Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Clique aqui
Visitante Víkingr

Physical Culture - A Era De Antes Dos Suplementos E Das Drogas

Avalie este tópico:

Posts Recomendados

Conteúdo continua após a publicidade.

Em 2017-5-25 at 12:30, yuuuriiii disse:

Não sei se viram mas a Rogue acabou de lançar uma série sobre as lendas. Acabou de sair o primeiro episódio.

Eugen Sandow.

 

 

Caramba, que foda!

 

Vlw por postar 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Para um povo de homens livres, o trabalho regular, paciente e repetitivo dos chineses devia ser algo muito semelhante à domesticação ou escravidão. Quando no século XIII invadiram a China, os mongóis não conseguiram entender que tantas pessoas poderiam viver com tão poucos animais. Eles, que eram grandes pecuaristas e caçadores, consideravam os chineses como animais de gado que "pastavam" em vez de seres humanos reais que comiam carne e os chamavam numa terminologia semelhante à usada para as vacas. "Carne para os homens, pasto para os animais", diziam com desdém. Os sedentários chineses, por sua vez, desprezavam discretamente os mongóis por sua pobreza, selvageria e ignorância. É mais um exemplo da antiga luta entre povos pastorais e camponeses, uma luta cujos ecos ressoam no antagonismo entre montanha e vale, ou entre planalto e planície fértil.

 

 Harold Lamb, em sua biografia "Genghis Khan: the emperor of all men" (1928), especifica, com base em fontes descritivas chinesas, que Genghis Khan "devia ter sido de estatura alta, com ombros largos, com pele esbranquiçada. Seus olhos, inseridos longe um do outro sob uma testa ligeiramente evasiva, não estavam rasgados. E eram verdes ou azuis-acinzentados na íris, com pupilas negras. Em suas costas caiam tranças de um castanho avermelhado". 
mm%2B%25281%2529.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 26/11/2014 at 15:11, Kinko_RO disse:

Marvin Eder, acho que um dos bodybuilders mais fortes da era de ouro.

 

 

 

Só sintam as paralelas e supino da criança

 

MarvinEderBench-2.jpg

 

med_1229961398-Marvin_Eder.jpg

 

(Sim, são dois homens pendurados)

duvido que esse cara seja natural

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

'Calcio Storico': conheça a brutal tradição italiana que une futebol, MMA, sangue, areia, muito orgulho e até uma vaca

 

 

  • Calcio Storico
 

Conheça o 'calcio storico' de Florença, na Itália - um torneio anual parte futebol, parte MMA -, que é tão brutal quanto tradicional, e o orgulho vale mais que a vitória 

 
 
 

Um jovem está deitado com as pernas abertas em uma arena com superfície de areia, e o sangue corre de um machucado aberto acima de seu olho. O responsável por tal ferimento está montado sobre seu peito, e por isso ele não pode se mover. Ao lado, outros rapazes estão se engalfinhando em um terrível emaranhado de punhos, joelhos, ombros e cotovelos. 

Essa cena é ainda mais surreal porque os combatentes estão fantasiados. Alguns estão sem camisa, outros de camiseta, mas todos estão usando calças largas e com listras brilhantes, réplicas de peças do século XVI. 

Eles estão jogando o calcio storico fiorentino (futebol histórico de Florença, em tradução livre) ou, como muita gente local o conhece, calcio in costume (futebol fantasiado). É um ancestral distante dos esportes modernos como o futebol e o futebol americano, mas lembra mais uma mistura de MMA e rúgbi. 

 

Calcio storico não tem muitas regras que limitam o contato, embora seja proibido bater um oponente por trás. Mas é permitido dar um tackle pelas costas do adversário

 
ANSA / AP PHOTO
Calcio storico não tem muitas regras que limitam o contato, embora seja proibido bater um oponente por trás. Mas é permitido dar um tackle pelas costas do adversário
 

Dois times de 27 jogadores, ou calcianti, lutam para levar uma bola até o gol do adversário, que fica no lado oposto de um campo com aproximadamente 40m de largura por 80m de comprimento. Além desse objetivo básico, até mesmo os atletas têm dificuldades de explicar os detalhes, dizendo que o esporte tem "três ou quatro regras".

Com a natureza caótica do jogo, é difícil dizer quando as regras foram quebradas - pelos torcedores e até mesmo pelos juízes. Mas, quando constatadas, violações flagrantes resultam em expulsão.

As restrições essenciais são: 

- Não atingir o adversário por trás (atingir significa não dar socos, chutes ou coisas do tipo; empurrões no estilo rúgbi, ou os tackles do futebol americano,  são permitidos). 

- Não atingir o adversário que já está no chão. Mas você pode derrubar os oponentes, sem problemas. 

- Não jogar dois contra um. Se um adversário já está disputando a bola com seu companheiro de equipe, você não pode tocá-lo a não ser que ele tenha a bola. 

Os jogos duram 50 minutos, sem intervalos ou substituições. Se um jogador sair do campo, não poderá ser substituído. Perder um jogador nessas condições pode ser terrível, especialmente com o calor recorde no verão italiano deste ano. 

Então, o jovem com o corte na sobrancelha espera pacientemente enquanto seu sangue escorre manchando a areia. Os médicos vão chegar em alguns minutos para estancar a hemorragia e ele ainda está lá, debaixo de seu adversário. O dia só está começando.  

 
ANTONIO MASIELLO
Os atletas dos Bianchi treinam no dia anterior à partida final contra os Rossi; eles não são pagos, mas treinam durante três meses para o torneio, realizado uma vez por ano
Os atletas dos Bianchi treinam no dia anterior à partida final contra os Rossi; eles não são pagos, mas treinam durante três meses para o torneio, realizado uma vez por ano
 

Não há jogadores profissionais de calcio storico. É um esporte estritamente amador, e muita gente que joga nem o considera assim. “Não é um esporte”, diz Fabio Selvaggio, jogador dos Bianchi di Santo Spirito, os atuais campeões. “É uma diversão histórica.”

Seja qual for sua definição, o calcio storico é um hobby exigente. Só existem quatro times em Florença, e eles participam de só um torneio oficial durante o ano. É um mata-mata, com duas semifinais e uma final. Assim, mesmo em uma temporada muito boa, um time só pode jogar duas vezes.

Ainda assim as equipes treinam três vezes por semana durante três meses, de março a junho, quando começa a competição. Cada time pode ter entre 60 a 70 jogadores no elenco, apesar de só 27 poderem jogar em uma partida. Nem mesmo a retirada do tradicional prêmio que os campeões recebiam (uma vaca da raça Chianina) diminuiu a participação.

Por que os calcianti gostam tanto de jogar? Todos conhecem muito bem os riscos. Todos os jogadores que deram depoimento para esta história disseram que têm medo quando entram na arena. No jantar oferecido pelos Bianchi na noite antes da final, não foi difícil ver as cicatrizes e narizes quebrados nos corpos dos veteranos. 

