Ir para




Olá, anônimo!


Entrar  Logar com o Facebook Logar com o Twitter

Cadastre-se
Seja bem vindo ao Hipertrofia.org. Que tal se registrar para poder participar das discussões e ainda ter acesso às áreas que somente usuários registrados podem ver ?
 
Para registrar-se, basta clicar ali do lado. É fácil, não demora nem 10 segundos e sequer pedimos confirmação por e-mail! Está esperando o que ?
 
Guest Message by DevFuse

Foto

Quantidade Necessária De Protéinas P/ Hipertrofia


  • Please log in to reply
6 respostas para este tópico

#1 Ten Guil

Ten Guil
  • Membro
  • 645 posts

Postado as 07:59:32 em 27/11/2010

Galera,achei isso na net quando tava pesquisando sobre o assunto.
Resolvi colocar aqui,visto que algum integrantes do forum fazem ''dieta'' de suplementos e chegam a tomar quase 300g de protéina num dia.
desde já,o excesso de protéinas causa:
* Surgimento de problemas renais e hepáticos – O excesso de nitrogênio eliminado pelos rins de forma crônica pode sobrecarregar e mais tarde causar problemas neste órgão, assim como grandes quantidades de proteínas metabolizadas no fígado podem comprometer o funcionamento do mesmo
* Aumento do peso corporal – Muitas pessoas preocupam-se apenas com o excesso de lipídios para evitar o ganho de peso, no entanto vale ressaltar que o excesso de proteínas eleva o peso corporal
* Aumento do risco de surgimento do cranco – Foi estabelecido em 1982 pelo National Research Council (Conselho Nacional de Investigação norte-americano) uma correlação entre um elevado consumo de proteína e o surgimento de cancro
* Osteoporose e pedra no rim – Devido o aumento da excreção do cálcio pelo elevado consumo de proteína, pode ocorrer a formação de pedra nos rins e osteoporose associada a excreção do cálcio

então,para todos que estão fazendo dietas 'hiperproteicas' desnecessárias ai vai o artigo: B)

Qual quantidade de proteína necessária ?



O propósito deste estudo foi analisar o efeito de duas situações alimentares distintas: dieta basal contendo 61 kcal/kg e 1,5 g de proteína/kg de peso corporal/dia (D1) e dieta hiperprotéica contendo cerca de 80 kcal/kg e 2,5 g de proteína/kg de peso corporal/dia (D2), sobre os ganhos de massa e força muscular, em atletas de culturismo.



Para tanto, 6 atletas do sexo masculino (26,1 ± 3,0 anos e 91,3 ± 17,4 kg), foram previamente seleccionados. O período de aplicação de cada dieta foi de quinze dias consecutivos, dentro dos quais os atletas mantiveram-se em regime normal de treino (rotina de seis dias de treino com um dia de descanso por semana, parcelada em peitoral, ombros e tríceps nos dias 1 e 4; costas, bíceps e antebraço nos dias 2 e 5; coxas, gémeos e abdómen nos dias 3 e 6).



Avaliações antropométricas foram realizadas na véspera dos três momentos do estudo (M1, M2 e M3). Da mesma forma, o teste de peso máximo (1RM) foi aplicado em cinco exercícios (extensões de tríceps com barra, desenvolvimento a frente, supino, levantamento de terra e agachamento), com a finalidade de avaliar os níveis de força. A associação treino de força/suplementação protéica (M3/M1) resultou em ganhos significantes de força (14%) e massa muscular (4,9% ou 2,840 kg).



Estes achados demonstram que a ingestão protéica entre 1,5 e 2,5 g de proteína/kg de peso corporal/dia parece ser adequada para o aumento de força e massa muscular, em atletas de culturismo.


A quantidade de proteína dietética recomendada pela maioria dos comités especializados em nutrição tem variado entre 0,8 (Canadian Department of National Health and Welfare, 1983; US Food and Nutrition Board, 1989; Food and Agricultural Organization, 1985), 1,0 (Australian National Health and Medical Research Council, 1987; Dutch Nutrition Board, 1988 - para mulheres) e 1,2 g/kg de peso corporal/dia (Dutch Nutrition Board, 1988 - para homens) para todos os indivíduos adultos sadios, independente do estilo de vida, idade, peso, composição corporal e tipo de actividade física (LEMON, 1991).

Actualmente, existem muitas controvérsias sobre a utilização destas recomendações em praticantes regulares de actividades físicas diferenciadas e, principalmente, em atletas de culturismo, visto que estas recomendações basearam-se, primeiramente, em cálculos do balanço nitrogenado (nitrogénio consumido menos o excretado), porém, de indivíduos essencialmente sedentários.

Vários autores (BUTTERFIELD & CALLOWAY, 1984; DRAGAN et al., 1985; LEMON et al., TARNOPOLSKY et al., 1992; TARNOPOLSKY et al., 1988) advogam a suplementação protéica para melhoria do desempenho físico, tanto pelo poder energético dos aminoácidos (nos exercícios de resistência), como pela melhoria do processo anabólico, aumentando a disponibilidade de aminoácidos essenciais para gerar acréscimo de massa muscular, acelerando a taxa de recuperação durante o treino (nos exercícios de força).

Em 1994, KUHN realizou estudo sobre o efeito do trabalho de carga no metabolismo dos aminoácidos em 8 indivíduos saudáveis e verificou que o exercício intenso aumenta a demanda do organismo humano para a ingestão de proteína dietética de alto valor biológico.

