devemos levar o estudo dele muito a sério, mas o fato é que ele decidiu que inventaria uma teoria explicativa natural para a astrologia, e que testaria essa teoria com todos os sistemas de astronomia existentes. Pois bem, ele inventou essa teoria, que é bastante plausível, e diz que não faz diferença se o sistema é o geocêntrico ou não. Isto é, a validade da teoria dele não depende da validade de um determinado sistema astronômico. Ele diz que, se observarmos as variações das manchas solares e as variações do campo magnético da Terra, é fácil deduzirmos um grande número de variações das posições planetárias da astrologia tradicional (isto é, das posições geocêntricas da astrologia). Continua dizendo que, quando estamos no útero, pode ser que o nosso sistema nervoso, em geral, tenha uma sensibilidade especial às variações do campo magnético da Terra. Como essas variações são diretamente proporcionais às posições astrológicas dos planetas, pode ser que seja assim. Por que não? Ele disse: “Provem que estou errado.” E até agora ninguém conseguiu provar. Mais ainda, ele também descobriu que, com a teoria dele, é possível prever o ciclo de manchas solares melhor do que com outras.

 

O nome desse sujeito é Percy Seymour. Ele é um astrônomo inglês da Royal Academy. Ele disse: “Por que não? Não sabemos qual o mecanismo causal da astrologia, e nem sabemos se existe mesmo a astrologia, mas dizer que é impossível construir um modelo causal para a astrologia é balela, é superstição cientificista. Isso é perfeitamente possível, só não temos os meios ainda. Não temos conhecimento suficiente do sistema solar e não tem conhecimento suficiente da biologia humana. Não temos!”

 

Sabia dessa aqui também? Não...

 

Acho melhor você passar dos 2 livros por ano para pelo menos uns 45 antes de querer discutir alguma coisa desse tipo.

 

Valeu, falous. :guitar:

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Assim, o Faaps apesar de tudo é uma boa pessoa. Essa era a maneira usual que conversávamos nos grupos de debates de zibzap. Então, por favor, não me venham com intimidades quem não conversou comigo nesses grupos.

 

Quanto ao perverso, Norton, Torf e afins... Cara, o perverso usa CEPAL como fonte de dados e estudos econômicos e quer falar que eu - EU! - não dou um tapa nas pererecas. É pra rir ou pra chorar? :lol: No mais, só pra não desviar completamente:

 

Citar

A ciência não tem autoridade nenhuma pra dizer quando se dá ou não o início da vida. NENHUMA. A ciência apenas descreve o fenômeno da gravidez. Ela é DESCRITIVA. Ela não responde o por quê de nada, ela não chega a essência do ser de nada.

 

E, ainda que a ciência tivesse alguma autoridade mínima pra se manifestar sobre o assunto, essa autoridade seria diluída entre as diversas teorias hoje existentes: uma diz que o ínicio da vida se dá na 3ª semana, outra diz que se dá com a nidação do embrião no útero, outra diz que se dá quando se forma o sistema nervoso, ainda outra diz que se dá quando o sistema pulmonar está completo...

 

Então, só dessa confusão de teorias científicas já dá pra ver que a ciência em si não pode ser o critério pra julgar a validade de todas as teorias científicas existentes.

 

Se Aristóteles saísse do túmulo dele e visse o que todos os cientistas disseram a respeito do início da vida, ele simplesmente diria:

 

-Ari: Véi, deixem de ser animais. Vocês cientistas estão apenas descrevendo COMO se dá o processo da gravidez; ou seja, vocês estão lidando apenas com causas eficientes. É óbvio que se o embrião não se fixar no útero não haverá vida humana, simplesmente porque isso é um passo necessário para que o processo de evolução do embrião para o feto ocorra; do mesmo jeito que não haverá vida se o pulmão ou o sistema nervoso não se formarem, uma vez que nenhum ser humano sem sistema nervoso ou sem pulmão saiu por aí andando. Todas essas etapas do processo de gravidez são causas eficientes dela. E vocês, cientistas de pensamento cartesiano energúmenos, me perguntam:

 

- Idiotas: Mas então, se não há um ponto 'x' ou 'y' que podemos dizer que o embrião passou, magicamente, de apenas um amontoado de células para uma vida humana de fato, como eu explico a porra toda?'