 
JUSTIN SETTERFIELD/GETTY IMAGES
O jogo não pára para as equipes médicas, que entram no campo durante a partida para tratar os jogadores; cada time inicia com 27 homens, número que pode diminuir, já que substituições não são permitidas
O jogo não pára para as equipes médicas, que entram no campo durante a partida para tratar os jogadores; cada time inicia com 27 homens, número que pode diminuir, já que substituições não são permitidas
 

Selvaggio foi sincero ao contar seu choque inicial: “Vi o jogo pela primeira vez com 8 ou 9 anos”, disse. “Meu técnico de futebol jogava nos Rossi. Ele me trouxe para ver, mas eu não sabia o que era antes. Fiquei com uma impressão horrível.”

“Eu nem imaginava que veria pessoas levando socos, sendo chutadas no chão. Quando vi meu técnico lutando, comecei a chorar. Eu gritava para o meu pai: ‘Me leva para casa!’.”

Demorou anos para Selvaggio perder o medo do jogo e ver as coisas por outro ângulo. Como muitos outros garotos de Florença, ele disputava uma versão mais amena do calcio storico com seus amigos quando era adolescente. Os agarrões eram permitidos, mas não socos, apesar de sempre saírem muitas brigas. 

Com 20 anos, ele já adorava o jogo e começou a treinar com os Bianchi. Dezoito anos depois, apesar de agora ter uma família e um trabalho de pintor/decorador, ele sempre volta ao calcio. “É por causa da adrenalina,” explicou. “Existe aquela coisa de querer se medir contra alguém, para poder falar: ‘Olha, eu sou mais forte do que você'.”

 
FILIPPO MONTEFORTE/AFP/GETTY IMAGES
Um jogador dos Bianchi, ensanguentado e um tanto desorientado, em campo durante a final do campeonato
Um jogador dos Bianchi, ensanguentado e um tanto desorientado, em campo durante a final do campeonato
 

Apesar de muitos citarem isso, ninguém tem uma resposta única para explicar por que joga. Alguns encaram como uma extensão natural de seu esporte de contato preferido, como o boxe e o rúgbi. Para outros, é uma questão de tradição e socialização.

Para entender bem esse jogo é preciso levar em conta o conceito italiano de campanilismo. Por todo o país, o localismo ainda é muito forte, muitas pessoas se sentem muito mais ligadas ao seu bairro, com as ruazinhas e a torre da igreja (campanile), do que ao país ou mesmo à cidade como um todo.

Essa cultura também está presente no calcio storico. Cada um dos quatro times leva o nome de uma igreja que, por sua vez, representa um bairro histórico de Florença. Os Bianchi (Brancos) são da Basilica di Santo Spirito, os Rossi (Vermelhos) da Santa Maria Novella, os Verdi (Verdes) são da San Giovanni, e os Azzurri (Azuis) da Santa Croce. 

“O sonho de todo garoto que nasceu na vizinhança é vestir esse uniforme. Mas é claro que, de dez caras, só dois vão conseguir, e não é um jogo para todo mundo.

Emiliano Venturi, técnico dos Bianchi

Padres dessas igrejas abençoam as bandeiras de seus times em missas especiais durante os preparativos para o torneio anual. O padre Giuseppe Pagano, o prior de Santo Spirito, já celebrou casamentos e batizou filhos de jogadores.

Ele fala de forma positiva sobre o papel integrador dos Bianchi na comunidade. Mesmo fora do período de treinos de três meses, a equipe procura usar sua influência para fazer coisas positivas: mobilizando seus 800 membros para angariar fundos para caridade ou doar sangue, por exemplo.

O padre Pagano reconhece que não gosta da violência do calcio storico, mas pede para os espectadores enxergarem além. “Já vi momentos muito bonitos quando eles seguem as regras corretamente”, afirmou. “Cenas incríveis, como um jogador que tem o outro dominado debaixo de si sem poder se mover e por isso lhe oferece uma garrafa d'água. Já vi isso muitas vezes.”

 
ANTONIO MASIELLO
Os torcedores dos Bianchi (Brancos) em clima festivo antes da final
Os torcedores dos Bianchi (Brancos) em clima festivo antes da final
 

Para os jogadores que cresceram no bairro, a oportunidade de defender as cores locais é um fator poderoso de motivação. Emiliano Venturi, pela primeira vez técnico dos Bianchi, sempre viveu perto de Santo Spirito. Seu pai foi jogador e depois treinador do time, e agora Emiliano segue seus passos.

“O sonho de todo garoto que nasceu na vizinhança é vestir esse uniforme”, declarou. “Mas é claro que de dez caras só dois vão conseguir, e não é um jogo para todo mundo.”

Para jogar o calcio storico é preciso ter nascido em Florença ou viver ali por pelo menos dez anos consecutivos. Contudo, mesmo nesse contexto, Venturi acredita que ter um núcleo de jogadores da comunidade de Santo Spirito é essencial para o sucesso da equipe.

“Nós dos Bianchi somos diferentes”, diz. “Temos jogadores de outros bairros, é claro, mas as pessoas reconhecem os que são daqui na hora. Dá para notar por que eles jogam com outra vontade, outra mentalidade. Quando o jogo começa, eles explodem.”

 

 
ANTONIO MASIELLO
Torcedores dos Rossi (de vermelho) mostram seu apoio na final. Os jogos são disputados na praça da Basilica di Santa Croce
Torcedores dos Rossi (de vermelho) mostram seu apoio na final. Os jogos são disputados na praça da Basilica di Santa Croce
 

Alguns historiadores acreditam que o calcio storico deriva do harpastum, um jogo com bola usado como exercício de treinamento por legionários e gladiadores durante o Império Romano. A versão moderna, porém, vem de uma tradição militar diferente: a da antiga e curta República de Florença.

Atualmente, os jogos são precedidos de uma procissão pelas ruas de Florença, que conta com cavalaria, arqueiros e soldados a pé carregando coloridas armas medievais. Esses rituais são uma homenagem ao jogo de calcio storico mais famoso de todos os tempos, disputado em 1530.

O povo de Florença havia derrubado os governantes da família Médici e fundado uma república independente, mas logo se viram sob o cerco de tropas do Sacro Império Romano-Germânico e da Espanha. Como demonstração de força, um jogo de calcio storico foi organizado na Piazza Santa Croce, depois de uma marcha ostentosa pela cidade.

O cerco de dez meses terminaria com derrota para os florentinos, mas o jogo continua sendo um símbolo de orgulho e rebeldia local. “Eu sei que, quem é de fora, deve pensar que somos todos loucos”, disse, com risos, Fabrizio Valleri, outro veterano dos Bianchi.

 
FILIPPO MONTEFORTE/AFP/GETTY IMAGES
Um jogador dos Rossi tenta um soco contra um rival dos Bianchi; as lutas individuais são uma parte estratégica do jogo, e não uma aberração. Socar é proibido apenas pelas costas ou se o oponente estiver no chão
Um jogador dos Rossi tenta um soco contra um rival dos Bianchi; as lutas individuais são uma parte estratégica do jogo, e não uma aberração. Socar é proibido apenas pelas costas ou se o oponente estiver no chão
 

Talvez, mas menos pela celebração do passado do que pelas ferozes paixões do presente. Os quatro times participam da procissão, incluindo os que perderam na semifinal. O campeonato desse ano quase saiu fora do controle antes mesmo de começar, porque torcedores dos Bianchi jogaram garrafas d'água nos atletas dos Azzurri.

