Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

helicobacter

Membro
  • Total de itens

    78
  • Registro em

  • Última visita

Sobre helicobacter

  • Data de Nascimento 07/12/1996

Profile Information

  • Objetivo
    Ganho de massa muscular

Últimos Visitantes

310 visualizações

Conquistas de helicobacter

  1. Fonte é justamente os aminoácidos de cada alimento. Arroz possui deficiencia de um aminoacido chamado lisina. O feijão é rico em lisina mas pobre em metionina (aminoácido esse encontrado no arroz). Percebe como os alimentos se complementam? No geral, arroz, feijão, carne vermelha, laticínios e ovos vc já consegue ter um aporte de aminoácidos bem legal. Podendo até ser acrescentado um açai. Beba bastante água (na casa dos 5L/dia). E claro, sempre procure um médico pra te auxiliar.
  2. eu não acho o jejum uma estratégia interessante (em um primeiro momento). Posso explicar a minha visão: primeiro pq o jejum n é uma dieta de fácil adesão. Segundo que pessoas que possuem algum grau de diabetes tipo II podem sofrer com hipoglicemia quando utilizam dessa estratégia. Jejum não possui nenhum benefício adicional quando comparado a uma dieta hipocalorica tradicional, com distribuição de refeições de 3 em 3 horas (por exemplo! não precisa ser de 3 em 3). Jejum pode estimular a gliconeogenese, estimulando a quebra de massa muscular pra obtenção de aminoácidos que vão ser transportados pra chegar no destino final: gerar energia. Jejum pode ser uma estratégia interessante pra uma possível quebra de homeostase, ou quando tem dificuldades de comer em certos horários (eu, por exemplo, possuo dificuldade em me alimentar pela manhã). Dito isso, meu conselho seria em um investimento em um nutricionista capacitado ou, se vc n tiver condições, existem livros e artigos incríveis na internet q vão te auxiliar na autonomia pro desenvolvimento de uma dieta (sempre respeitando as recomendações de macro e micronutrientes)
  3. Pode ser considerado cárdio sim, afinal vc está estimulando sua capacidade aerobia e gastando energia tbm. Caminhar pro trabalho pode ser considerado cardio. Cardio não é só a esteira da academia. Porém, 15 min de cárdio de bike acredito q n seja lá essas coisas... pq vc n fica pedalando pesado o tempo todo ne kkkk umas retas vc acaba bem pedalando direito. Natação, caminhada, bike, até vc ir comprar pão na padaria pode ser considerado um cardio. Cardio é só uma palavra usada no meio da musculação pra descrever atividades que sempre existiram. Nunca li nada sobre isso e nunca havia refletido sobre isso... é só uma opinião (q pode estar completamente errada).
  4. não necessariamente quanto mais drogas, mais resultados. O que difere os atletas é o treino e a dieta, além da genética, e não a quantidade de drogas. Já começou errado. Começa com o básico que dá certo. Com essa quantidade de droga vc vai mais acumular efeitos colaterais do que resultados positivos (que, claro, irão aparecer. Aliás, com essa quantidade de droga, se não desse resultado seria no mínimo estranho). Mas aí vai de você. A galera tentou te alertar, mas se vc já está decidido e quer continuar, boa sorte.
  5. cara, primeiramente investiria em um nutricionista esportivo, caso consiga ir em um. Se eu fosse vc, além disso, faria exames, vendo se vc n tem um princípio de hipotireoidismo ou algo assim, que te atrapalhe na perda de peso. Em relação ao sódio do seu refri: 21mg a cada 200ml não influencia tanto nos seus resultados, o que preocupa são os conservantes e outras substâncias utilizadas (não demonizando o refri, eu particularmente não cogito cortar o meu da minha dieta). Eu apostaria em uma ioimbina ou até um clembuterol, PORÉM, antes disso, seu treino e sua dieta deve estar alinhadas de forma com q vc consiga atingir os seus objetivos. Suplemento/estimulante por si só não serve de nada quando vc possui um treino meia boca e uma dieta desregulada. Acrescente cardios nos seus treinos. Quando eu pretendo entrar em um cutting pra dar uma secada, eu pego firme no treino de capoeira, gasta bastante energia. Ache um esporte aerobio que te traga prazer (capoeira é o meu).