 

- Ari: Eu vos respondo, idiotas, que primeiro vocês devem ter em mente que a essência (ou forma inteligível, ou eidos) do ser humano é como se fosse um logarítimo que já contém todas as formas possíveis que ele vai (ou pode) atingir no decorrer da sua vida. Todas as transformações que ocorrem, desde a fecundação do óvulo pelo espermatozóide, até a sua morte, já estão dadas na essência do homem.

 

A partir do momento em que há a fecundação do óvulo pelo espermatozóide depois do ato sexual, então é aí mesmo que se dá o início da vida, uma vez que já há em potência no embrião as formas humanas que ele irá atingir ao longo dela, isto é, feto, bebê, criança, jovem, adulto e velho. Todas essas fases estão contidas como potências na essência do ser humano.

 

Então, tendo em vista que a sua ciência lida apenas com causas eficientes, a única conclusão possível a se chegar é a de que, se por ações deliberadas, a mulher conscientemente pratica uma conduta que visa interromper esse processo, ela está impedindo que um ser humano venha a se desenvolver plenamente, impedindo-o de realizar todas as potências que carrega em si.

 

Se caso o feto vier a ser anencéfalo, ou vier a sofrer qualquer outra deformidade que o impeça de nascer com vida, e a mulher interromper o processo de gravidez, esse ato dela não foi o que causou o impedimento do desenvolvimento do ser humano por ela gestado, uma vez que este não irá realizar todas as suas potências porque, ou não possui cérebro, ou possui qualquer deformidade que iria fazê-lo morrer no parto.

 

Tentaram refurtar isso no FB:

 

Citar

Na parte do texto:Todas as transformações que ocorrem desde a fecundação do ovulo pelo espermatozóide até a sua morte,já estão na essência do homem.É uma informação incorreta.Sendo que mudanças da morula se deve também a fatores externos.Também conhecido como Fenotipo=genotipo + ambiente.Considerando a sua essencia como o codigo genetico.Que não é inteligivel.Além de que o proprio material genetico pode mudar por mutações por exemplo.
Assim uma morula que não recebe os estimulos certos,não ira crescer.E para entrar nessa discução eu te pergunto.Como definimos que uma criatura está morta?A definição médica de morte é conhecida como morte clínica, morte cerebral ou parada cardíaca irreversível.Uma definição mais conservadora de morte seria a interrupção da atividade elétrica no cérebro como um todo, incluso e sobretudo no tronco encefálico.Assim não podemos afirmar que vida é o contrario de morte?E a não atividade eletrica no cerebro não é vida?A parte que defende que não formação do pulmão e coração já foram refutadas,é que antes se denominava morte como parada cardiorespiratoria.Porém depois da descoberta e uso de desfribiladores.Essa definição de morte caiu.Pois o coração volta a funcionar.E em consequencia o restos dos sistemas.
E Danilo só quis tentar explicar algumas coisas.Sem violencia.E gostaria de saber sua opinião sobre o que escrevi 1f642.png:)

 

Respondi educadamente:

 

Citar

Hahahaha, relaxa, Duzão, sem violência. Mas a coisa é o seguinte: você está raciocinando a forma do "ser" como se ela fosse algo apenas genético, mas na verdade isso é um problema de teoria do conhecimento. Veja, a genética é parte do "ser" do homem, e o "ser" do homem a contém e a abrange, não o contrário. Pra vc captar um pouco como isso é diferente, é só dizer que as diferenças genéticas do homem e do macaco são muito poucas, no entanto as diferenças do "ser" de cada um são enormes - existe praticamente um abismo entre um e outro. O caso que você levantou dos fatores externos que agem sobre a morula, ou de mutações genéticas, estão implicitamente contidos como possibilidade no "ser" do homem. É impossível que um ente sensível que esteja no mundo da physis não esteja sujeito a acidentes. Se esses acidentes - tanto advindos de fatores externos quanto de mutações genéticas -, no sentido filosófico do termo, não estivessem ali contidos como possibilidades, eles não aconteceriam - se eles não são possíveis, então são impossíveis, e se são impossíveis, não acontecem. E aí a coisa volta na conclusão do que eu disse: a vida já está dada logo na formação do embrião, pois a potência do desenvolvimento dele está ali desde a sua concepção. Caso fatores externos (que, como possibilidades, já estão dadas como coisas que podem acontecer ao embrião) se concretizem nesse ente substancial, é claro que o embrião não irá realizar as outras potências de se tornar um feto, depois um bebê e etc. A questão - que eu não levantei, mas que eu estava pensando na hora de escrever isso -, é: qual foi a causa determinante que impediu que aquela potência se concretizasse em ato? Se foi qualquer fator que não a conduta deliberada da mulher, não se pode falar em aborto. Se foi uma conduta deliberada por parte da mulher, então é claro que ela é a causa do impedimento de que aquele ser humano continuasse a se desenvolver. Acho que deu pra entender.