Esses responderam devolvendo as garrafadas, e uma delas passou muito perto da cabeça de uma jovem torcedora. Os Bianchi chegaram à decisão de forma controversa, já que venceram a semifinal depois que um jogador dos Azzurri se negou a deixar a arena após ser expulso pelo juiz. A cena terminou com a polícia em campo.

Felizmente, dessa vez não será assim. Os jogadores dos Azzurri acabaram saindo da confusão, evitando os torcedores dos Bianchi antes que as hostilidades aumentassem. Os 4.800 espectadores reunidos na arena temporária da Piazza Santa Croce desta vez veriam um jogo que se tornaria um clássico inesquecível.

No começo, como sempre, houve caos. Uma partida de calcio storico começa com bola ao alto. Com 54 jogadores reunidos em um espaço tão pequeno, sem contar os juízes, um capitão e um bandeirinha que não jogam, a sensação de aperto é assustadora.

Aos poucos, porém, surge um padrão de jogo. A proibição de golpear um adversário caído leva a um inevitável processo de redução gradual de jogadores, com os que sobram chegando de fato ao combate mano a mano (usando qualquer método de luta de rua que funcione, incluindo murros, chutes e arremessos) até que o outro esteja dominado no chão. Normalmente, o time que fica com a bola no início troca passes no fundo, protegendo a bola enquanto esse cenário se desenrola. 

 
ANTONIO MASIELLO
O campeão Bianchi é ovacionado quando entra na Piazza Santa Croce antes da final; a arena temporária fora da igreja tem capacidade para 4.800 fãs
O campeão Bianchi é ovacionado quando entra na Piazza Santa Croce antes da final; a arena temporária fora da igreja tem capacidade para 4.800 fãs

 

 

Até que, quando o número de atletas em pé diminui, alguém tenta uma jogada. O time com a bola pode tentar um ataque, às vezes com jogadas ensaiadas, com estratégias de bloqueio e finta e uma tentativa de passar a bola para o companheiro. Ou um defensor pode tentar forçar uma ação correndo atrás do homem que carrega a bola.

Em qualquer cenário, tomar a iniciativa envolve riscos. Andar por um campo cheio de corpos não é tarefa fácil. Os lutadores que venceram seus duelos esperam como crocodilos no pântano, prontos para atacar a vítima escolhida agarrando suas pernas enquanto passam.

Os ataques podem ser brutais. Mesmo para quem está acostumado com esportes de contato, ver alguém levando uma joelhada na coluna pode ser chocante. Em um determinado momento, um jogador dos Bianchi derrubou um adversário com um golpe de luta livre: um suplex alemão, para afundar a cabeça de sua vítima na areia e nas pedras. Até mesmo o homem que deu o golpe parecia aterrorizado depois que percebeu o que fez.

Mas foram os Rossi que acabaram saindo na frente. Uma peculiaridade do calcio storico é que tentativas de marcar podem render pontos ao adversário. Os atacantes marcam um ponto, ou caccia (em uma tradução literal, "caça"), quando arremessam a bola por cima de um muro de altura média em uma rede estendida a mais ou menos 1 m do muro, que cobre todo o campo. Mas se o arremesso é muito alto e acerta a grade em cima da rede, os adversários ganham meio ponto.

 
ANTONIO MASIELLO
Os jogadores que permanecem em pé tendem a diminuir a velocidade à medida que o jogo avança. Cada partida dura 50 minutos, sem paralisações
Os jogadores que permanecem em pé tendem a diminuir a velocidade à medida que o jogo avança. Cada partida dura 50 minutos, sem paralisações
 

Foi assim que os Rossi ficaram na frente por um cacce e meio a zero. Demorou mais 20 minutos até que os Bianchi finalmente mexessem no placar, com um arremesso do meio do campo de Lorenzo Ardito, no seu segundo ano como jogador. Depois disso, eles começaram a dominar a partida. Faltando nove minutos para o final, os Bianchi tinham uma vantagem de dois pontos e meio.

Deveria ser suficiente. Mas o cansaço e o medo começaram a aparecer. Tentativas de proteger a bola e deixar o tempo passar fracassaram com os contra-ataques. Os Rossi retomaram a vantagem de meio ponto depois de uma jogada que encurralou o adversário. O placar mostrava cinco e meio a cinco faltando dois minutos para o final. 

Nunca a arena pareceu tanto com um campo de batalha. Os times são obrigados  a trocar de lado depois de cada ponto, mas a essa altura os jogadores dos dois lados (cobertos de suor, sangue e areia) mal podiam andar. Os corpos estavam maltratados e machucados, os curativos sujos mal protegiam os narizes quebrados e as feridas abertas.

Os Bianchi recuperaram a bola, mas não havia nenhum plano de jogada. O capitão da equipe continuava a gritar instruções como se fosse um general de guerra, mas seus soldados estavam muito atordoados para responder. 

Para ser honesto, pensei que tinha errado, não vi onde a bola tinha ido. Mas depois ouvi os gritos da torcida.

Lorenzo Ardito, descrevendo seu gol do meio do campo, que deu a vitória ao Bianchi

Faltando 60 segundos, a bola chegou em Ardito. Como contou depois, ele mal conseguia ficar de pé. “O Fabrizio Valleri gritava para mim, ‘Vai!’, e eu respondi: ‘Não dá. Não consigo mais correr, Fabi'. Ele respondeu: ‘Para de chorar e vai! Não quero nem saber se você não consegue mais correr, vai ter que fazer isso de qualquer jeito’."

“Então eu peguei a bola e avancei cinco metros. Havia dois caras na minha frente, um à direita e outro à esquerda. Eu não tinha para onde ir. Eu pensei comigo mesmo: ‘Arremessa agora’. Para ser honesto, pensei que tinha errado, não vi onde a bola tinha ido. Mas depois ouvi os gritos da torcida".

Foi o segundo arremesso do meio do campo que ele fez aquele dia. No primeiro, a bola tinha ido diretamente para o gol, já no segundo ela caiu um pouco antes da meta, mas quicou e acabou subindo até passar perfeitamente por sobre o muro. Os torcedores dos Bianchi, sentados no lado esquerdo do estádio, explodiram. Ardito chorou. 

 

 
ANTONIO MASIELLO
Vitoriosa, a equipe dos Bianchi comemora depois de defender o seu campeonato graças a um gol nos últimos instantes - ou a caccia -, marcada em um tiro do meio do campo
Vitoriosa, a equipe dos Bianchi comemora depois de defender o seu campeonato graças a um gol nos últimos instantes - ou a caccia -, marcada em um tiro do meio do campo
 

Uma hora após o final do jogo, um rapaz com um corte na sobrancelha ajoelha no meio da Piazza Santo Spirito. Todos os jogadores dos Bianchi foram para lá após a partida, caminhando um quilômetro e meio sem parar nem para trocar de roupa. Os vencedores tiveram uma recepção de heróis. Jovens de 20 e poucos anos comemoravam com copos de cerveja nas mãos, enquanto as vovós celebravam sacudindo seus panos de prato na janela.