Outros estudos (LEMON et al., 1992; TARNOPOLSKY et al., 1992) em jovens do sexo masculino sugerem maior necessidade protéica para praticantes de treino com pesos ou contra-resistência (força). Segundo tais autores, esta necessidade seria em torno de 1,2 a 1,7 g/kg de peso corporal por dia.

Uma justificativa que parece bastante razoável para isso é que o esforço gerado pelo treino de força induz ao processo de hipertrofia muscular (aumento da massa muscular), mediante uma maior retenção de aminoácidos, que somente é possível pela obtenção de um balanço nitrogenado positivo. Entretanto, nem todos os pesquisadores concordam com a necessidade de dietas hiperprotéicas (LEMON et al., 1992), preferindo aceitar que a actividade física regular promove melhoria na economia total de nitrogénio, facilitando sua fixação.

Segundo TARNOPOLSKY et al. (1988), culturistas de elite consumindo dietas altamente protéicas (2,77 g/kg de peso corporal/dia) têm demonstrado elevado balanço nitrogenado positivo. Hipoteticamente, este alto consumo de proteínas poderia resultar em maior ganho de massa muscular e força, visto que o consumo de aminoácidos induzido pelo treino estimularia o aumento da síntese protéica.

Com base nas informações apresentadas acima, o propósito deste estudo foi investigar as possíveis adaptações nos níveis de força e massa muscular geradas, em trinta dias de experiência, pela associação entre o treino com pesos e dois regimes dietéticos diferenciados, contendo cerca de 1,5 e 2,5 g de proteína/kg de peso corporal/dia respectivamente, em atletas de culturismo.


Fonte:
http://www.3fitness....qtproteina1.htm :lol:

Moderadores,apaguem esse tópico.
meu pc deu um problema e ae colocou dois tópicos iguais no forum. :lol:

Moderadores,apaguem esse tópico.
meu pc deu um problema e ae colocou dois tópicos iguais no forum. :lol:

Este post foi editado por Ten Guil: 08:00:02 em 27/11/2010

  • minho86 curtiu isso
More Pain,MORE GAIN!!
Deadlift Fã#53

#2 minho86

minho86
  • Membro
  • 15 posts

Postado as 03:25:45 em 23/07/2011

eh ninguem comentou,porq isso de excesso de proteinas,ja esta enraizado na cultura do culturismo,mas a maioria aki nem compete e usa aumentos exagerados de consumo de proteina,por isso minha dieta eh taum criticada,ta faltando proteina aew rapazzzzz,poe mais 5 kgs de peixe,10 frangos e meio pernil de dinossauro,rsrsrsrs
naum adianta falar q eu naum mudooooooo,vlw manowwwwwwwwwwwww.

#3 fernandinho22

fernandinho22
  • Membro
  • 12 posts

Postado as 11:08:24 em 21/11/2012

bom topico

#4 Aless

Aless
  • Supermoderador
  • 3.569 posts

Postado as 12:07:43 em 21/11/2012

bom topico

Alertado por desenterrar o tópico sem adicionar nada.

Diário

 

Entrevista com Primata


#5 Bossal

Bossal
  • Banido
  • 471 posts

Postado as 12:30:52 em 21/11/2012

Pelo oque eu saiba o recomendado seja 2g/kilo mais isso varia muito com o teu tamanho teu objeitvo etc. como tem um video ai na net do Ronnie Colleman falando que ingere 4,5g kilo de proteina mas o cara é top ne nem se compara... resumindo, varia muito do que tu quer, teu peso, enfim...

#6 lennon.lemos

lennon.lemos
  • Membro
  • 35 posts

Postado as 01:36:06 em 21/11/2012

Eu costumo mandar no mínimo os 2g/kg por dia. Já vi cara aqui dizer que 4g/kg é pouco. PQP, nego pensa que o treino/dieta/suplementacao de fisiculturista se aplica a ele.
GET SHREDDED OR DIE TRYING. NO BRAIN, NO GAIN.
Relato PH: H STANE - http://www.hipertrofia.org/forum/topic/103691-relato-completo-h-stane-com-fotos/ Acompanhem!

#7 Bossal

Bossal
  • Banido
  • 471 posts

Postado as 05:49:34 em 21/11/2012

Eu costumo mandar no mínimo os 2g/kg por dia. Já vi cara aqui dizer que 4g/kg é pouco. PQP, nego pensa que o treino/dieta/suplementacao de fisiculturista se aplica a ele.

Eu costumo mandar no mínimo os 2g/kg por dia. Já vi cara aqui dizer que 4g/kg é pouco. PQP, nego pensa que o treino/dieta/suplementacao de fisiculturista se aplica a ele.



Concordo... como muitos veem treino de fisiculturista e ja sai mandando achando que vai ficar igual o cara, o max vai ser um over bem pesado porque o treino dos cara é top! alem de que oque eu estava fisiculturista como Ronnie, Jay e Kai entre outros costumam fazerem treino que conhecemos como voltados para força, rep entre 4, 6..






Termos de Uso: As mensagens contidas no site Hipertrofia.org não possuem o objetivo de substituir orientação de um profissional(independente da sua área de atuação), sendo da responsabilidade de quem as redigiu e não necessariamente refletem a opinião do proprietário do site.

Utilizando o site www.Hipertrofia.org você estará concordando com estes termos.