 

Outra coisa, é impossível que um espermatozóide sozinho se desenvolva e se torne um bebê; e é do mesmo jeito que a coisa acontece com um óvulo. Mas quando o zigoto é formado, a tendência natural dele é que vá adquirindo as várias formas do "ser" do homem. E, de novo, esse zigoto também está sujeito a acidentes que podem impedi-lo de se desenvolver plenamente. Portanto, também caímos na questão do pensamento cartesiano de querer definir cientificamente quando se dá o início da vida. Definir o que é vida e morte em si mesmos é outro problema que eu nunca pensei, mas qualquer ciência nunca vai chegar numa resposta quanto a isso, porque definir vida apenas com um recorte específico da realidade como a biologia, a psicologia, a neurociência e etc, é reduzir o fenômeno a uma de suas partes e depois definir o todo pela parte - o que é uma metonímia. A ciência fornece muitos dados que podem ajudar - como de fato ajudam - nesse sentido, mas ela tem que estar baseada em toda uma ontologia e metafísica sólidas.

 

 

Link para o post
Compartilhar em outros sites
50 minutos atrás, danilorf disse:

 

Mais uma prova de sua burrice.

 

A astrologia é uma técnica. Na verdade não é nem uma técnica, mas milhares de técnicas. Você não diz que uma técnica é falsa ou verdadeira cientificamente, você apenas diz que ela funciona ou não. Dentre as inúmeras técnicas, algumas funcionam, outras não. E mesmo que as explicações por debaixo delas sejam falsas, não tornam a técnica menos eficiente. A medicina chinesa funciona, e pode ter as explicações mitológicas ou filosóficas ou sei lá o quê; mas ela funciona e isso é um fato. E assim com várias outras coisas. Um mecânico pode consertar um carro e dar uma explicação totalmente errada do porquê do sucesso dele, mas a técnica de conserto dele funciona. Isso é prova, mais uma vez, de que você não sabe o que é ciência e o que é técnica. Outro exemplo:

 

A diferença é que a medicina chinesa funciona, já a astrologia é mero acaso, e isso já foi comprovado em diversos estudos:
 

1. “A influência gravitacional dos astros é responsável pela personalidade.”

  Tanto a teoria gravitacional de Einstein e Newton quanto o Eletromagnetismo de Maxwell mostram, matematicamente, que a atração gravitacional entre os astros e os humanos são muito desprezíveis. Para você ter uma ideia, a atração gravitacional entre duas pessoas próximas conversando é 6 vezes maior que a atração de Marte e alguém aqui na Terra.

2. “Existe uma força não conhecida pela ciência que independe da distância.”

 Ora, por que então só os astros visíveis na terra são responsáveis por influenciar a nossa personalidade? Por que objetos e eventos astronômicos muito maiores e mais fascinantes (Como buracos negros, galáxias, supernovas e etc) não nos influenciam?

3. Os astrônomos e cientistas descobriram uma constelação do zodíaco chamada Ofiúco muito depois do surgimento da Astrologia. Por acaso você já viu alguém deste signo?

4. Estudo de Silverman¹

  O cientista Bernie Silverman analisou milhares de relacionamentos entre pessoas de signos “compatíveis” e “incompatíveis”. Conclusão: As pessoas casam-se e divorciam-se na mesma frequência, independente do signo.

5. Estudo de John A.P²

 Neste estudo, 23 mil pessoas de vários signos foram analisadas. Conclusão: Não havia nenhuma correlação em suas personalidades.