Mas ainda havia um último compromisso. O rapaz ajoelhado está pedindo sua namorada em casamento. Na frente de todos, ela responde que sim.

Seu nome é Nicola Mattarese, ele joga nos Bianchi desde 2014. Um pouco antes, ao final do último treinamento da equipe, ele explicou (falando em inglês) a razão do amor pelo calcio storico. “Não sou o tipo de pessoa que sai por aí esmurrando os outros”, disse. “Mas quando era mais novo, se me metia em uma briga (mesmo que não quisesse), eu sentia uma parte de mim que não conhecia.”

“O tempo desacelera. Você não sente mais dor, por que a adrenalina não deixa. E depois, quando tudo vai bem, você se sente orgulhoso, cheio de energia. Confia mais em si mesmo. Sempre tive dificuldades para acreditar em mim mesmo. Não sou corajoso. Foram essas emoções que fui buscar no calcio storico."

Parece que hoje, finalmente, ele encontrou essas emoções. 

http://espn.uol.com.br/noticia/710297_calcio-storico-conheca-a-brutal-tradicao-italiana-que-une-futebol-mma-sangue-areia-muito-orgulho-e-ate-uma-vaca

Editado por Norton (veja o histórico de edições)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

http://www.badassoftheweek.com/gurung.html

Pesquisei um pouco sobre o treinamento deles durante a segunda guerra mundial. É fácil de entender porque de suas façanhas. Treinavam horas a fio por dia. Corridas de 20 km com cargas de até 45 kg, muitas barras e flexões e em altitudes onde o ar é bastante rarefeito. Eles sabiam instintivamente que melhoraria a capicidade respiratória.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Um Wall legalzinho aí

 

Introduzi-me numa sala de pesos pela primeira vez em julho de 1999. Estava no início de uma rotina dupla no futebol e próximo de me iniciar no primeiro ano do colégio secundário. Com 135 libras, parecia e sentia-me fora do espaço. Lembro-me de assistir a um veterano chamado “Jonesy”, rasgado e forte como um boi. Não me recordo de suas medidas exatas, mas ele possuía 190 libras de pura massa a 1,78 m, e era um dos caras mais fortes do time. Sabia que queria ter a aparência dele e que deveria levantar cargas tal como ele fazia. Comecei a levantar pesos a partir daquele dia e não parei desde então. O cheiro, a atmosfera e o barulho dos instrumentos soando dos oradores me fisgaram imediatamente. Eu queria ser grande e forte e tinha consciência de que isso era somente uma questão de tempo.

 

Abri uma “Muscle Magazine” no meu caminho de costume para casa e naquela noite descobri o que precisava caso quisesse ficar grande e forte:

 

1. Suplementos;
2. Uma rotina de treino divida em seis dias para cada parte corporal;
3. Frango, arroz integral e brócolis.

 

Então era isto; com todos estes três aspectos, tornar-me-ia rasgado e forte.

Desta forma fui e comprei algum pó de proteína. Anotei meu programa de treinamento combinando todas as coisas provindas da revista. Tornara-se um emaranhado de um programa no qual eu tinha de treinar seis vezes na semana (você sabe, porque eu precisava de um dia de bíceps e de outro para panturrilhas…). Também dei a minha mãe uma lista de compras (lembrando que apenas tinha 14 anos) e obriguei-a a comprar um monte de frango, arroz integral, claras de ovos e outras comidas comuns no bodybuilding tradicional.

 

Treinei duro e comi rigorosamente. Cinco meses depois, naquele dezembro, ainda estava pesando 135 libras. Poderia dizer, por olhar no espelho, que eu havia construído um pouco de músculo e havia perdido um pouco de gordura, contudo ainda com 135 libras. Eu era pequeno e fraco e não sabia explicar o porquê. Fiz o que as revistas disseram e não fui muito longe, logo comecei a pedir conselhos para os maiores, mais fortes veteranos do time de futebol. Eu lhes perguntei:

 

- Que suplementos devo comprar?
- Qual é o melhor pó de proteína?
- Qual é a melhor rotina de treinamento?
- Qual é o melhor exercício para (insira a parte do corpo aqui)?

 

Eles me deram respostas pelas quais eu não esperava:

 

- Você precisa comer mais comida.
- Tente beber um galão (3,8 litros) de leite por dia.
- Você somente precisa treinar três ou quatro dias na semana.
- Squats (agachamento), deadlifts(terra), bench presses(supino) e Power cleans devem ser a base de seu treinamento.
- Treine para ser forte e o melhor jogador de futebol do campo.

 

Foi então que as coisas vieram à realidade. Aqueles veteranos deram-me um conselho deveras valioso, mas eu ainda era muito teimoso para o escutar. Isto não era o que as revistas diziam, e os caras das revistas eram grandes e fortes, então por que os ouviria?

 

Permaneci a trabalhar inutilmente por alguns meses até me decidir a finalmente seguir tais conselhos. Iniciei a beber um galão de leite diariamente. Comei a treinar inteligentemente. Ainda fazia coisas estúpidas, mas estava agachando, puxando (deadlifting), fazendo Power cleans, supino, barras etc.. Ainda possuía muitos movimentos acessórios e treinava todas as partes do corpo num único dia. Eu ainda não descobrira qual músculo trabalhava o Power clean.

 

Vários meses depois, em julho, eu voltara à rotina dupla e pesava 151 libras.Finalmente ganhara um pouco de músculo. Então pensei que meus parceiros de time talvez estivessem certos, e os ouvia cada vez mais. Meu novo técnico de futebol me dera o livro “Bigger, Faster, Stronger” quando o perguntei por um programa de treinamento. Ele simplesmente disse-me, “siga isto”.

 

Acabei por entender grande parte de tudo, mas ainda tinha muito que aprender. Permaneci treinando duro nos anos seguintes, graduando-me no colégio secundário com 185 libras de pura massa. No meu primeiro ano no colégio finalmente bati as 190 libras. Se eu soubesse o que sei agora…
Por conta de toda a informação na internet e nas revistas lhes dizendo como se tornar maior e mais forte, decidi compartilhar com vocês como permanecer pequeno e fraco, porque isto é o que vejo quando vejo tantos fazerem:

"Compre o melhor suplemento, mais novo e da última moda"

 

Esta é a chave. Como você observa, os maiores, mais fortes caras no mundo encontraram o suplemento secreto número um que lhe torna 10.000 por cento mais anabólico e destranca seu potencial de crescimento através de um mecanismo mágico que somente fora feito com os búfalos belgas azuis. Se isto não funcionar com você como funcionou com o cara do anúncio, então este não é seu suplemento mágico. Vire a página e encontre o novo pré-treino que lhe fornece vascularização e contém um ingrediente chave que é uma molécula isolada de metanfetamina pura. Se você o seguir com a fórmula pós-treino deles, a combinação patenteada de proteína e do especial-super-secreto carboidrato irá diretamente para seus músculos e adicionará 150% mais músculo do que comer a mesma quantidade de proteína e carboidratos em uma refeição.