  6. sim e não. Existem muitas vias metabólicas parecidas. "A anatomia, fisiologia e a genética já são bem conhecidas pelos cientistas, o que torna mais fácil entender quis mudanças no comportamento dos ratos são causadas pela alteração da genética dos ratos para que eles carreguem genes similares aos de doenças que infectam os humanos. Alguns exemplos de doenças nas quais os ratos são bons modelos em testes são a hipertensão, diabetes, problemas respiratórios, apoplexia, obesidade, catarata, mal de Parkinson, Alzheimer, câncer, fibroses, HIV, surdez, doenças do coração, distrofia muscular e problemas na medula espinhal. Também são constantemente usados em testes comportamentais, sensoriais, de idade e nutrição." (retirei essas informações da internet).
  7. basicamente você já veio pro fórum com a sua ideia consolidada sobre retirada do carbo cedo e só queria aceitação da maioria. Se você gosta de trabalhar com achismos e informações pseudocientíficas pra sua prática cotidiana, recomendo que busque informação no youtube e facebook mesmo, deixe de lado livros de bioquímica, fisiologia. Guyton? quem é Guyton perto do Lair Ribeiro adepto da dieta cetogênica pra pacientes com câncer? (afinal, a célula do câncer não sobrevive sem glicose né?). Gliconeogênese é história pra boi dormir.
  8. não. É a mesma coisa. Se vc fosse comer carbo pela manhã, e ao invés de jogar ele pela manhã, jogar para o período da tarde, n vai mudar nada. O que importa é a quantidade calórica total no dia/semana/mês... quem te der uma resposta diferente, está errado. Só pedir pra mostrar algum estudo onde houve alteração no perfil lipídico de pessoas com uma dieta de mesma caloria para todos os grupos + indivíduos que n comeram carbo pela manhã/indivíduos que comeram. O que é bem sólido na comunidade científica é a distribuição de calorias ao longo do dia, relacionando com o ganho/perca de peso.
  9. recomendo um ciclo de mineirinho quente 250mg/sem + leite de texugo de AI se sentir sensibilidade no mamilo.
  10. se existe uma variação de alimentos dentro da sua dieta, com equilíbrio entre a quantidade de gorduras e carbo (não esquecendo das RDA's dos micronutrientes), sim. Pois com esse 1g/kg vc consegue adquirir todos os aminoácidos essenciais quando feita uma dieta equilibrada.
  11. mas essa é a recomendação de ingestão proteica. É um mito isso que quanto mais proteína vc consome, maior será sua síntese proteica muscular, não é diretamente proporcional. Manter sua proteína em 1g/kg que seja, mas variando a fonte proteica, obtendo todos os aminoácidos essenciais, vai fazer com que vc desenvolva massa muscular normalmente. EU aprendi na faculdade (sou estudante de nutrição) que pessoas com pré disposição a doenças renais devem manter sua proteína um pouco mais baixa (0.8g/kg, por exemplo). Porém, já li estudos mostrando que não é bem assim. Qualquer pessoa que assuma uma opinião ultra formada acerca desse assunto, desconfie. Ás vezes é bom ficar um pouco em cima do muro e tomar cuidado com as informações. Esse é um assunto bastante debatido na comunidade científica. EU prefiro errar pra menos: se for pra apostar em uma coisa se eu fosse vc, apostaria em uma dieta baixa em proteínas.
  12. cara, não faz isso com vc, sério. Primeiramente pq o adipócito concentra uma quantidade maior de aromatase, que é a enzima que converte testosterona em estradiol (não que o estradiol seja um vilão [em determinadas circunstâncias até pode ser] ou algo do tipo, mas pela quantidade de gordura q a pessoa tem, pode acabar influenciando e potencializando o desenvolvimento de alguns efeitos colaterais indesejados, que poderiam ser aliviados com um bf mais baixo). Portanto, recomendo q vc treine sério, faça dieta, estude sobre isso pra não ficar dependendo de informação alheia sobre oq vc deve ou não fazer, tenha autonomia sobre si e curiosidade, pq isso não é brincadeira... invista em um nutricionista bom e um treinador que vai te auxiliar nessa jornada.
  13. da forma com q vc falou deu a entender que a dieta low carb em específico está relacionada com a melhora da imunidade. Como se o carboidrato estivesse relacionado com a alta patogenicidade do covid. Porém a low carb não traz benefício algum adicional em comparação com uma dieta com distribuições normais de carboidratos (dieta "normal") em relação ao covid-19 (bom, até agora não vi nada sobre isso). O problema mesmo é a dieta extremamente hipercalórica. Fui pesquisar um pouco mais sobre esse Dr (nunca ouvi falar dele), e achei um vídeo dele falando logo no início, que ele vê o açucar como uma toxina. Parei de ver aí.
×
×
  • Criar Novo...