6. Por volta de 4200 a.C., quando surgiram os primeiros escritos sobre os astros, a Astrologia e a Astronomia eram uma só. Enquanto a Astronomia se desenvolveu a partir do método científico, a Astrologia manteve-se estagnada. Assim, os dados astrológicos também permaneceram inalterados, e é ai onde a precessão entra!
          O movimento de precessão terrestre é um fenômeno causado pelas forças exercidas pelo Sol e pela Lua na Terra que fazem com que o planeta tenha uma inclinação de aproximadamente 23,5° em relação ao eixo com o Sol. A cada 26 mil anos, uma volta completa é dada entorno desse eixo.
         Esse movimento por se dar no pólo do planeta, acaba “mudando de lugar” as estrelas. A cada ano, a terra sofre uma movivento de precessão de cerca de 20 minutos (0°20’). Porém, em cerca de 2160 anos, a mudança já é de um mês de seu lugar de origem, ou seja, se hoje o dia 30 de março é considerado pertencente a Áries, daqui a 2000 anos será pertencente a Peixes, e assim sucessivamente até completar uma volta completa. Ou seja, o seu signo está errado!

7. Os astrônomos Roger Culver e Philip Ianna, que publicaram o livro Astrology: True or False, (1988, Prometheus Books), registraram as previsões publicadas de astrólogos bem conhecidos e organizações astrológicas por 5 anos. Das mais de 3000 previsões específicas, envolvendo muitos políticos, atores e outras pessoas famosas, somente 10% se concretizaram. Esta taxa é menor do que a de opiniões informadas.

8. Mas por que então a astrologia é tão convincente ao nos detalhar tão adequadamente?

           Em 1948, o cientista Bertram Forer deu um papel para cada estudante seu descrevendo-o a sua personalidade de maneira detalhada e pediu para que avaliassem de 0 a 5 o quanto que aquele texto o descrevia. A média da sala foi de 4,26.
           No entanto, todos os textos eram exatamente iguais!
          Assim, percebeu-se um efeito psicológico de identificação que certos textos causavam nas pessoas. Tal fenômeno foi batizado de Efeito Forer. ⁸
           O texto na íntegra que o Forer entregou aos seus alunos pode ser lido aqui.

9. O físico John McGervey, da Case Western University, estudou a biografias e datas de nascimento de 6000 políticos e 17000 cientistas e não encontrou qualquer correlação entre a data de nascimento e a profissão, prevista pela astrologia.

10. Um teste duplo-cego da astrologia foi proposto e executado pelo físico Shawn Carlson, do Lawrence Berkeley Laboratory, Universidade da Califónia. Grupos de voluntários forneceram informações para que uma organização astrológica bem estabelecida produzisse um horóscopo completo da pessoa, que também preenchia um questionário de personalidade completo, pré-estabelecido de comum acordo com os astrólogos.
A organização astrológica que calculava o horóscopo completo da pessoa, juntamente com 28 astrólogos profissionais que tinham aprovado o procedimento antecipadamente, selecionavam entre 3 questionários de personalidade aquele que correspondia a um horóscopo calculado. Como haviam 3 questionários e um horóscopo, a chance de acerto aleatório é de 1/3 = 33%.
Os astrólogos tinham previsto antecipadamente que a taxa de acerto deveria ser maior do que 50%, mas em 116 testes, a taxa de acerto foi de 34%, ou seja, a esperada para escolha ao acaso! Os resultados foram publicados no artigo A Double Blind Test of Astrology, S. Carlson, 1985, Nature, Vol. 318, p. 419.

11. O médico dermatologista Valcinir Bedin, presidente da Sociedade Brasileira para Estudos do Cabelo conclui: “Independentemente da fase lunar, a média de crescimento mensal do cabelo é de 1 centímetro.” (Veja, edição 1638, 1 mar 2000, p. 127).