 

Com toda a sinceridade, suplementos não têm nada de mal. Há grandes companhias no meio da indústria que provêem suplementos de alta qualidade – bem como também há muita porcaria. Vamos analisar a palavra “suplemento” e ver o que realmente significa.

 

Suplemento: produto utilizado oralmente que contém um ou mais ingredientes (como vitaminas e aminoácidos) cuja intenção é a de suplementar uma dieta e não é considerado comida.
Agora, há uma diferente forma de analisar isto. Digamos que você possua uma carreira bem sucedida e arranje um emprego de baixa remuneração como diversão para suplementar sua renda e prover a si renda extra para gastar. É sensato que você deixe sua carreira e tente viver de seu emprego secundário e de baixa remuneração? É óbvio que não. Todos sabemos que isso não seria uma decisão inteligente, ainda assim pessoas fazem isso a todo o tempo com suplementos. Eles gastam seu dinheiro suado em suplementos ao invés de comida a todo o tempo. Isso é uma loucura.

 

Se você possuir uma grana extra (depois de obter toda sua comida) então os seguintes suplementos estão num bom ponto de começo. Eles sem dúvidas são desnecessários, mas para quem deseja se tornar maior e mais forte eles podem ser úteis.

 

1. Pó de proteína.
2. Creatina.
3. Óleo de peixe.
4. Multivitamínico.

 

"Siga os insanos programas de treinamento de alto volume, treinando múltiplos dias na semana."

Porquanto sua base de força seja baixa enquanto um iniciante, temos de assegurar que façamos o volume necessário, de forma que você seja forçado a utilizar o peso mais leve possível. Não queremos nenhuma resposta adaptativa de o corpo se tornando maior ou mais forte; apenas queremos queimar uma tonelada de calorias e prover um pump agradável. Queremos realizar tolices como chegar à falha no supino inclinado com halteres em nossos drop sets, que se iniciam com halteres de 30 libras e terminam com halteres de 15 libras. Por que treinar três vezes na semana se você pode treinar seis? Não queremos ter tempo para descanso e recuperação, queremos nos manter queimando o máximo de calorias, porque queimar calorias é moderno.

 

Revistas, livros e boatos lhes dizem que a forma de se tornar grande é seguir os programas que os fisiculturistas profissionais empregam. Estou aqui para lhe dizer que eles estão errados.

Primeiramente, um fisiculturista profissional que possui anos de experiência em treinamento deve e irá treinar diferentemente do que você. Quais as metas deles no momento? Eles estão em pré-contest? Eles estão trabalhando um ponto fraco? Você não deve treinar como um fisiculturista em pré-contest, e você sem dúvidas não deve trabalhar um ponto franco caso não tenha um tamanho considerável. Quer saber qual seu ponto fraco enquanto um iniciante? Todos.
Se isto funciona para eles, funcionará para você, correto? Errado. Na realidade, aqueles programas são tipicamente uma breve imagem de um possível programa de treinamento, mas não a imagem completa. E como os fisiculturistas chegam àquele ponto. Algumas vezes, são apenas construídos para parecerem mais “hardcore”. Os fisiculturistas de topo têm mais diferentes metas do que a maioria de nós. Eles já desenvolveram uma quantidade insana de massa muscular, e a maior parte de seus programas de treinamento para obter esta massa se tornaram muito diferentes do que aparentam agora. Eles, ainda, possuem uma genética singular que falta na maioria de nós.

 

Se você está começando sua jornada para ser grande e forte, domine a fundo estes levantamentos:
- Squat; (agachamento livre)
- Deadlift;(levantamento terra)
- Bench Press; (supino reto)
- Overhead Press; (desen. Militar)
- Rows; (aquele de costa)
- Pull Ups e Chin Ups.

 

Treine três ou quatro dias na semana e foque em vagarosamente adicionar mais peso à barra. E é isto. Isto não é sexy ou moderno, mas funciona.

 

"Coma como um fisiculturista em Pré-Contest"

 

A dieta é a chave para permanecer pequeno e fraco. Você deve apenas comer claras de ovos, frango, brócolis, tuna, arroz integral, batatas doces e pó de proteína. Carregar consigo um jarro com um galão de água é opcional, mas recomendado. Você definitivamente não deve ingerir muitos carboidratos e deve manter as calorias baixas. Você pode ter uma refeição lixo a cada 14 dias – mas seja cuidadoso aqui da mesma forma. Nós estamos tentando nos manter abaixo da manutenção em calorias. Carregue suas refeições num pote. Se você puder permanecer com fome o tempo todo, será melhor ainda.

 

Isso pode soar engraçado, e é, mas tenho visto de primeira mão. Se você pesa 150 libras, tem mais de um metro e meio e ainda come desta forma, você para sempre será pequeno e fraco. Você deve comer a maldita comida se quiser ser grande e forte. Algumas pessoas dizem que o progresso representa 70 por cento da dieta e 30 por cento do treinamento, além de outras análises percentuais absurdas. Você quer realmente saber o que leva realmente a se tornar grande e forte? 100 por cento de comprometimento com a dieta e 100 por cento de comprometimento com o treinamento.

 

Vejo como isto pode ser confuso para iniciantes, por conta de não poderem comer como um fisiculturista. Os fisiculturistas comem desta forma e são enormes. A questão é, a dieta destes caras tipicamente refletem sua rotina nutricional de pré-contest. Você não pode esperar comer desta forma e tornar-se nem maior ou mais forte. Enquanto as comidas do fisiculturismo tradicional, ou “comidas limpas” sejam boas, você terá a necessidade de adicionar algumas das seguintes:
- carne vermelha (todos os cortes – do mais gordo ao mais magro);
- ovos inteiros;
- bacon;
- batatas;
- batatas doces;
- batatas vermelhas;
- leite;
- coxas e asas de frango;
- arroz branco;
- aveia;
- manteiga de amendoim;
- frutas;
- nozes;
- pão;
- queijo;
- queijo cottage;
-purê de batatas.

 

As comidas acima, combinadas com as comidas do fisiculturismo tradicional, devem constituir a maior parte de sua dieta. Eu recomendo a adição de algumas “comidas sujas” também. As melhores, na minha opinião:
- hambúrgueres;
- pizza;
- comidas mexicanas;
- leite achocolatado;
- milkshakes.

 

Há muitas opções, mas eu não recomendo uma tonelada de comida processada. Eu recomendo um bom hambúrguer e batatas fritas de um bom restaurante de drive-thru. Enquanto a comida de drive-thru pode e irá lhe providenciar calorias abundantes, a qualidade da comida é muito pobre e cheia de porcarias. Comida processada ocasionalmente será útil, mas não faça disso sua matéria principal.

"Tenha obsessão pela necessidade de sempre ver seu abdômen"

 

Para permanecer pequeno e fraco, seu abdômen deve sempre estar visível. Todo o dia do ano, você deve olhar para seu abdômen no espelho e ter certeza de que ele ainda está ali. Caso ele se torne menos nítido ou um pouco macio, você deve imediatamente cortar alguns carboidratos de sua dieta. Nós não podemos ter você nem maior nem mais forte.

