Home / Dieta e Nutrição / Bulking e cutting – o que é, qual a diferença e o que fazer primeiro ?

Bulking e cutting – o que é, qual a diferença e o que fazer primeiro ?

Independente de qual seja seu objetivo dentro da academia, se você costuma pesquisar sobre o assunto, é muito provável que você tenha se deparado com os termos bulking e cutting.

Neste texto explicaremos detalhadamente o que significa fazer um bulking ou cutting, dicas fundamentais e qual deles deve ser feito primeiro.

Clique aqui

O que é bulking e cutting ?

Honestamente, bulking e cutting são apenas novos termos para descrever as fases de ganho de massa e queima de gordura, respectivamente.

Bulk significa volume, enquanto cut significa corte, ou seja, estes termos não passam de gírias equivalentes a “fazer um off” e “ficar talhado” do Brasil.

Nada mais.

Mas isto não significa que as pessoas compreendem corretamente o que cada fase representa (independente de qual gíria você use).

Bulking ou fase de ganhar massa muscular é o período onde todos os seus esforços serão focados em gerar o máximo de hipertrofia e força possível, através de uma dieta com consumo elevado de calorias e outros nutrientes.

Cutting ou fase de queimar gordura é o período onde todos os seus esforços serão focados em manter massa muscular e queimar o máximo de gordura possível, através da de uma dieta com consumo reduzido de calorias.

Bulking ou cutting: qual devemos fazer primeiro ?

Dependo da situação atual do seu físico, é possível que você esteja confuso entre fazer bulking ou cutting.

Talvez você tenha alguma gordura corporal para perder, mas também precise ganhar massa muscular urgentemente.

Neste caso, seria melhor focar-se em ganhar massa muscular e só depois se preocupar com queimar a gordura extra ?

Ou é melhor realizar o cutting primeiro para então, mais tarde, crescer com qualidade no bulking ?

Clique aqui

Porque não realizar ambos e queimar gordura enquanto ganhar massa muscular ?

Pois é, é normal ter dúvidas a respeito de bulking e cutting.

Mas logo de cara, e para a infelicidade de alguns, se você tem gordura acumulada, a sua prioridade número um deve ser entrar em cutting e esquecer o bulking por completo (ao menos por enquanto).

Somente se você já for magro (magro de verdade, não falso-magro) você poderá começar com um bulking.

Quanto a fazer os dois ao mesmo tempo para poupar tempo, infelizmente, isto é muito improvável de acontecer e você vai entender o porquê até o fim do texto.

Como saber exatamente se preciso fazer um cutting

Basicamente, se você tem acúmulo de gordura e no espelho não possui definição alguma e/ou possui muita flacidez, o ideal é realizar o cutting antes do bulking.

Texto continua após a propaganda.

O mestre Arnold já dizia: “se balança, é porque é gordura).

Se fossemos colocar um limite em termos de percentual de gordura, as coisas ficariam assim:

Você deve fazer um cutting se:

  • Você é um homem com mais de 15% de gordura corporal;
  • Você é uma mulher com mais de 25% de gordura corporal.

E muito cuidado com medições incorretas.

A maioria dos métodos para medir percentual de gordura subestimam quanta gordura você tem.

Muita gente pensa estar com 6% de gordura, enquanto está com 16%.

Apenas a título de comparação, o Felipe Franco tem o melhor condicionamento do Brasil e ainda sim compete com cerca de 6% de gordura.

Na dúvida, sempre use o bom senso: se você está longe de ser confundida como uma pessoa definida, faça um cutting.

E existe um motivo extremamente convincente para que você não tente fugir disso:

Você vai ganhar massa muscular mais rápido quando chegar a hora de fazer um bulking.

Entenda.

Quanto menor o percentual de gordura, melhor tende a ser o particionamento de nutrientes pelo organismo.

Em outras palavras, quanto mais magro você for, mais proveito o seu organismo consegue tirar dos nutrientes ingeridos.

Mais nutrientes serão usados pelo corpo, e menos nutrientes serão guardados nas reservas de gordura.

Isto ocorre principalmente por conta da sensibilidade a insulina.

Veja bem.

Insulina é o principal hormônio transportador de nutrientes para dentro das células do corpo.

Quanto maior a sensibilidade do seu organismo a insulina, mais nutrientes serão usados para o funcionamento do corpo e músculos.

E quanto menor a sensibilidade a insulina, mais nutrientes serão guardados na forma de gordura, e não serão bem aproveitados pelos músculos e organismo.

Em outras palavras, quanto maior o percentual de gordura, pior a sensibilidade a insulina e maior é a dificuldade para ganhar massa muscular ao mesmo tempo que é mais fácil ganhar gordura.

Curta o Hipertrofia no Facebook também!

(Texto continua logo abaixo)

É por isso que os famosos falsos-magros, quando tentam fazer um bulking, acabam ganhando nada além de mais barriga e flacidez (ainda).

A maneira mais simples de evitar esse problema todo é simplesmente fazer um cutting até que você esteja abaixo dos 15% de gordura corporal, com 10-12% sendo o ideal para começar o bulking.