____________________________________


Aqui você encontra o vídeo do James Randi imitando o estudo de Forer:

 

Também recomendo esse outro vídeo onde ele mostra como você pode ser enganado:
 

 

Referências

 

1. Silverman, B.I Studies of Astrology. The Journal of Psychology. 1971, 77, 141-149
2. Innumeracy, Paulos J.A.
3. (Introversion-Extraversion:astrology versus psychology, Jan J.F. Van Rooij, Person. Individ . Diff. Vol. 16. No. 6, 985-988,1994.)
4. A Double Blind Test of Astrology, S Carlson, 1985, Nature, Vol 318, p. 419
5. Carlson S. Astrology. Experientia, Volume 44(4), 15 Abr, 1988, Páginas 290-297.
6. Suitbert Ertel. Geoffrey Dean; Are personality differences between twins predicted by astrology? Personality and Individual Differences, vol, 21, no. 3, pp, 449-454, 1996
7. Roger Culver e Philip Lanna. Astrology: True or False, (1988, Prometheus Books)
8. Forer, B.R (1949). “The fallacy of personal validation: A classrom demonstration of guilibility”. Journal of Abnormal and Social Psychology (American Psychological Association) 44 (1): 118-123.
http://www.universoracionalista.org

Link para o post
Compartilhar em outros sites
4 minutos atrás, Faabs disse:

A diferença é que a medicina chinesa funciona, já a astrologia é mero acaso, e isso já foi comprovado em diversos estudos:

 

Oh, really? Quais dentre as inúmeras técnics astrológicas são mero acaso? Aliás, quais dentre as técnicas funcionam ou não? Dizer que é mero acaso é coisa da sua boca. Você não sabe por que funciona, mas diz que é o acaso. Então vamos dizer que o efeito anestésico das anestesias é mero acaso também, já que não sabemos o motivo disso acontecer.

 

4 minutos atrás, Faabs disse:

1. “A influência gravitacional dos astros é responsável pela personalidade.”

 

Primeiro, a teoria astrológica pode partir tanto de que 1) os corpos maiores movem os corpos menores ou 2) do ponto da teoria das Formas que eu disse acima. Quanto ao 1), isso é apenas uma correlação ou uma relação de causa-efeito? Você nem deve saber o que é isso, e não se preocupou em ler o que eu escrevi também sobre Gauquellin, Brady e Seymou. Não haver uma explicação científica sobre uma determinada ténica não a impugna. 

 

4 minutos atrás, Faabs disse:

2. “Existe uma força não conhecida pela ciência que independe da distância.”

 Ora, por que então só os astros visíveis na terra são responsáveis por influenciar a nossa personalidade? Por que objetos e eventos astronômicos muito maiores e mais fascinantes (Como buracos negros, galáxias, supernovas e etc) não nos influenciam?

 

Simples, porque a técnica astrológica tradicional é baseada na percepção sensível que temos do Céu a partir da Terra. Daqui, a olho nu, não vemos supernovas, buracos negros etc. Pode ser que exista outras forças como essa? Não sei, mas eu não saber já não descarta de cara a possibilidade - e que é exatamente o que você faz, e que é totalmente anti-científico.

 

4 minutos atrás, Faabs disse:

3. Os astrônomos e cientistas descobriram uma constelação do zodíaco chamada Ofiúco muito depois do surgimento da Astrologia. Por acaso você já viu alguém deste signo?

 

Idem acima. Mas, mesmo em técnicas astrológicas modernas, já há planetas e outras constelações que não podemos ver que são levadas em conta, o que eu acho uma idiotice.

 

4 minutos atrás, Faabs disse:

4. Estudo de Silverman¹

O cientista Bernie Silverman analisou milhares de relacionamentos entre pessoas de signos “compatíveis” e “incompatíveis”. Conclusão: As pessoas casam-se e divorciam-se na mesma frequência, independente do signo.

 

Como eu já disse: existem diversas técnicas astrológicas pra diversas coisas, sobre qual técnica ele está falando? Em muitas técnicas a compatilidade de signos nada diz sobre taxas de casamento e divórcio. Dizer que duas pessoas são mais compatíveis não implica dizer que haverá uma taxa de casamentos e divórcios. E outra: esse tipo de coisa nem é analisado pela astrologia natal, e sim pela astrologia horária, que, mais uma vez, não é uma coisa uniforme, mas uma miríade de técnicas. Algumas delas funcionam, outras não. 

 

4 minutos atrás, Faabs disse:

5. Estudo de John A.P²

 Neste estudo, 23 mil pessoas de vários signos foram analisadas. Conclusão: Não havia nenhuma correlação em suas personalidades.