 

Eu cometi este pecado. Quando estava no colégio secundário, tinha abdômen o ano todo. Era orgulhoso deles e não os queria perder. E não foi até eu ir para o colégio, época em que abri mão dele. Também passei de 190 para 210 libras durante este termo – com a maioria dos ganhos sendo de músculo. Perdi de vista meu abdômen durante este tempo, contudo não havia percebido que enfim conseguira maiores braços, peitorais, trapézios e dorsais. Fora uma bela troca.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
9 horas atrás, TheKingGamerBr disse:

Um Wall legalzinho aí

 

Introduzi-me numa sala de pesos pela primeira vez em julho de 1999. Estava no início de uma rotina dupla no futebol e próximo de me iniciar no primeiro ano do colégio secundário. Com 135 libras, parecia e sentia-me fora do espaço. Lembro-me de assistir a um veterano chamado “Jonesy”, rasgado e forte como um boi. Não me recordo de suas medidas exatas, mas ele possuía 190 libras de pura massa a 1,78 m, e era um dos caras mais fortes do time. Sabia que queria ter a aparência dele e que deveria levantar cargas tal como ele fazia. Comecei a levantar pesos a partir daquele dia e não parei desde então. O cheiro, a atmosfera e o barulho dos instrumentos soando dos oradores me fisgaram imediatamente. Eu queria ser grande e forte e tinha consciência de que isso era somente uma questão de tempo.

 

Abri uma “Muscle Magazine” no meu caminho de costume para casa e naquela noite descobri o que precisava caso quisesse ficar grande e forte:

 

1. Suplementos;
2. Uma rotina de treino divida em seis dias para cada parte corporal;
3. Frango, arroz integral e brócolis.

 

Então era isto; com todos estes três aspectos, tornar-me-ia rasgado e forte.

Desta forma fui e comprei algum pó de proteína. Anotei meu programa de treinamento combinando todas as coisas provindas da revista. Tornara-se um emaranhado de um programa no qual eu tinha de treinar seis vezes na semana (você sabe, porque eu precisava de um dia de bíceps e de outro para panturrilhas…). Também dei a minha mãe uma lista de compras (lembrando que apenas tinha 14 anos) e obriguei-a a comprar um monte de frango, arroz integral, claras de ovos e outras comidas comuns no bodybuilding tradicional.

 

Treinei duro e comi rigorosamente. Cinco meses depois, naquele dezembro, ainda estava pesando 135 libras. Poderia dizer, por olhar no espelho, que eu havia construído um pouco de músculo e havia perdido um pouco de gordura, contudo ainda com 135 libras. Eu era pequeno e fraco e não sabia explicar o porquê. Fiz o que as revistas disseram e não fui muito longe, logo comecei a pedir conselhos para os maiores, mais fortes veteranos do time de futebol. Eu lhes perguntei:

 

- Que suplementos devo comprar?
- Qual é o melhor pó de proteína?
- Qual é a melhor rotina de treinamento?
- Qual é o melhor exercício para (insira a parte do corpo aqui)?

 

Eles me deram respostas pelas quais eu não esperava:

 

- Você precisa comer mais comida.
- Tente beber um galão (3,8 litros) de leite por dia.
- Você somente precisa treinar três ou quatro dias na semana.
- Squats (agachamento), deadlifts(terra), bench presses(supino) e Power cleans devem ser a base de seu treinamento.
- Treine para ser forte e o melhor jogador de futebol do campo.

 

Foi então que as coisas vieram à realidade. Aqueles veteranos deram-me um conselho deveras valioso, mas eu ainda era muito teimoso para o escutar. Isto não era o que as revistas diziam, e os caras das revistas eram grandes e fortes, então por que os ouviria?

 

Permaneci a trabalhar inutilmente por alguns meses até me decidir a finalmente seguir tais conselhos. Iniciei a beber um galão de leite diariamente. Comei a treinar inteligentemente. Ainda fazia coisas estúpidas, mas estava agachando, puxando (deadlifting), fazendo Power cleans, supino, barras etc.. Ainda possuía muitos movimentos acessórios e treinava todas as partes do corpo num único dia. Eu ainda não descobrira qual músculo trabalhava o Power clean.

 

Vários meses depois, em julho, eu voltara à rotina dupla e pesava 151 libras.Finalmente ganhara um pouco de músculo. Então pensei que meus parceiros de time talvez estivessem certos, e os ouvia cada vez mais. Meu novo técnico de futebol me dera o livro “Bigger, Faster, Stronger” quando o perguntei por um programa de treinamento. Ele simplesmente disse-me, “siga isto”.

 

Acabei por entender grande parte de tudo, mas ainda tinha muito que aprender. Permaneci treinando duro nos anos seguintes, graduando-me no colégio secundário com 185 libras de pura massa. No meu primeiro ano no colégio finalmente bati as 190 libras. Se eu soubesse o que sei agora…
Por conta de toda a informação na internet e nas revistas lhes dizendo como se tornar maior e mais forte, decidi compartilhar com vocês como permanecer pequeno e fraco, porque isto é o que vejo quando vejo tantos fazerem:

"Compre o melhor suplemento, mais novo e da última moda"

 

Esta é a chave. Como você observa, os maiores, mais fortes caras no mundo encontraram o suplemento secreto número um que lhe torna 10.000 por cento mais anabólico e destranca seu potencial de crescimento através de um mecanismo mágico que somente fora feito com os búfalos belgas azuis. Se isto não funcionar com você como funcionou com o cara do anúncio, então este não é seu suplemento mágico. Vire a página e encontre o novo pré-treino que lhe fornece vascularização e contém um ingrediente chave que é uma molécula isolada de metanfetamina pura. Se você o seguir com a fórmula pós-treino deles, a combinação patenteada de proteína e do especial-super-secreto carboidrato irá diretamente para seus músculos e adicionará 150% mais músculo do que comer a mesma quantidade de proteína e carboidratos em uma refeição.

 

Com toda a sinceridade, suplementos não têm nada de mal. Há grandes companhias no meio da indústria que provêem suplementos de alta qualidade – bem como também há muita porcaria. Vamos analisar a palavra “suplemento” e ver o que realmente significa.

 

Suplemento: produto utilizado oralmente que contém um ou mais ingredientes (como vitaminas e aminoácidos) cuja intenção é a de suplementar uma dieta e não é considerado comida.
Agora, há uma diferente forma de analisar isto. Digamos que você possua uma carreira bem sucedida e arranje um emprego de baixa remuneração como diversão para suplementar sua renda e prover a si renda extra para gastar. É sensato que você deixe sua carreira e tente viver de seu emprego secundário e de baixa remuneração? É óbvio que não. Todos sabemos que isso não seria uma decisão inteligente, ainda assim pessoas fazem isso a todo o tempo com suplementos. Eles gastam seu dinheiro suado em suplementos ao invés de comida a todo o tempo. Isso é uma loucura.