Assim garantindo o máximo de saúde e boa sensibilidade a insulina.

Agora, de nada adianta realizar um grande esforço para reduzir o percentual de gordura, e estragar tudo ao fazer um bulking sujo e ganhar um monte de gordura de novo (ou mais do que antes>

Tenha em mente que quanto mais gordura for adquirida durante o bulking, mais difícil será perder essa gordura posteriormente, o que necessitará um cutting mais longo.

Quanto mais severo é a fase de cutting, mais massa muscular será perdida e maiores serão as chances de voltar a estaca zero depois.

Em suma, quem tem gordura em excesso sempre vai sair perdendo e isso sempre deve ser evitado.

Com isto dito, mesmo fazendo um bulking limpo, um pouco de gordura ainda será obtida.

Isto é normal e esperado.

Veja também -> Como fazer um bulking limpo corretamente

Não é possível ingerir mais calorias do que o corpo precisa, para obter hipertrofia, sem que um pouco de gordura também venha junto.

A questão agora é que seu corpo consegue aproveitar melhor os nutrientes ingeridos e você é magro.

Além disso, a proporção entre ganho de massa muscular e gordura será mais favorável.

Agora a única coisa que você precisa se preocupar é não ultrapassar 15% de gordura corporal.

Quando você chegar a marca dos 15% de gordura corporal ou um pouco mais, já está na hora de entrar em cutting novamente.

Durante o bulking você coloca o corpo em “modo” anabólico e ganha massa muscular.

E durante o cutting você derrete a gordura e mantém a massa muscular que ganhou.

Serão estas mudanças entre bulking e cutting que farão você ficar cada vez maior, mais forte e com os níveis de gordura corporal sob controle através dos anos.

Não há período fixo entre cada fase

Você pode ter notado em redes sociais que alguns atletas, antes mesmo de começar um bulking ou cutting, dizem quantas semanas ficarão em cada fase.

Porém isto é feito levando em consideração o calendário de competições.

Além disso, atletas experientes se mantém em forma o ano inteiro e sabem, por exemplo, que em 12 semanas, conseguirão estar preparados para a competição.

Mas uma pessoa comum, que não compete, não precisa se preocupar com nada disso.

Um indicativo muito melhor neste caso é apenas se preocupar com o percentual de gordura.

Por exemplo:

Um ectomorfo, extremamente magro, vai se manter em bulking pelo tempo que for necessário, apenas tomando cuidado para não ultrapassar 15% de gordura corporal.

Da mesma forma que uma pessoa que precisa perder muito peso, só vai finalizar o cutting quando estiver na casa dos 10-12% de gordura corporal.

Isto pode durar semanas, meses ou anos.

E fazer bulking e cutting ao mesmo tempo ?

Ah, o ilusivo objetivo de fazer tanto bulking como cutting ao mesmo tempo.

Logo de cara, e para poupar o seu tempo, tentar fazer os dois ao mesmo tempo não costuma dar certo.

Quanto estamos em bulking, precisamos ingerir mais calorias do que o corpo precisa para sustentar a hipertrofia muscular e como consequência ganhamos um pouco de gordura.

Quando estamos em cutting, precisamos ingerir menos calorias do que o corpo precisa para forçar o corpo a usar as reservas de energia que estão nos depósitos de gordura.

São objetivos totalmente opostos.

Mas sendo totalmente honesto, ainda existe algumas situações onde o ganho de massa muscular e perda de gordura pode ocorrer de forma simultânea:

  1. Iniciantes que nunca treinaram na vida e que estão acima do peso. Nesta situação, como o corpo nunca recebeu o estímulo do treino antes, será possível ganhar massa muscular inicialmente ao mesmo tempo que se perde gordura;
  2. Voltar a treinar depois de um tempo parado. Se você tinha um físico decente antes de parar de treinar e acabou ganhando gordura no tempo que se afastou, ao voltar a treinar, através da memória muscular, será possível voltar ao físico de antes rapidamente;
  3. Ter uma genética digna da elite do fisiculturismo. Uma minoria seleta de pessoas, por conta da genética privilégiada, será capaz de ganhar massa muscular e perder gordura ao mesmo, mesmo sem dieta e treino corretos. Mas se você está acima do peso, isto é um forte indicativo que sua genética não é tão boa como imagina (desculpe).

Este texto ajudou você de alguma forma ? Avalie!
[Total de votos: 52 Média: 3.4]


MÁXIMA CONCENTRAÇÃO. MELHOR CUSTO-BENEFÍCIO

Sobre Redação Hipertrofia.org

O maior site sobre musculação em língua portuguesa da internet. Desde 2007 trazendo o melhor conteúdo sobre musculação, sempre baseado nos últimos estudos científicos, autores renomados e experiência prática.
Clique aqui para saber mais

Um comentário

  1. Vou só dar a minha opinião, no caso de um falso magro ele deve fazer bulk primeiro porque ele tem muita gordura e pouca massa magra, se ele fazer um cut, ele vai tentar definir o que? Não tem massa magra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários agressivos, ofensivos, com propagandas ou que não adicionam algo a discussão, não serão aprovados.

Simple Share Buttons