 

 

Mas é óbvio que as personalidades serão diferentes. A astrologia natal só capta aquilo que é permanente na constituição anímica da pessoa. Mas, ainda assim, ela terá um eu-biográfico, um eu-social, um eu-momentâneo, id e ego, arquétipos do inconsciente coletivo e tudo isso dentro da psique dela. Mais ainda, o que a astrologia natal abarca da personalidade de alguém é realmente algo muito pequeno, e ninguém nega isso.

 

Quanto à correlação, o estudo de Gaquellin já provou que há sim uma correlação entre os mapas natais e as profissões das pessoas. Mas, como você não leu o meu post, fica aí copiando e colando merda.

 

4 minutos atrás, Faabs disse:

6. Por volta de 4200 a.C., quando surgiram os primeiros escritos sobre os astros, a Astrologia e a Astronomia eram uma só. Enquanto a Astronomia se desenvolveu a partir do método científico, a Astrologia manteve-se estagnada. Assim, os dados astrológicos também permaneceram inalterados, e é ai onde a precessão entra!
          O movimento de precessão terrestre é um fenômeno causado pelas forças exercidas pelo Sol e pela Lua na Terra que fazem com que o planeta tenha uma inclinação de aproximadamente 23,5° em relação ao eixo com o Sol. A cada 26 mil anos, uma volta completa é dada entorno desse eixo.
         Esse movimento por se dar no pólo do planeta, acaba “mudando de lugar” as estrelas. A cada ano, a terra sofre uma movivento de precessão de cerca de 20 minutos (0°20’). Porém, em cerca de 2160 anos, a mudança já é de um mês de seu lugar de origem, ou seja, se hoje o dia 30 de março é considerado pertencente a Áries, daqui a 2000 anos será pertencente a Peixes, e assim sucessivamente até completar uma volta completa. Ou seja, o seu signo está errado!

 

Mais merda. Os signos são posições espaciais ideais no Céu visível, eles não tem nada a ver com posição de astros e estrela; estas não determinam aquelas. E a determinação de onde está ou não o signo é baseado em que signo estão os 7 planetas visíveis a olho nu. Como as posições dos signos são fixas, tudo vai depender de onde o planeta está. E os cálculos feitos levam em conta sim a variação dos planetas. O que prova que você não sabe mesmo do que está falando.

 

4 minutos atrás, Faabs disse:

7. Os astrônomos Roger Culver e Philip Ianna, que publicaram o livro Astrology: True or False, (1988, Prometheus Books), registraram as previsões publicadas de astrólogos bem conhecidos e organizações astrológicas por 5 anos. Das mais de 3000 previsões específicas, envolvendo muitos políticos, atores e outras pessoas famosas, somente 10% se concretizaram. Esta taxa é menor do que a de opiniões informadas.

8. Mas por que então a astrologia é tão convincente ao nos detalhar tão adequadamente?

 

Na verdade, a astrologia não tem nenhuma pretensão de detalhar a personalidade das pessoas. Ela apenas lida com o caráter, que é o aspecto mais estável da psique humana.

 

4 minutos atrás, Faabs disse:

9. O físico John McGervey, da Case Western University, estudou a biografias e datas de nascimento de 6000 políticos e 17000 cientistas e não encontrou qualquer correlação entre a data de nascimento e a profissão, prevista pela astrologia.

 

O estudo de Gauqellin está esperando ser refutado. 

 

Enfim, já que você não se deu ao trabalho de ler o que eu postei, não vou mais me dar o trabalho de responder o resto. Isso aí você já salvou pra copiar e colar toda vez que o assunto astrologia vs. ciência aparece. Mas, na real, você não faz a menor idéia do que é ciência e nem do que é astrologia.

 

-

 

Encerro esse assunto por aqui.

 

 

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vc está ignorando a grande massa de estudos sobre o assunto que foram realizados ao longo dos últimos 60 anos. Há dados estatísticos abundantes sobre a ausência de influências dos astros na vida, na saúde, na psicologia e no destino humano. Também existem provas abundantes da ausência de capacidade de astrólogos de distinguir entre os mapas astrais de assassinos, suicidas, santos, políticos e gente comum.