 

Se você possuir uma grana extra (depois de obter toda sua comida) então os seguintes suplementos estão num bom ponto de começo. Eles sem dúvidas são desnecessários, mas para quem deseja se tornar maior e mais forte eles podem ser úteis.

 

1. Pó de proteína.
2. Creatina.
3. Óleo de peixe.
4. Multivitamínico.

 

"Siga os insanos programas de treinamento de alto volume, treinando múltiplos dias na semana."

Porquanto sua base de força seja baixa enquanto um iniciante, temos de assegurar que façamos o volume necessário, de forma que você seja forçado a utilizar o peso mais leve possível. Não queremos nenhuma resposta adaptativa de o corpo se tornando maior ou mais forte; apenas queremos queimar uma tonelada de calorias e prover um pump agradável. Queremos realizar tolices como chegar à falha no supino inclinado com halteres em nossos drop sets, que se iniciam com halteres de 30 libras e terminam com halteres de 15 libras. Por que treinar três vezes na semana se você pode treinar seis? Não queremos ter tempo para descanso e recuperação, queremos nos manter queimando o máximo de calorias, porque queimar calorias é moderno.

 

Revistas, livros e boatos lhes dizem que a forma de se tornar grande é seguir os programas que os fisiculturistas profissionais empregam. Estou aqui para lhe dizer que eles estão errados.

Primeiramente, um fisiculturista profissional que possui anos de experiência em treinamento deve e irá treinar diferentemente do que você. Quais as metas deles no momento? Eles estão em pré-contest? Eles estão trabalhando um ponto fraco? Você não deve treinar como um fisiculturista em pré-contest, e você sem dúvidas não deve trabalhar um ponto franco caso não tenha um tamanho considerável. Quer saber qual seu ponto fraco enquanto um iniciante? Todos.
Se isto funciona para eles, funcionará para você, correto? Errado. Na realidade, aqueles programas são tipicamente uma breve imagem de um possível programa de treinamento, mas não a imagem completa. E como os fisiculturistas chegam àquele ponto. Algumas vezes, são apenas construídos para parecerem mais “hardcore”. Os fisiculturistas de topo têm mais diferentes metas do que a maioria de nós. Eles já desenvolveram uma quantidade insana de massa muscular, e a maior parte de seus programas de treinamento para obter esta massa se tornaram muito diferentes do que aparentam agora. Eles, ainda, possuem uma genética singular que falta na maioria de nós.

 

Se você está começando sua jornada para ser grande e forte, domine a fundo estes levantamentos:
- Squat; (agachamento livre)
- Deadlift;(levantamento terra)
- Bench Press; (supino reto)
- Overhead Press; (desen. Militar)
- Rows; (aquele de costa)
- Pull Ups e Chin Ups.

 

Treine três ou quatro dias na semana e foque em vagarosamente adicionar mais peso à barra. E é isto. Isto não é sexy ou moderno, mas funciona.

 

"Coma como um fisiculturista em Pré-Contest"

 

A dieta é a chave para permanecer pequeno e fraco. Você deve apenas comer claras de ovos, frango, brócolis, tuna, arroz integral, batatas doces e pó de proteína. Carregar consigo um jarro com um galão de água é opcional, mas recomendado. Você definitivamente não deve ingerir muitos carboidratos e deve manter as calorias baixas. Você pode ter uma refeição lixo a cada 14 dias – mas seja cuidadoso aqui da mesma forma. Nós estamos tentando nos manter abaixo da manutenção em calorias. Carregue suas refeições num pote. Se você puder permanecer com fome o tempo todo, será melhor ainda.

 

Isso pode soar engraçado, e é, mas tenho visto de primeira mão. Se você pesa 150 libras, tem mais de um metro e meio e ainda come desta forma, você para sempre será pequeno e fraco. Você deve comer a maldita comida se quiser ser grande e forte. Algumas pessoas dizem que o progresso representa 70 por cento da dieta e 30 por cento do treinamento, além de outras análises percentuais absurdas. Você quer realmente saber o que leva realmente a se tornar grande e forte? 100 por cento de comprometimento com a dieta e 100 por cento de comprometimento com o treinamento.

 

Vejo como isto pode ser confuso para iniciantes, por conta de não poderem comer como um fisiculturista. Os fisiculturistas comem desta forma e são enormes. A questão é, a dieta destes caras tipicamente refletem sua rotina nutricional de pré-contest. Você não pode esperar comer desta forma e tornar-se nem maior ou mais forte. Enquanto as comidas do fisiculturismo tradicional, ou “comidas limpas” sejam boas, você terá a necessidade de adicionar algumas das seguintes:
- carne vermelha (todos os cortes – do mais gordo ao mais magro);
- ovos inteiros;
- bacon;
- batatas;
- batatas doces;
- batatas vermelhas;
- leite;
- coxas e asas de frango;
- arroz branco;
- aveia;
- manteiga de amendoim;
- frutas;
- nozes;
- pão;
- queijo;
- queijo cottage;
-purê de batatas.

 

As comidas acima, combinadas com as comidas do fisiculturismo tradicional, devem constituir a maior parte de sua dieta. Eu recomendo a adição de algumas “comidas sujas” também. As melhores, na minha opinião:
- hambúrgueres;
- pizza;
- comidas mexicanas;
- leite achocolatado;
- milkshakes.

 

Há muitas opções, mas eu não recomendo uma tonelada de comida processada. Eu recomendo um bom hambúrguer e batatas fritas de um bom restaurante de drive-thru. Enquanto a comida de drive-thru pode e irá lhe providenciar calorias abundantes, a qualidade da comida é muito pobre e cheia de porcarias. Comida processada ocasionalmente será útil, mas não faça disso sua matéria principal.

"Tenha obsessão pela necessidade de sempre ver seu abdômen"

 

Para permanecer pequeno e fraco, seu abdômen deve sempre estar visível. Todo o dia do ano, você deve olhar para seu abdômen no espelho e ter certeza de que ele ainda está ali. Caso ele se torne menos nítido ou um pouco macio, você deve imediatamente cortar alguns carboidratos de sua dieta. Nós não podemos ter você nem maior nem mais forte.

 

Eu cometi este pecado. Quando estava no colégio secundário, tinha abdômen o ano todo. Era orgulhoso deles e não os queria perder. E não foi até eu ir para o colégio, época em que abri mão dele. Também passei de 190 para 210 libras durante este termo – com a maioria dos ganhos sendo de músculo. Perdi de vista meu abdômen durante este tempo, contudo não havia percebido que enfim conseguira maiores braços, peitorais, trapézios e dorsais. Fora uma bela troca.

Essa wall tem muita coisa legal mas a visão do cara em alguns pontos eu descordo... durante o ano eu tenho sempre 160 lbs , com abdomen rasgado , biceps 38cm definido , costas gigantes e pernas também ,  subo no palco na men's , sem anabol , meu treinamento : musculação + calistenia até a exaustão todo dia , trabalhando no minimo quatro grupos musculares... tempo de treino pra chegar nesse nivel : 13 anos .

     a wall acertou quando disse que suplementos pouco importam, eu mesmo tomei creatina uma vez e não vi diferença , e a alimentação esta certissima , mas a wall fez a mesma coisa que as revistas fazem : generalizaram o treinamento . cada corpo se adapta melhor a um treino ... os caras da antiguidade mesmo treinavam tudo todo dia , mas no geral ótimo post pra abrir os olhos de muitos que acreditam na midia esportiva e esquecem que o esporte também é um comércio 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
16 minutos atrás, Fallout disse:

 

Não precisava ter citado o texto inteiro. :P 

E realmente, como você disse, cada um é cada um. Mas tenho certeza que você conhece uma galera que começou a treinar ontem e já pegou uma divisão ABCDE por exemplo, lotado de isoladores. O texto não generalizou o treinamento, mas deixou claro para optar por opções mais simples, pelo menos no começo.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
15 minutos atrás, yuuuriiii disse:

Não precisava ter citado o texto inteiro. :P 

E realmente, como você disse, cada um é cada um. Mas tenho certeza que você conhece uma galera que começou a treinar ontem e já pegou uma divisão ABCDE por exemplo, lotado de isoladores. O texto não generalizou o treinamento, mas deixou claro para optar por opções mais simples, pelo menos no começo.

vejo isso toda semana kkkkk e o pior tem uns mais ousados que tentam ver minha garrafa talvez procurando algum cheiro ou cor que identifiquem o que eu tomo kkkk mal sabem eles que é só agua com bicarbonato , mas faz parte, todo mundo no inicio quer fazer muito e não sabe por onde começar, por isso eu acho que as academias deveriam dar orientação psicologica pros iniciantes...sentar e bater um papo, falar como vai ser no inicio , o tempo que pode levar etc

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Trago pra nós aqui videos e uma proposta de discussão. Tendões. 

Li algum tempo atrás que boa parte do treino de circo e apresentações de força de 1900 pra trás eram baseadas com o principio de ter tendões saudáveis e não músculos grandes. 

 

Pesquisando mais a respeito cai novamente em Atlas, Tensão Dinamica, Treino de carga alta, pouca repetição, muitas horas por dia e esses vídeos.
 

 

 

 

 



O que pensam? realmente a força do passado viria de um foco nos tendões? 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
3 horas atrás, Wesley Pinto disse:

Trago pra nós aqui videos e uma proposta de discussão. Tendões. 

Li algum tempo atrás que boa parte do treino de circo e apresentações de força de 1900 pra trás eram baseadas com o principio de ter tendões saudáveis e não músculos grandes. 

 

Pesquisando mais a respeito cai novamente em Atlas, Tensão Dinamica, Treino de carga alta, pouca repetição, muitas horas por dia e esses vídeos.
 

 

Sempre pensei que excesso de treino, com excesso de carga, sobrecarregava as articulações...

Tem algum estudo a respeito disso?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 20/04/2018 em 18:16, Dawkinator disse:

Sempre pensei que excesso de treino, com excesso de carga, sobrecarregava as articulações...

Tem algum estudo a respeito disso?

 

Num to falando de excesso de carga, nem excesso de treino, to falando de carga alta, pouca rep, varias horas. Continua sendo um treino de baixo volume, só quem bem espaçado. 

Ao meu ver o que faz mal para as articulações é um volume muito grande de movimentos  articulares repetitivos, por exemplo milhares de rosca direta por ano. Agora movimentos estático - isométricos -  e diversificação de movimentos, saindo um pouco do padrão mecânico, focado na variabilidade, tenho como saudável pois resgata funções naturais. 

Se eu puder me pendurar numa barra - só ficar pendurado - diversas vezes ao dia, por 1-2min cada, sem subir e descer, só pendurado,  vou ter uma exigência muscular alta, tendões vão ser extremamente irrigados a todo momento, e articulações poupadas. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
2 horas atrás, Wesley Pinto disse:

 

Num to falando de excesso de carga, nem excesso de treino, to falando de carga alta, pouca rep, varias horas. Continua sendo um treino de baixo volume, só quem bem espaçado. 

Ao meu ver o que faz mal para as articulações é um volume muito grande de movimentos  articulares repetitivos, por exemplo milhares de rosca direta por ano. Agora movimentos estático - isométricos -  e diversificação de movimentos, saindo um pouco do padrão mecânico, focado na variabilidade, tenho como saudável pois resgata funções naturais. 

Se eu puder me pendurar numa barra - só ficar pendurado - diversas vezes ao dia, por 1-2min cada, sem subir e descer, só pendurado,  vou ter uma exigência muscular alta, tendões vão ser extremamente irrigados a todo momento, e articulações poupadas. 

Entendi...

Segurar na barra passivamente fez mal ao meu ombro, fiz pra saúde dele igual um vídeo do ido portal (canal no youtube) e acabei com síndrome do desfiladeiro torácico.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
5 minutos atrás, Dawkinator disse:

Entendi...

Segurar na barra passivamente fez mal ao meu ombro, fiz pra saúde dele igual um vídeo do ido portal (canal no youtube) e acabei com síndrome do desfiladeiro torácico.

 

EITA...... pra ver como nada é verdade absoluta. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Alguém ai treina pescoço ai?além de mim.

Veja que no Brasil não tem quase nehuma informação sobre isso, sendo que é um musculo muito importante, pricipalmente se você for lutador.

 

Benefícios: Não quebrar facilmente seu pescoço em um acidente de carro.

Aumentar a resistência ao levar um soco.

ajuda no desenvolvimento do trapézio.

Tu fica bem mais Badass.

 

A diferença que um Neck faz na fisionomia da pessoas é incrivel. Acredito que é o musculo que mais faz diferença na aparência.

Segue algumas fotos:

 

big_neck_comparison.jpg

mkg3mc.jpg

ykPPpBa.jpg

 

Olha esse foto do Mike Tyson. Se eu vejo um cara dessa andando em minha direção na rua, eu desvio o caminho na hora.

hqdefault.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Tava procurando esse ótimo tópico a tempos....acompanhando agora.

 

Por mim, poderiam fixar esse tópico. É clássico, e a verdade está nele :) .

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 11/05/2018 em 20:23, vitorbernardo disse:

Alguém ai treina pescoço ai?além de mim.

Veja que no Brasil não tem quase nehuma informação sobre isso, sendo que é um musculo muito importante, pricipalmente se você for lutador.

 

Benefícios: Não quebrar facilmente seu pescoço em um acidente de carro.

Aumentar a resistência ao levar um soco.

ajuda no desenvolvimento do trapézio.

Tu fica bem mais Badass.

 

A diferença que um Neck faz na fisionomia da pessoas é incrivel. Acredito que é o musculo que mais faz diferença na aparência.

Segue algumas fotos:

 

big_neck_comparison.jpg

mkg3mc.jpg

ykPPpBa.jpg

 

Olha esse foto do Mike Tyson. Se eu vejo um cara dessa andando em minha direção na rua, eu desvio o caminho na hora.

hqdefault.jpg

 

Quais exercicios vc faz, mano ?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Quem Está Navegando   0 membros estão online

    Nenhum usuário registrado visualizando esta página.

×
×
  • Criar Novo...