 

Quando vc tentou fazer meu mapa astral ficou claro que a astrologia é puro bullshit, eu te passei todas as minhas informações erradas e você começou a dizer como é o meu mapa, e incrivelmente algumas informações batiam, isso só comprova o efeito Forer.

Recomendo este livro sobre o assunto: https://www.amazon.com.br/LIVRO-DA-ASTROLOGIA-curiosos-indecisos-ebook/dp/B017BTZ6VA/ref=sr_1_9?ie=UTF8&qid=1446148558&sr=8-9&keywords=carlos+orsi


Enfim, também não irei mais discutir sobre astrologia aqui, quem quiser acreditar nisso que acredite, porém isso não passa de pseudociência. ^_^

Link para o post
Compartilhar em outros sites
26 minutos atrás, Torf disse:

Sério que estamos discutindo ASTROLOGIA em um tópico sobre aborto?

 

Prova de como Olavo de Carvalho faz lavagem cerebral mesmo...

Terror em nossa nação

 

 

Nunca, desde os tempos em que o Nove Dedos não passava de uma lula tísica, a nossa situação moral esteve tão capenga. Verdadeiros adoradores de Baal estenderam suas mãos perdulárias e dominaram a mídia, impedindo que vozes imparciais se levantem e aniquilando na calada da noite todos aqueles que lutavam contra esta ordem nesfasta. Estes neo-belzebus deslealmente transformaram os latino-americanos no povo mais imbecil coletivo dessa galáxia. Até mesmo o cu de sua mãe tem mais caráter que os coitados que logam no Facebook na busca em difamar meu nome.

 

Era de se esperar que seríamos transformados em uma sucursal mefistofélica do comunismo. Desde os tempos em que a internet ainda era de poucos, ideologias anacrônicas, que são motivo de gracejos nos países industrializados, encontraram teto na intelligentzia tupiniquim. De maneira inequívoca, fanfarrões difamadores se infiltraram em cada canto do meio acadêmico, por meio da técnica do canguru perneta. Este confisco de nossa palavra gera de maneira irreversível a torção em nossos bulbos, o que nos leva a projetar um mundo de fantasias, drogas e ideias esquerdistas abortistas. Nós, seres superiores, povo benquisto por Rachel Sheherazade, há muito tempo somos deturpados por estes inimigos da Verdade, perniciosamente comandadas por algum filho da puta do PT, e ovacionamos a tudo isso como uma girafa com catarata. Eu, por meio de meus alunos, fui talvez o único na igreja que frequento a divulgar o que sites como o TFP já mostravam: o comunismo dominou a sua família.

 

Além de estarmos assoberbados por este mundo de Pepsi-Cola e fetos congelados, os diálogos gravados em fita K7 feitos por mim em um de meus seminários - sem falar nos documentos que a Fox News divulgou - têm a publicação impossibilitada no Brasil. Dentre outros fatos, o cidadão que vai religiosamente todo dia na missa em busca da verdade jamais verá que a relação de George Soros com o PT é batata! E, como já foi esclarecido por mim diversas vezes nos talks, apenas um abortista terceirizado poderia negar o óbvio, ora porra!

 

Destarte, nada de bom fazemos quando diploma em universidade pública é tido como selo de qualidade, quando alguém te pede dinheiro e diz que vai pagar na semana que vem, quando a imprensa faz apologia à camisinha como desculpa para profilaxia da Aids, ou quando uns charlatães dizem que se precisa de cérebro para viver. Épicamente estamos, sem muito trololó, à caminho da descarga do banheiro público.

 

 

Durante uma de minhas caçadas com minha carabina mágica recebi uma mensagem de correio elegante com várias ameaças de estripamento em praça pública, proferidas pérfidamente pelos membros da comunidade Olavo não é astrólogo. Estes fétidos imbecis, no entanto, fracassarão. Eu processarei a todos nas Varas Supremas da Justiça, um por um, até levá-los à falência. Em especial, farei com que o representante-MOR destes anencéfalos tenha os testículos cortados e jogados aos tubarões, se ainda os possuir.

 

http://olaveitor.orgfree.com/

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Quem Está Navegando   0 membros estão online

    Nenhum usuário registrado visualizando esta página.


Clique aqui



×
×
  • Criar Novo...